Sala de Espera

Proponho um exercício ao meu seleto grupo de leitores.

Imagine que você está muito doente e que lhe indicaram um médico(a) muito bom (boa). Você não o(a) conhece e vai ao consultório dele(a) pela primeira vez. Na sala de espera, a secretária chama você e o(a) acompanha até a sala dele(a). A expectativa cresce, pois você se defrontará com uma figura na qual deposita muitas esperanças (talvez todas!) e mal conhece.

A pergunta é: Qual é sua expectativa quanto a aparência desse médico(a)?

A pergunta é sobre a aparência mesmo. Primeira impressão. Não importa o quanto o médico(a) se revele competente depois. Estamos falando da simples e crua aparência externa do médico(a). Tente imaginar qual figura preencheria suas expectativas mais pessoais. Detalhes como idade, tipo de penteado, brincos e tatuagens (ou a ausência deles) seriam benvindos.

Discussão - 18 comentários

  1. Kim disse:

    Um homem de quarenta anos, talvez japonês, vestindo roupa branca e sem jaleco. Ah, sim, e um sorriso profissional.

  2. Sibele disse:

    Mais uma perguntinha capciosa do Karl…
    E me lembra um outro post dele, mas com o escopo invertido.
    Muito lisonjeiro o “seleto grupo de leitores”… 😉

  3. Mori disse:

    Para mim, estereótipo de médico mesmo. Meia-idade, cabelo meio grisalho, sem brincos ou tatuagens. Este primeiro resultado do Google Images é bem o que imagino mesmo:
    http://www.best-local-doctors.com/Local_Doctor/medical_doctor.jpg
    Claro que é só estereótipo…

  4. Gabriela T. disse:

    Branco, 1,75 metro, cabelos cheios e brancos, uns 50 anos, sério(mas sorri quando eu entro),com marcas de expressão ao redor da boca e rugas nos olhos(que por sua vez, são pretos). Veste um jaleco branco, camisa branca e calça jeans, sapato marrom.

  5. Daniel M. S. disse:

    Fecha com o que o Mori postou, só talvez um pouco mais velho e cabelo um pouco mais grisalho…
    Ps: Fiquei pensando o quanto somos preconceituosos… Não gosto disso >.

  6. dra_lulu disse:

    pow Karl…porque estereótipo dO medicO??? eu nao sou nada o estereotipo: mulher, baxinha ,nao uso branco jamais, sempre jaleco e tenis.. não da pra correr dentro do hospital de saltinho, sem se estabacar no chão ou se atrasar ou arrebentar o joelho…uma vez tentei ir de calça social, camisa de linho, mocassim italiano e protagonizei cena antológica ao correr pra atender uma parada…
    mas minhas decepcçoes com mulheres bonitas e jovens sao muitas, no que se refere a consultas pessoais minhas…
    ( eu de paciente). Meu medico é homem, 50 anos, arrumado, de camisa e gravata com jaleco =) e eu vejo ele a CADA 6 MESES =)

  7. Aleph disse:

    Meu padrão: em torno de 35-45 anos, pouco cabelo, bem penteado (com gel, por exemplo), jaleco branco, jeans NUNCA, gravata italiana, 1,78m, olhos claros, sorri quando necessário, palmeirense. Acho que é isso.

  8. Blog Mallmal disse:

    Eu sou médico, portanto suspeito…
    Espero um cara na faixa de uns 40 anos, de preferência que não seja muito “frienly” nem muito pessoal. Quero que dê respostas diretas e não faça perguntas completamente desnecessárias. Quero que, quando confrontado (suspeito, lembra?), produza respostas rápidas e críveis.
    Acho que é isso.

  9. Chloe disse:

    mais de 50 anos, cabelos grisalhos, oculos.
    já passei por essa situação e confesso que fiquei bem decepcionada quando vi uma médica jovem…
    : |
    C.

  10. Igor Santos disse:

    Irei contra todos os comentários acima e direi que meu ideal de médico é um sujeito novo, recém-saído da universidade, doido para colocar em prática anos de estudo e assumir, enfim, a responsabilidade por isso, sem alguém olhando por cima do seu ombro.
    Um médico jovem, empolgado, atualizado, que lê muito e sabe a importância de uma batidinha no abdome e uma puxada de pálpebra.
    Quanto mais estetoscópio no pescoço e esfigmomanômetro no bolso melhor.
    Na minha cabeça, quanto mais velho o médico, mais antiquados os seus métodos, chegando numa zona dos formados entre dez e vinte anos atrás para os quais “pedir exame” é sinônimo de “examinar”.

  11. Não pensei em nenhum estereótipo mas sei explicar a razão: fui vítima desse preconceito da “primeira impressão” no meu ano de estágio em clínica… isso que dá parecer mais novo! Pelo menos me serviu como motivação extra para competência! 🙂

  12. Renata Ferreira disse:

    Complexo. Se alguem me indica um médico (ou médica) que considera bom eu sempre vou pensar em uma pessoa de meia idade. Mas, por outro lado, eu provavelmente faria cara feia para a pessoa que me indicou, pois pessoa de meia idade me remete a alguem parado no tempo, que não esta nem aí para publicações mais recentes na área. Então acho que alguem que fugisse desse padrão de qualquer forma seria do meu agrado =P

  13. Rudolf disse:

    Para mim importa muito mais o jeito com que o médico fala comigo do que a aparência. Já fui atendido por medicas bonitas e senti estar recebendo bom tratamento com umas e não com outras. O comportamento e o modo como ele(a) fala é o mais importante. Eu sempre faço um tipo de entrevista com o médico, fazendo perguntas sobre a doença. Com muitos me senti enganado: o cara ou a moça não sabiam muito mais do que eu. Pela minha experiência, quando o médico não consegue explicar direito o que está acontecendo e porque está acontecendo e só dá uma receita de tratamento “convencional”, é melhor procurar outro. Já me ferrei algumas vezes assim.
    Sobre roupas, não me importa muito. Melhor que esteja com roupas neutras. Quero dizer, sem muitos enfeites ou adereços exóticos. É preciso tb passar uma ideia de limpeza. Para mim branco não necessariamente passa uma impressão de limpo, mas creio que a maioria das pessoas acredita na limpeza do branco. Então, por isso, acho que os médicos que andam jaleco na rua queimam o filme da profissão. O cara anda de jaleco no onibus e depois vai atender pacientes no ambulatório?!

  14. maria disse:

    uns cabelos brancos é bom, não dá pra confiar a vida a alguém que não viveu que chegue (e já não deu suas erradas). roupa, tamanho e adereços não importam muito desde que: seja limpo/a, com ar saudável e não pareça dar importância demais à aparência. um brilho de interesse no olhar, que sugira uma disposição para encarar desafios sem entregar respostas prontas.
    quando penso nos médicos a quem confiei minha vida sem hesitar, tem homem e tem mulher; vai de 40 a 65 anos, mais ou menos; não lembro se jaleco roupa branca ou que mais; baixo e alto; magro e não.

  15. André Souza disse:

    Esteriótipo é coisa séria…Se vc quisesse criar uma marca como a “Coca-Cola”, ou criar uma campanha publicitária e lhe fosse indicado alguém, como seria a cara do(a) sujeito(a)? Se vc tivesse um problema com uma rede de computadores e lhe fosse indicado “a pessoa” pra resolver este tipo de problema, como ele seria?
    Eu tento pensar como um cego…Só vou ter alguma expectativa da pessoa qd ela começar a falar…Quanto a aparência em si, é como o consultório: Vc se importa se vc reparar uma carranca de madeira no canto da sala? ou alguam outro bibelô sobre a mesa?

  16. Claudia Chow disse:

    Nao consegui criar nenhuma imagem! Cruzes, to mals de imaginação, né? Mas sei la, nao crio esse tipo de expectativa. Fico mais ansiosa pra ser atendida logo do q pra saber qual vai ser a cara da pessoa.

  17. Karl disse:

    As respostas estão sensacionais. Me dou por satisfeito (principalmente agora, depois do #mori revelar minha foto na internet, hehe). Vou encerrar os comentários aqui e continuar no novo post. As perguntas ainda não acabaram.

  18. […] Entretanto, os crimes praticados em especial por médicos têm um peso social muito maior dada a imagem que ainda resguardam no cotidiano das pessoas. O que acaba chocando não é o crime em si, já que, desgraçadamente, é […]

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM