Poucas coisas são tão bonitas quanto os duetos de Contact Improvisation

 

Contexto da escrita – depois do dia de trabalho, imediatamente após a Jam de abertura.

As danças de Contact têm uma performatividade própria (entrevista com Ana Alonso, 2016).

A Jam como um ambiente para a experiência cinestésia.A textura do espaço cooking (Alessi, 2011) pelas improvisações.

Pela manhã nos apresentamos em círculo. Somos quase 40. Somos brancos. Não falo espanhol. Maldonado é igual a Teresina, no Piauí. A arquitetura, a cor do prédio em frente à praça. A Escuela de Danza nos cedeu uma sala ampla, com piso de madeira, paredes de vidro. É possível apreciar as danças do lado de fora. Poucas coisas são tão bonitas quanto os duetos de Contact Improvisation.

De tarde fizemos um round de 30 minutos, com danças de 1 minuto com cada pessoa. Monica batia o sino para marcar o tempo. Dancei 1 minuto com quase todas as pessoas que dançam. Meu tônus estava baixo, ainda cansaço físico de 1 dia de viagem. 

Um esforço coletivo de organização de um cronograma de trabalho e de métodos de investigação. Um eixo de interesse explícito são os laboratórios em pequenos grupos. Faremos.

O tema geral DESVENDAR o processo antes da transmissão foi dito transversal ao encontro. Decidiu-se montar os pequenos grupos, amanhã, a partir de afinidade temática. Por isso propusemos temas para os laboratórios em pequenos grupos. Um que parece ser bem cotado é a JAM session como tema. É importante lembrar que as Jams são uma importante forma de transmissão do CI.

Apreciar as danças me oferece Glimpses (Smith, 2013) sobre a prática pedagógica e a organização estrutural por trás das apostas que faço na Formação Contato e por trás de outros formatos, no meu caso, a tradicional oficina semanal de CI, que são os dois principais espaços onde exercito a prática pedagógica em Contact.

Até amanhã, leitor internauta!

Maldonado, 5 de março de 2018.
Marília Carneiro