Dois pilares da pesquisa científica: dedutivismo e falseabilidade (V.3, N.3, 2017)

Na bandeira do Brasil, lemos: “Ordem e Progresso”. Trata-se de uma abreviação do lema Positivista de Comte: “o Amor por princípio, a Ordem por base e o Progresso por fim“.  Não é muito comum que bandeiras estampem palavras, talvez porque mesmo os vocábulos mais interessantes, como “Sabedoria”, “Beleza”, e “Liberdade”, podem facilmente se desgastar sobre o pano nacionalista. No entanto, vivemos em um país positivista, e em um mundo positivista. E isso nossa bandeira exibe muito bem.

Germer G. M.

Pesquisador em Filosofia Alemã, com ênfase em Schopenhauer. Possui pós-doutorando em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP, 2017), Pós-Doutorado (Universidade Estadual de Maringá / CAPES, 2017), Doutorado (Universidade Estadual de Campinas / FAPESP, 2015), Mestrado (UNICAMP / CNPq, 2010), Licenciatura (UNICAMP, 2008) e Bacharelado (UNICAMP / FAPESP, 2007) em Filosofia. Membro da Comissão Editorial da “Revista Voluntas: Estudos sobre Schopenhauer” (Nota QUALIS B1), sua Tese “A crítica da religião como ponto de inflexão: Freud na proximidade da ‘Escola de Schopenhauer'” se encontra em caminho de publicação. Realizou estágio de Doutorado Sanduíche na Università del Salento / Itália, com o Prof. Dr. Domenico Fazio, foi orientado pelos Profs. Drs. Oswaldo Giacoia Jr. e Luiz Roberto Monzani e tem experiência nas áreas de Filosofia da Religião, dos Costumes (Ética), do Belo (Estética) e da Psicanálise. É editor e administrador do blog O.Phi e gerador frequente de conteúdos.

Você pode gostar...