Propofol

Medicine Man by Jason Freeny at Street Anatomy

Talvez uma das situações que mais assuste um médico seja ficar doente. Ironia das ironias, o advogado processado, o mecânico com o carro quebrado e o médico doente, são arquétipos que sempre são invocados seja, para lembrar do humano em nós, seja para exemplificar o famoso “casa de ferreiro…”
Em nosso meio, Drauzio Varella fez um importante relato por ocasião da febre amarela que quase o matou. Eu, no pós-operatório de uma cirurgia nasal simples, mas cuja anestesia geral foi necessária, fico pensando nos pequenos atos que fazem com que nos sintamos bem em situações de estresse: o circulante da sala – profissional encarregado de auxiliar os médicos durante o ato cirúrgico – se apresentou a mim e disse que ia acompanhar minha cirurgia. Um grande sorriso no rosto, logo o reconheci. Ele havia trabalhado na limpeza da UTI do mesmo hospital, meu habitat natural. Com alguns cursos e concursos, galgou a posição que agora ocupa e pareceu-me feliz.
Por alguns momentos, fiquei orgulhoso ao mesmo tempo em que me vieram a cabeça todas as novas diretrizes corporativas com as quais as instituições bombardeiam os “colaboradores” e reconcluí, nostalgicamente, que uma instituição não é feita de diretrizes mas, de pessoas que deveriam seguir diretrizes. Então, recebi 2 mL de fentanil (um derivado 60 vezes mais potente que a morfina) e tudo começou a girar. Não me dei por vencido e segui falando de um assunto que não necessita muita massa encefálica (pois a minha já estava bastante comprometida a essa altura): FUTEBOL.

Devo ter deixado o anestesista nervoso porque, da rotação em velocidade constante que estava, fiquei surdo e passei a uma penumbra que progressivamente foi tomando conta da minha consciência e tudo, finalmente, sumiu. Propofol é uma beleza. Sentir-se em casa ao lado de amigos, também.

Discussão - 6 comentários

  1. Aleph disse:

    Caro Karl,
    você já se perguntou qual a razão de tamanho receio dos médicos se tornando pacientes? Acho que as respostas não são muito confortadoras…
    P.S.: Há um erro grave no post. O link “FUTEBOL” está errado. Se quiser, é só linkar este:
    http://br.youtube.com/watch?v=24fao-yo0hk

  2. maria disse:

    os médicos se assustam quando ficam doentes. e nós meros mortais, para quem cada aparelho da sala de cirurgia é um mistério, e os rostos atrás de máscaras são impenetráveis e irreconhecíveis?!?

  3. Karl disse:

    É um outro tipo de medo, Maria. Fico pensando se na verdade todos esses “medos” não convergiriam para O único medo. Mas o fato é que nada melhor que deitar na maca para vermos o outro lado.

  4. Tenho muita sorte que toda vez que preciso deitar numa mesa cirúrgica é meu pai quem aplica a anestesia!

  5. Karl disse:

    Putz. Isso é bom e ruim, Felipe. Acho que ele só fica lá até você dormir. Depois deixa um colega de confiança cuidar de você. Abraço

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM