Cadaverina, ou a beleza da ciência pura

Ontem estava no departamento onde trabalho quando as secretárias, ao mover um móvel, descobriram um fortíssimo cheiro de animal morto que empesteou o ar. Era a cadaverina, uma amina derivada da putrefação de proteínas animais, especialmente do aminoácido lisina.

Cadaverina, o fedor não reside no desenho da estrutura molecular, Fonte: Ben Mills, Wikipedia.

Cadaverina, o fedor não reside no desenho da estrutura molecular, Fonte: Ben Mills, Wikipedia.

Não cheguei a arrotar em voz alta minha erudição sobre o fedor, mas ela poderia ter até impressionado. Ou não. Poderia simplesmente soar arrogante e besta, o que provavelmente me fez manter a boca calada. Fato é que o fedor continuou ali, e nós, fora da sala.

A ciência básica é assim, às vezes te oferece uma série de informações que não resolvem em nada seu problema prático. Mas, como dizia Richard Feymann, ‘é como o sexo”, não é pelo resultado prático que a fazemos.

Discussão - 4 comentários

  1. Ontem mesmo estava pensando em algo nessa linha. Muitas das coisas que eu (acho que) sei sobre biologia não me servem diretamente no meu dia a dia.

    A despeito de meu (parco) entendimento sobre nutrição, digestão, metabolismo, minha dieta é direcionada mais pelo apetite e disponibilidade econômica. Não fico me indagando se ela está realmente equilibrada ou se na semana eu consumi fibras em teor adequado.

    Tomo banho mais pelo prazer de me livrar da nhaca e pela força do hábito do que por analisar a redução das chances de doenças pela boa higienização.

    []s,

    Roberto Takata

  2. Realmente, a biologia é uma ciência incrível, assim como todas as outras. Há um monte de “culturas inúteis”, mas que sempre servem para serem usadas de vez em quando. Muito legal essa observação do texto, porque nem sempre paramos para pensar que a vida toda é assim: uma busca de conhecimentos que não nos auxiliam no dia a dia, mas nos deixam mais felizes por somente conhecê-los.

  3. […] da cidade. Passamos a noite entre analgésicos, lavagem da mão com óleo de soja (esses dias escrevi sobre a inutilidade de alguns conhecimentos básicos, mas saber que a capsaicina é lipossolúvel dessa vez […]

  4. augusto martinho disse:

    Razão pela qual os leões não comem animais mortos por outros, ou então não querem ser afetados por amina

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM