Viva a segregação!

Para a Kátia, notícias boas não têm hora para vir

Esses dias recebi uma notícia legal, uma gravidez temporã na família. Já é o 4o mês de gestação e nos exames de ultrassom o feto sempre estava numa posição na qual era impossível ver o sexo. Após a última ultrassonografia o médico solicitou um exame do líquido amniótico, tanto devido à sexagem quanto a outras condições da gravidez tardia. No exame, uma agulha guiada pelo ultrassom é inserida dentro da placenta e retira dali alguns mililitros do líquido dentro do qual o bebê fica imerso, como esta bolsa e líquido são produtos do bebê, e não da mãe, os chamados anexos embrionários, analisar as células dali é como analisar as células do próprio bebê.


Infelizmente eles não são coloridos assim dentro das suas células.
Fonte: www.brasilescola.com

Mas o que se pode analisar num exame desses? A disposição dos cromossomos do feto pode falar muito sobre sua identidade e saúde. Nós humanos temos um conjunto de 46 cromossomos, 22 pares que tendem a ser idênticos e dois cromossomos sexuais. Os cromossomos sexuais podem ser iguais nas mulheres (XX) ou diferentes nos homens (XY), então ao ver os cromossomos do feto podemos descobrir seu sexo a despeito de seus esforços para manter as perninhas fechadas. Mas não é só, a cariotipagem pode mostrar um monte de coisas sobre alterações cromossômicas.
A segregação que exalto no título não tem nada que ver com preconceito, me referia à segregação cromossômica. Na divisão celular o material genético da maioria dos organismos se duplica e depois se organiza na forma de cromossomos para ser repartido entre as células-filhas. A regra é que metade seja arrastada para uma célula e a outra metade para a outra através de uns filamentos de proteína conhecidos como centríolo. É exatamente isso que ocorre na formação de células como os espermatozóides e os óvulos. Eventualmente, no lugar de puxar um cromossomo de cada tipo para cada célula filha, dois cromossomos vão parar na mesma célula reprodutiva e nenhum na outra. Depois que ocorre a fecundação então passaríamos a ter três cópias ou uma cópia de um determinado cromossomo, em vez das duas usuais. O resultado disso pode variar desde efeitos menos severos como os encontrados em homens XYY (muita espinha na adolescência e alta estatura) até efeitos bem severos como a síndrome de Edwards (três cópias do cromossomo 18) e Patau (três cópias do 13), nas quais a criança apresenta mal-formações graves e pode ser abortada ou não ultrapassa os primeiros anos de vida.
Felizmente o exame nos revelou que nascerá uma menina, a Laura, e que ela tem todos os cromossomos no lugar. Estamos todos ansiosos.

Powered by ScribeFire.

Discussão - 2 comentários

  1. Franclim disse:

    Edu,
    você nos explicou melhor do que o médico sobre o exame, o maravilhoso que depois de tudo, o resultado foi excelente, pois descobrimos que teremos uma menina – Laura – e a saúde dela esta ótima.
    bjs.

  2. Parabéns à Laura, ela escolheu bem os pais.
    []s,
    Roberto Takata

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM