Neo-obscurantismo

Segundo Morin, o desenvolvimento científico comporta um certo número de traços “negativos” que são bem conhecidos, mas que, muitas vezes, só aparecem como inconvenientes secundários:

1) Superespecialização: enclausuramento ou fragmentação do saber;

2) O ponto de vista das ciências da natureza exclui o espírito e a cultura que produzem.

3) Revolução na história do saber, em que ele, deixando de ser pensado, meditado, refletido e discutido por seres humanos, integrado na investigação individual de conhecimento e de sabedoria, se destina cada vez mais a ser acumulado em bancos de dados, para ser, depois, computado por instâncias manipuladoras, o Estado em primeiro lugar.

4) Neo-obscurantismo. O especialista torna-se ignorante de tudo aquilo que não concerne a sua disciplina e o não-especialista renuncia prematuramente a toda possibilidade de refletir sobre o mundo, a vida, a sociedade, deixando esse cuidado aos cientistas, que não têm nem tempo, nem meios conceituais para tanto.

Essa última, tem especial aplicação à prática médica contemporânea e aos “cientistas em exercício ilegal da medicina”.

Discussão - 10 comentários

  1. aleph disse:

    Caro Karl, acho que o post não foi capaz de me explicar a tal “unificação dos saberes”. Ou não teria eu entendido direito? Penso que você havia se referido há uma “fórmula matemática unificadora das ciências”, perseguida em vão tal qual o cálice do Santo Graal.Abraço!

  2. Karl disse:

    Para mim, a unificação dos saberes ou a religação, como diz Morin, é um antídoto ao neo-obscurantismo do item 4 do post, decorrente da superespecialização do item 1, que produz o ponto de vista do item 2 e o efeito do item 3.

  3. aleph disse:

    Não estou convencido, ainda. A superespecialização é “só” deletéria? Não há nada de positivo? Ainda acho que a unificação é parceira da utopia socialista…

  4. Karl disse:

    Não se trata de um juízo de valor sobre a superespecialização. É fato, entretanto, que ela não dá conta de muitas explicações, principalmente quando é necessário integrar várias áreas do conhecimento.Poderia, caríssimo Aleph, esclarecer-me a relação entre unificação dos saberes e utopia socialista?

  5. aleph disse:

    Ambas as idéias são utópicas!

  6. Karl disse:

    Caro Aleph, quero crer não estejas a confundir utopias com utopismo. A interdisciplinaridade, sabes tanto quanto eu, é uma das grandes dificuldades da medicina contemporânea. Um discurso democrático entre as especialidades médicas e destas com o paciente seria extremamente benvindo, por mais utópico que possa parecer aos nossos olhos hoje em dia.

  7. Alessandra disse:

    Como o link para o livro do Morin não funciona mais, será que vc podia fazer a gentileza de informar qual o título? fiquei interessada. obrigada.

  8. Karl disse:

    Mil perdões, Alessandra. Já corrigi. É o “Ciência com Consciência” do Morin. Saiu pela Bertrand Brasil. Obrigado pelo comentário.

  9. Alessandra disse:

    por incrível que pareça, eu tenho esse livro. Percebi que preciso fazer uma nova leitura. obrigada!

  10. Karl disse:

    Essa citação está na página 17 e foi desenvolvida na página 79. O livro é muito bom mesmo e ao procurar as citações, já me perdi nas releituras, hehe. Obrigado

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM