Leiam o post sobre Acesso Aberto publicado nA Pedra

A PedraComo já deve ser de conhecimento de nossos leitores, não estamos mais sós no universo. Nos associamos a outros colegas para ampliar o escopo de reflexão de nossos blogs. E encontramos umA Pedra no MEIO do caminho. Lá publicamos a integra do post “Open Access, Acesso aberto: condenação judicial e novo aplicativo“. Aqui, vamos apenas apresentar um breve resumo do post sobre Acesso Aberto.

A motivação para o post

O que motivou a escrita do post foi o aparecimento na midia de notícias interessantes sobre Acesso Aberto: um vídeo postado no YouTube, no Canal do Pirula (#Pirula 218), sobre a condenação judicial do Sci-Hub; e também uma reportagem publicada na revista Pesquisa FAPESP, sobre o Canary Haz, um novo aplicativo que permite acessar com rapidez artigos em revistas científicas.
Acesso Aberto

Conceitos relacionados ao Acesso Aberto

Além de comentar as notícias, o post apresentou a definição de Acesso Aberto e alguns conceitos relacionados a ele, como revisão por pares e fator de impacto. Também foram apontados alguns aspectos econômicos pelos quais as grandes editoras estão passando com a digitalização da produção científica.

As notícias

Na verdade, o que está em jogo na verdade são os direitos autorais. O vídeo do Pirula afirma que o SciHub foi condenado por violar direitos autorais. Já a reportagem sobre o Canary Haz afirma q o site “apenas” procura por PDFs na rede sem violar direitos autorais. No fundo, ambos fazem praticamente a mesma coisa: disponibilizam artigos científicos para quem quiser ler sem pagar.

De modo geral, a disponibilização pode ser considerada uma forma de democratizar o conhecimento científico. Mas as três maiores editoras (Springer, AAAS e Elsevier), com um monopólio que ultrapassa 50% das publicações, não querem perder mercado. A Elsevier moveu um processo contra o Sci Hub justificado pelo suposto desequilíbrio econômico decorrente da violação de direitos autorais. Ainda que tenha ganhado a causa, a Springer dificilmente conseguirá que a responsável pelo Sci Hub pague a multa. Alexandra Elbakyan, a responsável, é do Casaquistão, não reside nos Estados Unidos e não há acordo de extradição entre os países. Portanto, foi mais uma vitória pr=o-forma, para chamar a atenção sobre a violação dos direitos autorais.

Conclusão

Esse foi um breve resumo do post completo. Caso tenha ficado interessado, acesso o post publicado nA Pedra.

Sobre Cássio Ricardo Fares Riedo 5 Artigos
Doutorando em Educação (FE), psicólogo, químico, programador e analista de sistema. Envolvido com software livre desde os 16 anos qdo começou a programar. Acredita que, com a atual mudança no sistema de produção em direção a digitalização das informações, o movimento de abertura em várias áreas (open source, open science, open data, recursos educacionais abertos, etc.) possa propiciar uma sociedade mais justa e solidária, com uma melhor distribuição dos conhecimentos e mesmo de renda.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*