Sindrome do Coração Partido e as Chagas do Coração

Essa é mais uma daquelas situações improváveis, mas que teimam em existir. Poderia uma emoção muito forte causar uma alteração cardíaca tão grave capaz de levar um indivíduo à morte? Não estou falando de arritmias. Alterações elétricas do coração podem fazê-lo perder seu ritmo regular e, eventualmente, produzir uma situação onde há, de fato, uma parada cardíaca. Arritmias podem ser causadas por uma série de fatores, inclusive traumas, distúrbios eletrolíticos, drogas e também emoções. Mas falo aqui de alterações anatômicas, detectáveis por exames como o ecocardiograma ou ventriculografia realizada no cateterismo. É possível uma forte emoção causar tipo, uma insuficiência cardíaca?

Sim. É possível. E essa situação clínica é chamada de cardiomiopatia de tako-tsubo, mas que também é conhecida como  sindrome do balonamento apical transitório, cardiomiopatia de balonamento apical, cardiomiopatia estresse-induzida, sindrome do coração partido, simplesmente cardiomiopatia do estresse. Não sei se tako-tsubo se encaixaria na definição de epônimos porque não é o nome de um médico ou pesquisador. Tako-subo é uma gaiola para captura de polvos no Japão. Devido ao seu formato bojudo, acharam-na semelhante ao formato do coração de quem teve uma forte emoção e ficou seriamente comprometido (ver figura abaixo).

takotsubo.png
Esquerda. Ventriculografia mostrando grande dilatação anterior do coração. Direita. Vaso tako-tsubo.

Cardiomiopatia quer dizer, literalmente, uma doença do músculo cardíaco, no caso, sempre um tipo de enfraquecimento. Como nessa doença, esse enfraquecimento se segue a uma forte emoção – perda de filhos ou cônjuge – ela tem o nome de sindrome do coração partido. É uma causa conhecida de arritmias letais e até ruptura do ventriculo, tal é o afilamento de sua parede. A notícia boa é que, passada a fase aguda e de maior perigo, a recuperação é completa (ad integrum), sem deixar sequelas.

Recentemente, um artigo chamou a atenção para o fato de que esses pacientes podem apresentar-se em situação de choque cardiogênico, uma falência tão grande do coração, que a pressão arterial e o fluxo de sangue são insuficientes para manter os orgãos funcionando adequadamente. É grave e tem que internar em UTI. No artigo, os autores mostram diferenças clínicas, laboratoriais e ecocardiográficas nesses pacientes. Ao ler o artigo, tive uma ideia brilhante!!

Não pude deixar de lembrar das minhas aulas de patologia onde vi vários corações acometidos com a brasileiríssima Doença de Chagas.

Muitos desses corações apresentam o que os patologistas chamam de “aneurisma de ponta” (ver figura ao lado do excelente artigo do Eduardo Nogueira da UNICAMP). Esse aneurisma da ponta do ventrículo esquerdo é muito semelhante à dilatação produzida pela cardiomiopatia de tako-tsubo.

Segundo o saudoso professor Köberle da USP de Ribeirão Preto, a explicação para o aneurisma da ponta nos chagásicos é um desbalanço entre os sistemas nervosos autonômicos simpático e parassimpático. As terminações parassimpáticas desaparecem do tecido miocárdico e há uma hiperatividade simpática, “suficiente o bastante para causar lesões miocárdicas”. Köberle conseguiu reproduzir o mesmo tipo de lesão em ratos injetando adrenalina, o hormônio do sistema simpático.

Minha ideia brilhante foi imaginar que a explicação para a cardiomiopatia de tako-tsubo fosse a mesma! Fortes emoções causam uma sobrecarga de estímulos simpáticos no coração e podem – por que, não? – causar uma alteração anatômica semelhante ao aneurisma de ponta da cardiomiopatia chagásica. Fiquei muito feliz com a minha “inteligência” e pensei em mandar um artigo para uma revista internacional.

Mas, como acontece com a quase totalidade das minhas ideias brilhantes, alguém, em geral, um norte-americano, já a concebeu antes de mim. E para evitar que os leitores desse blog postem a referência antes, aqui está ela e abaixo. Não ganharei medaglia porque não mereço. Ia escrever um paper. Escrevi um post. Meno male.

Figuras. Ventriculografia: Nature Medicine; Vaso: Canadian Journal General Internal Medicine.

Wittstein IS, Thiemann DR, Lima JA, Baughman KL, Schulman SP, Gerstenblith G, Wu KC, Rade JJ, Bivalacqua TJ, & Champion HC (2005). Neurohumoral features of myocardial stunning due to sudden emotional stress. The New England journal of medicine, 352 (6), 539-48 PMID: 15703419

Discussão - 25 comentários

  1. Acontece, cabra.
    Uma vez eu pensei em analisar câncer como co-evolução entre células normais e cancerígenas. Considerar tratamentos como fatores de seleção, modificando fitness dessas células. Enfim, uma rápida pesquisada no Pubmed e um filho da mãe já tinha publicado até um modelo, em parceria com um matemático, usando teoria dos jogos e uma matemática pesadíssima.
    Shit happens

  2. Chloe disse:

    Olá Karl,
    adoro essas postagens-aula de medicina!
    Claro que tem coisa que eu não entendo, mas o que consigo entender me deixa ainda mais interessada.
    Abç. ; )
    C.

  3. Sibele disse:

    Achei interessante o nome dessa doença: síndrome do coração partido. Mas não fique de coração partido, Karl! Um post é muito meritório também! E esse tem medaglia! \o/
    Por essas e outras que vemos que a pesquisa bibliográfica é importante – evita muita reinvenção da roda por aí.
    Por último: Karl, há algo errado com o link do PMID 15703419, indicado na referência de Wittstein et al. Clicando-se nele, acessa-se esse artigo abaixo, e não o referenciado:
    Robb J. Stress-Induced (Takotsubo) Cardiomyopathy. Can J Gen Intern Med 2008;3(2):58-60.

  4. Karl disse:

    Obrigado por todos os comentários.
    Sibele, você tem razão. Acho que foi o Movable Type que pegou o último link e colou ali. 😉
    Já corrigi. Obrigado pelo toque.

  5. Kim disse:

    O ponto positivo deste tipo de reinvenção da roda é que mostra que seu pensamento está a par de outros pesquisadores. Muito mais que ler e entender um artigo, você já tem a compreensão inata sobre ele.

  6. Sandra disse:

    Não há como saber se alguém já o havia concebido antes. Fato está que a idéia procede, é válida, faz sentido, é perspicaz e inteligente. Parabéns pela associação. Tenho certeza que não havia sido notada por muitos experts. 😉

  7. JACILEIDE disse:

    Gostaria de saber se uma pessoa que tem uma aneurisma apical constatada pelo eco e cateterismo.
    Essa aneurisma só vem de chagas?
    e quando o exame sorologico de chagas da negativo.O que pode ser?
    É possível ser da chagas mesmo dando negativo 2 exame?
    obrigada preciso tirar essa duvida

  8. Karl disse:

    Jacileide,
    Existem outras causas de aneurisma apical. Outro ponto é que os exames para detecção da Doença de Chagas não são 100% precisos. Mais importante é acompanhar o caso com um cardiologista. Obrigado pelo comentário.

  9. JACILEIDE disse:

    OBRIGADA POR TE TIRADO
    MINHA DÚVIDA AGRADEÇO.

  10. o ashley disse:

    seu coracao tem razao: vive no tempo do dia-mante

  11. Maria Lourdes de Carvalho disse:

    Procurando respostas pelas dores que sinto no peito,pela arritimia cardiáca e outros sintomas como falta de ar e alteração da pressão que deixa-me muito mal,sendo que nos exames ja realizados só teve alteração no eletrocardiagrama.Acredito que acabo de encontrar uma resposta,perdi minha mãe,desde então meu emocional não é mais o mesmo,ja fiz uso de remedios controlados e outros tratamentos mas não cura so amenisa.Obrigada pelo belo artigo.Abraços…Sucesso…

  12. misac sergio ribeiroo dos santos disse:

    gostaria de saber mais sobre o tratamento da sindorme do coração partido
    tenho muito desses sintomas
    dor, canssaço, falta de ar
    gostaria que me enviacem tudo que poderem
    pois fiz varios isames
    e não indicaram nada.
    obrigado desde ja por sua atenção
    Misac Sergio

  13. Marcos Neves disse:

    Acabei de pesquisar no Google pq ,exatamente hj ( 24/06/2011) minha Mãe teve o diagnóstico desaa sindrome através da realização de 1 cateterismo. Na Segunda-feira passada el sentiu-se mal e a principio pareceu ser um AVC ( ela já tinha tido um em Fev de 2010) foi internada no CTI e depois de vários exames descartou-se o AVC, passou-se então a investigar a possibilidade de outro infarto ( ela já teve 2 ) e para isso realizou-se o procedimento acima ( cateterismo) que nada constatou,chegando-se a conclçusão q realmente foi a sindrome do coração partido . Apenas para esclarecer,perdemos um ente mto querido de nossa família ,razão pela qual minha Mãe teve essa sindrome . Realmente surpreendente.Agradeço pela excelente matéria.

  14. Fabiana disse:

    “Meu coração cresce dez metros e explode” – Drummond.
    Muito além das “evidências”, né, Karl? O novo. O inesperado. A surpresa. O antes desconhecido.
    Depois, vira “evidência” (“ex-videns”, o que eu vejo de fora) e a ciência explica (“ex-plica”, tira de dentro da prega, mostra)…
    Tem síndrome mais poética – e mais doída – que esta? 🙂
    Tem um outro (micro)poema, este do Oswald de Andrade:
    “Aprendi com meu filho de dez anos
    Que a poesia é a descoberta
    Das coisas que nunca vi”
    Talvez você esteja mesmo certo, com H. Miller, e “o propósito íntimo de tal desfiguração [a literatura], obviamente, [seja] captar a verdadeira realidade das coisas e dos acontecimentos” (http://scienceblogs.com.br/eccemedicus/2010/12/vibes_linguisticas.php), né?
    Sei lá, acordei poética hoje 🙂
    bjs!

  15. joao carlos nunes passoa disse:

    Eu queria saber mais sobre a sintrome do coraça,partido pois tive uma grande perda na vida o meu coraçao ate hoje doi de saudade e na epoca me diseram que eu tinha asintrome do coraçao partido. JOAO|.

  16. claudia disse:

    sim essa simdrome existe sim, ja passei por varias vezessssssss em hps em emergencia, e la com varios exames descobriram que e simdrome isso nao e nada bom pa a dor e muito forte, chega a pensar ser um infarto mesmo. sera quando tera cura e que medico devo proucurar. Obrigada….

    • Karl disse:

      Cláudia e João Carlos,

      A sindrome do coração partido ou Takotsubo é rara. Não é qualquer pessoa com uma decepção que desenvolve a doença. É grave. Geralmente, necessitando de internação, muitas vezes em UTI. Os médicos só conseguem fazer diagnóstico após uma série de exames, alguns invasivos, como cateterismo. Na dúvida, procurem um bom cardiologista que ele pode explicar tudo ao vivo e à cores.
      Abraço

  17. Maria de Lourdes Duarte disse:

    Passei por situação de grande “stress” e enorme emoção no dia que minha filha saiu de casa sem me avisar. Foi uma grande dor. Passaram-se 10 anos e ela não fala comigo e não diz o pq. Dói dentro da minha alma. Há um ano perdi minha mãe com quem eu tinha grande afinidade. Passei por inúmeras situações de assédio moral durante meu período de vida profissional no Serviço Público Federal na área de licitações. Nunca me corrompi e por isso sempre fui alvo de alto índice de rejeição – especialmente por ter feito Processos Administrativos Disciplinares e em nome da lei tive que relatar fatos que ensejaram demissão de dois funcionários. Com 64 anos fui fazer um “free lance” na m inha área de atuação e tive uma enormes aborrecimentos. Desde os 18 anos de idade tenho passado por inúmeras emoções fortes em função do trabalho e pela família. Tive esse problema cardíaco e tenho o LAUDO DO CARDIOLOGISTA DIZENDO QUE TIVE DUAS VEZES A SÍNDROME DO CORAÇÃO PARTIDO. Até prefiro esse nome pq, realmente, a dor da alma parte o coração. Gostaria de participar de grupo para estudo dessa síndrome. Assim, caso interesse para algum pesquisador, entre em contato. Farei gratuitamente para ajudar a ciência descobrir mais sobre tal patologia.duarte.lourdes@hotmail.com Obrigada.

  18. Tarcila Franco disse:

    Passei por isso há 2 meses, após receber um telefonema dizendo terem sequestrado minha filha. As dores são horríveis, irradia pelo braço esquerdo, na mandibula, pescoço, e mta dor no peito. Fui socorrida rápido, diziam que estava infartando. Mas depois do cateterismo contataram TAKOTSUBO, Não sou paciente de risco, tenho 56 anos, dizem q pessoas idosas q são propensas a síndrome. É dificil ter sofrido isso e não ter mtas explicações dos “porques”, o que me levou a ter???
    Terei outra vez???, por ser mto pouco conhecida não se tem mtas expicaçoes.
    Se alguem já sofreu esta síndrome e tem mais explicaçoes, favor entrem em contato comigo. tarcilaf@terra.com.br

    • Karl disse:

      Tarcila,

      O melhor que vc tem a fazer é procurar um bom cardiologista da sua confiança. Só ele, ao examinar e avaliar os exames complementares tem condição de prognosticar o seu caso.
      Obrigado pelo comentário.

  19. […] Schafer que teve a mesma ideia que eu tive, só que a publicou em 1976 (isso sempre acontece comigo!). Posteriormente, escreveu um artigo resumido citado abaixo […]

  20. Cara Da hora esse post.Meu no meu caso insonia ninguem merece, o dia seguinte

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM