O Bumbum de Gisele

http://images.askmen.com/galleries/model/gisele-bundchen/pictures/gisele-bundchen-picture-4.jpgNormalmente, as doenças são associadas ao feio ou mesmo à repugnância. Essa semana, me fizeram uma pergunta muito interessante. Haveria alguma doença ou anomalia que pudesse causar um efeito esteticamente mais agradável? Que desafio! Pensei várias coisas. A doença de Addison e a hemocromatose dão uma coloração bronzeada à pele – a la Índia – que me pareceu interessante, mas insuficiente para um efeito estético de impacto. A anorexia nervosa perdeu muito de seu apelo estético na era pós-AIDS. Mesmo as modelos, mudaram o protótipo de seus corpos depois dela. A própria Gisele Bündchen… ops, sim, Gisele! Acho que tenho uma resposta!

Gisele Bündchen é a top model mais badalada do mundo. Quando surgiu, me lembro de avaliações dizendo que seu sucesso era devido ao fato de não ser tão magrela quanto as outras e ter, digamos, seios e glúteos mais fartos que suas concorrentes. Quanto aos belíssimos seios, nada a dizer (só a suspirar…). Quanto aos glúteos, bem, acho que podemos revelar alguns segredos da top.

Gisele tem uma pequena deformidade da coluna lombar chamada lordose. A lordose e a cifose são acentuações de curvaturas normais da coluna vertebral, como mostra a figura ao lado. (Ver interessante post sobre as vantagens evolutivas da lordose nas mulheres no RNAm). Além disso, para desfilar e posar, ela exagera essa curvatura, dando ao seu quadril e bumbum um aspecto, digamos, bastante agradável ; ), como mostra a figura. Repare (se conseguirem), que a coluna lombar desenha um sulco bastante profundo nas costas da modelo. Os ombros jogados para trás facilitam essa postura e, sua viradinha na passarela, uma de suas marcas registradas, é clássica nessa posição.

Entretanto, a lordose é uma deformidade que se for muito acentuada é passível até de correção cirúrgica pois pode dificultar a marcha. Essa foto ao lado (), mostra uma menina anormalmente magra com uma acentuada lordose. Note como, mesmo sendo muito magra, o bumbum fica empinado. O inconveniente dessa postura é que, mesmo a menor gordurinha abdominal, faz aparecer uma barriguinha indesejável. Mas, convenhamos. No caso de Gisele, é difícil prestar atenção nesses detalhes.

Com essa estória, acabei por refletir sobre a relação entre deformidades anatômicas e beleza. As formas curvas e sinuosas sempre foram associadas à feminilidade e a beleza. Ao avaliar a primeira foto de Gisele acima lembrei de uma outra, também um modelo feminino. Numa época em que as mulheres bonitas eram bem mais rechonchudas do que os padrões de beleza exigem hoje, Sandro Botticelli pintou o quadro “O nascimento de Vênus” (mais ou menos em 1485). Quem vê o quadro todo, a leveza dos tecidos, a harmonia das figuras e a extrema beleza da Vênus, não se dá conta de seu pescoço extremamente alongado e do descaimento absurdo de seus ombros. Esse tipo de deformidade é visto em pacientes que se submeteram a um antigo procedimento para tratamento de tuberculose – a toracoplastia – e, garanto-lhes, não é nada bonito. De onde Botticelli tirou esse tipo de postura? Baseado no que, pôde ele combinar a anatomia levemente deformada de várias partes do corpo para criar um padrão de beleza único? E por que achamos que uma mulher de pescoço comprido e ombro caído, e outra, com uma deformidade na coluna, são tão belas?

O Nascimento da Vênus – Sandro Botticelli (cerca 1485)

Conclusão: se nem todas as doenças e/ou deformidades são associadas a feiúra; o imperfeito, o anormal, o incomum também podem gerar o belo. Se é possível ver o belo na imperfeição é porque “beleza” é diferente de “perfeição anatômica”. Então, é isso que Gisele me ensina como deusa estética que é! Peço então, que os deuses e deusas da medicina me ensinem sempre a ver o ser humano para além da doença. Me ensinem também já, se não for pedir muito, a desfocar meus olhos das repetições supernormais da vida de modo que eu possa compreender a fúria luxuriante de uma redenção estética da humanidade e não me deter na sua anêmica e total falta de sentido.

Atualização

Tive que trocar a foto da menina porque o site original saiu do ar (2x)

Discussão - 44 comentários

  1. Igor Santos disse:

    “Há mais em um ser humano do que o conjunto de suas deformidades.”

  2. Aleph disse:

    Karl,
    não consegui ler o post, mas em compensação vi as fotos muito bem…

  3. Likan disse:

    Post genial!
    parabens!

  4. Sibele disse:

    Karl, seu apelo aos deuses e deusas da medicina deve ser com todo o fervor possivel, pois o peso da formação cultural conformando-nos à estética é opressivo.
    Também poderiamos citar as mulheres-girafas de Mianmar (antiga Birmânia) e da Tailândia, e os pés de lótus das antigas chinesas, tradição hoje felizmente abandonada (mais aqui.)
    No caso de Gisele, claro está que o determinante estético foi a “digamos” preferência masculina por proeminências glúteas femininas…

  5. Excelente post Karl, acho que um dos que mais gostei nos últimos tempos, de verdade.
    Essa discussão sobre as diferentes percepções de beleza sempre me atraiu muito (trocadilho?). Ainda mais vendo uma discussão como a sua, e traçando um paralelo com pesquisas que apontam que as pessoas que consideramos ‘mais belas’ possuem maior simetria entre as duas metades do rosto, por exemplo.
    Além disso, podemos pensar em tribos indígenas que alongam seus pescoços, perfuram seus lábios, orelhas, etc (como muitos ‘ocidentais alternativos’ também fazem atualmente)… e, lógico, com as gordinhas da Idade Média e de Boticelli 😉 (que ainda são adoradas por muitos, diga-se de passagem, apesar de todos os ‘modelos prontos’ de beleza que tentam enfiar pela nossa goela abaixo).
    Enfim, como sempre, ‘a beleza está nos olhos de quem vê’. O que nos falta, em muitos momentos, é ter a hombridade de assumir que se gosta de algo que não se enquadra nos ‘padrões de beleza’ vigentes.
    Apesar de eu, como qualquer ser humano, sonhar de vez em quando em passar óleo de massagem naquela lordose da Gisele, huehuehuehue.

  6. Claudio disse:

    Karl, acho tuas considerações muito apropriadas.
    Os psicólogos evoluciónarios podem ajudar a elucidar esta questão. Pensei em outras hipóteses: p.ex seios fartos podem indicar maior possibilidade de aleitamento da prole e provavelmente sobrevivência da espécie, além disso nossa oralidade inconsciente(talvez nem tanto) e primeva faz com que os machos humanos adorem fêmeas com belas e poderosas mamas(todo cirurgião plástico conhece bem este apelo erótico), a lordose da Gisele, que foi muito bem lembrada por ti, acentua o quadril da modelo, que inconsciente indica uma maior probabilidade de parto vaginal bem sucedido, portanto, bingo! maiores chances de sobrevivência da prole. A diferença, o singular, nos atraem provavelmente porque indicam genes bem diferentes dos nossos, e podem imaginar, novas combinações de trocas genéticas, menos chance de alelos recessivos associados a doenças se manifestarem.
    Nietzche sugere alguns critérios de atratividade de uma mulher, a primeira, óbvia, é a sexual, pela beleza, sinais de saúde, depois…uma boa conversa! Segundo ele, as mulheres para um relacionamento mais duradouro devem ser escolhidas entre aquelas que gostaríamos de conversar por longas horas…pois se tudo der certo, a conversa pode durar uma vida.
    Ab., Cláudio

  7. Mori disse:

    Linkei no Sedentário 🙂
    No 100nexos também postei uma série sobre terríveis mulheres-aberrações. São imagens fortes:
    http://scienceblogs.com.br/100nexos/2008/11/a-horrvel-mulher-aberrao-mutante.php
    http://scienceblogs.com.br/100nexos/2008/11/a-horrvel-mulher-aberrao-mutante-o-retorno.php
    Ainda havia alguns posts para a série, com casos terríveis de heterocromia.

  8. Rudolf disse:

    Talvez possa parecer que estou saindo do assunto, mas acho que tem tudo a ver com o último parágrafo do post.
    Na engenharia, um produto fabricado em massa é considerado de qualidade quando a dispersão de certos valores necessários para sua funcionalidade ou apelo comercial (como comprimento, planicidade, densidade, tom de uma cor, pH etc.) é baixa. Isso facilita, por exemplo, que na montagem das portas de um carro, qualquer porta se encaixe, e feche, bem em qualquer carroceria da linha. Então é isso que os projetistas e os engenheiros de produção perseguem diariamente na indústria. Assim, a maioria dos carros deixam a montadora funcionando perfeitamente, dentro de um certo grau de incerteza, de acordo com o projeto.
    Entretanto, na natureza os seres vivos e os objetos com os quais os seres interagem são logo de cara “imperfeitos” ou distintos, mas mesmo assim tudo funciona (e bem!). Estou pensando é que poderia haver um enviesamento cultural que faça os engenheiros gastarem mais com o controle de algumas medidas, que o necessário somente para satisfazerem uma estética de produtos idênticos. Esta estética seria possivelmente a mesma que faz com que muitas pessoas realizem cirurgias plásticas para se parecerem com um ‘modelo’. Também poderia ser o que define a perfeição anatômica ou onde fica a fronteira entre a variação anatômica e a doença.

  9. Rudolf disse:

    Culpa de Platão?

  10. Anita disse:

    Parabéns pelo post, sua associação de exemplos foi excelente para o entendimento do tema discutido. É intrigante e filosófico pensar a doença como origem de uma beleza legitimada pela sociedade.
    O toque sutil que nos faz de diferentes a belos também pode ser uma doença, então, o que está errado? os padrões de beleza, ou nosso olhar que os definem?

  11. Claudia Chow disse:

    Ué, os fãs da Gisele nao chegaram aqui ainda? Aguarde eles sempre aparecem e vão te xingar pq vc falou q ela tem uma doença! hahaha

  12. Karl disse:

    Toda vez que eu escrevo um post assim, fico com aquela dúvida de se as pessoas vão entender e captar as ideias que tentei passar. Agradeço os comentários e principalmente por entenderem o que escrevi. Obrigado.

  13. ana disse:

    na verdade, a Gisele teve esculiose, conforme disse à apresentadora ellen degeneres. não sei se também tem lordose.. mas parabéns pelo post! entendemos muito bem o que você escreveu!
    ps: sou fã da gisele e não estou te xingando por falar que ela tem uma doença, certo cláudia? mas em uma coisa você estava certa.. nós fãs sempre aparecemos =D’

  14. Paula disse:

    Impressionante! A beleza da Vênus é tamanha que nem tinha me dado conta do pescoço ou dos ombros… Ponto pro Botticelli.

  15. defer disse:

    Putz Excelente post!
    parabens!

  16. Quando li o cabeçalho do post pensei imediatamente em Síndrome de Williams, em que os indivíduos afetados apresentam uma expressão facial de alegria, devido à uma má formação da face. Com isso têm-se a impressão de que eles estão constantemente felizes, de bem com a vida. Costumam também ter uma afetividade mais pronunciada e alguns têm muita aptidão musical…

  17. wilson silva disse:

    Que bom que um médico tenha esclarecido uma coisa que meus olhos sempre perceberam. Ou alguém acha que aquela curvatura na coluna é normal? Se ela continuar assim, vai acabar morrendo afogada durante uma chuva? E as outras mulheres sabem disso, ou nunca prestaram atenção nas caronas dos motoqueiros, principalmente as que estão de shortinho: arrebitam tanto as poupanças que quase que se apoiam somente nos estribos das motos. Mas que a Gisele é Gisele, não sou eu quem vai negar. Da primeira foto que vi (em 1994).

  18. Diego Ramon disse:

    Mto legal o post!
    mas soh pra constar, axo mto divertido ler os comentarios dos Pseudo-intelectuais ahhahaha eles são tão inteligentes e rebuscados em seus coments mas sempre deixam passar bizarrices..
    Desta vez oq passou foi o fato da LORDOSE n ser uma doença… todos nós temos Lordose, se n tivermos ai sim é uma “doença”, que seria retificaçao de cervical o lombar, que seriam as áreas da coluna onde temos essa curvatura FISIOLOGICA chamada lordose.
    Oq nossa querida e linda amiga Gisele tem é a HIPERLORDOSE LOMBAR q tbm n seria uma doença, é apenas uma alteração postural ou estrutural que pode provocar lesões a curto/longo prazo… ou n!
    sem mais,
    Diego Ramon.

  19. Karl disse:

    Sindrome de Williams é uma boa lembrança, Aninha. Se Gisele tem escoliose – um desvio lateral da coluna – eu não sei, Ana. Agradeço os elogios – imerecidos – mesmo de quem não leu o post com o devido cuidado. Obrigado.

  20. Sibele disse:

    Pode acontecer de a leitura ser com o devido cuidado, mas a interpretação ser mesmo diferente da sua concepção original.
    Vc mesmo admitiu que “toda vez que escrevo um post assim, fico com aquela dúvida de se as pessoas vão entender e captar as ideias que tentei passar”.
    Se vc chega à conclusão que houve leituras sem o devido cuidado, então vc não conseguiu passar as ideias que queria, Karl.

  21. julio cezar disse:

    so digo uma coisa nao li pq tenho preguiça de le essa bagaçera toda

  22. Karl disse:

    Em que pese a força de seu argumento, não está escrito no post que a lordose é uma doença. A nomenclatura médica não tem o mesmo rigor da nomenclatura química e há quem diga que lordose é a curvatura normal, há quem diga que é a patológica, e hiperlordose uma redundância resultante de vício de linguagem. Exemplo da National Library of Medicine, de onde vem o Medline: http://migre.me/cpAX . No mais, cuidado, porque você também acaba sendo uma “pseudo-intelectual” 😀

  23. Sibele disse:

    Nunca me arroguei ser uma intelectual, então não se cogita o pseudo. Sou uma padawan! 😛

  24. Karl disse:

    Ou pseudo-padawan, como queira…:P

  25. Sibele disse:

    “Gisele tem uma pequena deformidade da coluna lombar chamada lordose. A lordose e a cifose são acentuações de curvaturas normais da coluna vertebral, como mostra a figura ao lado.” (Parágrafo 3, linha 1-2, grifo meu)
    Talvez a confusão esteja aqui, Karl. “Deformidade” é, sim, entendida como doença.

  26. Karl disse:

    Então, tá. Me desculpem se assim entenderam outros mais. Mas são coisas bem diferentes.

  27. Sibele disse:

    Hehehe! (Tirar o Karl do sério é diversão! :D)
    Enfim: o link do MEDlars onLINE não abre… 😛

  28. Karl disse:

    Era o ponto. Já corrigido. Obrigado.

  29. maria disse:

    gostei. sempre achei que perfeição não está com nada. e também nunca tinha notado os ombros caídos da vênus! bela reflexão, karl, como sempre.

  30. joão disse:

    é hiperlordose lombar
    uma curvatura compensatória e patológica que causar ou não sequelas.
    lordose é uma curvatura normal que todos nós temos assim como, as curvaturas cifóticas para distribuir o peso na coluna.

  31. Karl disse:

    João, obrigado pelo comentário. Entretanto, há uma confusão entre curvatura lordótica ou cifótica e as degenerações cifose e lordose. Reproduzi integralmente abaixo, o texto que está linkado acima, da NLM.
    Lordosis
    Lordosis is an increased curving of the spine.
    Considerations
    The spine has three types of curves:
    * Kyphotic curves refer to the outward curve of the thoracic spine (at the level of the ribs).
    * Lordotic curves refer to the inward curve of the lumbar spine (just above the buttocks).
    * Scoliotic curving is a sideways curvature of the spine and is always abnormal.
    A small degree of both kyphotic and lordotic curvature is normal. Too much kyphotic curving causes round shoulders or hunched shoulders (Scheuermann’s disease).
    Too much lordotic curving is called swayback (lordosis). Lordosis tends to make the buttocks appear more prominent. Children with significant lordosis will have a significant space beneath their lower back when lying on their back on a hard surface.
    If the lordotic curve is flexible (when the child bends forward the curve reverses itself), it is generally not a concern. If the curve does not move, medical evaluation and treatment are needed.
    Seja bem-vindo ao Ecce Medicus.

  32. joão disse:

    se alguem tiver interesse em buscar mais procure por artigos de cinesiologia sobre coluna é o referencial mais atualizado sobre o assunto.

  33. Karl disse:

    Infelizmente, a nomenclatura anatômica e a clínica nem sempre concordam, como já disse, João. Fique à vontade para deixar uma referência específica que apoie sua afirmação. Todos lucraremos. Abraço

  34. João Luís disse:

    Que lordose linda tem a Gisele. hehehe

  35. nha disse:

    lordose pequena até vai.
    mas pega uma escoliose parecida com a minha, que uso colete a mais de um ano…doi
    a beleza dói.
    hsusahu

  36. Luiza disse:

    Olá, Karl! Vejo seus posts e acho ótimos. Mas, gostaria que você comentasse quando puder sobre o Ato Médico. Qual a sua visão com relação a todas as profissões e a medicina.
    Att,
    Lu.

  37. Sibele disse:

    Bem pertinente o comentário da nha: e a dor física envolvida nessa patogenia?
    Entendendo que Gisele, para acentuar o objeto mesmo definido como aquilo que se oferece à vista, que afeta os sentidos (principalmente na nossa cultura), com o intuito de obter vantagens em seu métier como modelo de passarela, objeto este em que desafortunadamente a natureza não lhe foi favorável, então, num mecanismo compensatório, deliberadamente a modelo força a postura, desde tenra idade (dado que ela começou nova sua carreira), levando à seguinte questão: a etiologia dessa lordose é natural ou artificial, alavancada pela estética? E independentemente da causa, envolve sofrimento físico? Dói?
    Lembrei também que a modelo recentemente declarou-se grávida. Fazendo ilações com o ótimo post do RNAm indicado aqui, ainda surge a questão: essa lordose da modelo, se realmente artificial, determinada pelo mecanismo compensatório levado a cabo por longos anos durante sua carreira, será afetada ainda mais pela gravidez? Doerá? Pobre Gisele.

  38. Fernando disse:

    Interessante expostular sobre a doença e a noção de beleza vigente. Com certeza os espartilhos deviam ser uma fonte de futuros problemas às mulheres que os usavam – e outras que ainda insistem em usá-lo, sem bem que em número extremamente reduzido atualmente.
    A concepção anoréxica tb é interessante. Já os homens… hoje sofrem maior pressão pra se adaptarem a um novo conceito estético masculino. Mas, enfim, que nós possamos olhar além da doença – e mesmo da (suposta) sanidade de todos os indivíduos, pacientes ou não!
    \O/ belo post

  39. Igor Santos disse:

    Eu resolveria o problema da nomenclatura substituindo Gisele tem uma pequena deformidade da coluna lombar chamada lordose por Gisele tem um leproseu.

  40. livia disse:

    Olha só para uma breve correção, sou estudante de fisioterapia, e o termos certo é HIPERLORDOSE LOMBAR, pois a LORDOSE é uma curvatura fisologica da propria coluna vertebral, ao contrario da citada a cima que é patologica…

  41. Karl disse:

    Obrigado pelo comentário, Livia. Gostaria que vc lesse os comentários 31 e 33. Fica o convite para deixar a referência. Valeu.

  42. […] As curvas lordóticas se referem à curva feita para dentro da espinha lombar (logo acima das nádegas). A curva lordótica acentuada  tende a fazer com que as nádegas pareçam mais proeminentes e o abdômen também. Se até a Gisele Bündchen tem… […]

  43. Filipe Mosca disse:

    Uma pena que parou de postar

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM