DEK – Sobre Prostitutas e Próstatas

Este é mais um verbete do DEK. Agora a letra P. Consulte pela categoria para ver outros verbetes.

Vamos às definições do professor (de) português Carlos Rocha.

Próstata

«do latim científico prostata, que por sua vez vem do grego ροστάτης prostátēs, ou ‘colocado na frente de; donde, chefe, dirigente; protetor, defensor’, do verbo proístēmi‘ colocar na frente, pôr em relevo, pôr em evidência’; de pró– ‘diante, na frente’ + hístēmi ‘colocar’; assim chamada por situar-se antes da bexiga»

O câncer de próstata é o tipo de câncer mais comum entre homens chegando a atingir 20% do sexo frágil, a depender da idade. Um professor de urologia com quem tive aula disse que se chegássemos todos aos 100 anos de idade, a incidência do câncer de próstata beiraria os 100%. Não sei se essa afirmação é verdadeira, mas sei que a prevenção é o melhor remédio. Por falar nisso, ela mesma – a prevenção do câncer de próstata – está envolvida em uma enorme polêmica desde que a força-tarefa do departamento de medicina preventiva americano publicou diretrizes contra a coleta indiscriminada do antígeno prostático específico (PSA na sigla em inglês), que é o marcador desse tipo de câncer. Estudos têm mostrado sistematicamente que a detecção precoce do tumor não leva a melhor sobrevida e, pior, deteriora muito a qualidade de vida do paciente. A discussão tem sido acalorada e eu mesmo já escrevi alguma coisa sobre o assunto. Mas voltemos ao prof. Carlos Rocha.

Prostituta

«latim prostitŭo,is,ī,ūtum,ĕre ‘colocar diante, expor, apresentar à vista; pôr à venda; mercadejar com a sua eloqüência; prostituir, divulgar, publicar’, de pro– ‘na frente, diante de’ + statuĕre ‘pôr, colocar, estabelecer; expor aos olhos’, de stātus,us ‘repouso, imobilidade; atitude, postura (de um combatente); assento, situação; estado das coisas, modo de ser’, do radical de stātum, supino de stāre ‘estar’».

“Em Histórias de Palavras — do Indo-Europeu ao Português (Lisboa, A. Santos), de Ernesto d´Andrade, indica-se que ambas as palavras têm em comum os seguintes radicais:

a) *per, que é base das preposições e prefixos pro– em grego e pro– em latim;
b) *stā, «estar em pé, do qual são cognatos o grego hístēmi e o latim statuĕre.”

Pois é. Os termos (apesar de não terem absolutamente nada a ver com Alain Prost) são assemelhados e compartilham a mesma raiz. “Estar na frente” e “expor-se” transmitem ideias relacionadas. Em que pese o fato de ter sido reconhecido um orgão análogo à próstata nas mulheres, ela ainda é exclusividade do universo masculino. Universo este que as prostitutas têm uma capacidade intrínseca de captar. Aproveito uma interessante reportagem para destilar uma ideia. Sempre defendi que a sabedoria das prostitutas deveria ser melhor aproveitada por pessoas que não necessitem (ou optem por) usar o corpo para sobreviver. Uma prostituta aprende muito rápido sobre o mundo masculino. E usa isso a seu favor. Imagine você, leitor ou leitora, que precise, de qualquer forma, agradar alguém, seja do ponto de vista sexual, profissional (por exemplo, vendedores) ou simplesmente social. Se for muito incisivo, a pessoa poderá assustar. Se muito tímido, a outra pode não gostar. É preciso uma leitura muito rápida do que a pessoa quer e, muitas das vezes, nem sabe que quer. Dá uma certa insegurança, não? Como se comportar? É preciso uma sapiência, uma mistura de conhecimento, vivência, experiência, ou mesmo um tino atávico para ser, ali naquele momento específico, o que a outra pessoa gostaria que você fosse, sem que ela saiba que você sabe. Complicado.

“Exibir-se”, “estar a frente” são sinais de força e ao mesmo tempo vulnerabilidade. E poderia surgir então uma estética de onde ninguém jamais ousaria pensar que ela pudesse surgir. A estética da intuição entre a palavra e a coisa. Mas isso, está no olhar de quem vê e não nas “coisas” que se postam a sua frente.

Discussão - 2 comentários

  1. Sibele disse:

    Essa sua ideia “destilada” só tem um porém, Karl. Da mesma forma que os homens são tão resistentes ao exame de toque da próstata, por razões culturais, a maioria das pessoas é igualmente resistente à “sabedoria” das prostitutas…

  2. Rudolf disse:

    Puta velha já viu de tudo nessa vida e nada mais impressiona.
    Existe um video no youtube interessante de entrevistas com as putas da praça da luz. Chama-se 69 “Praça da Luz / 69 – Luz Square”.

    Um chefe meu, engenheiro experiênte, comparava a nossa profissão com a das putas. Ele queria tranquilizar seu estagiário, perdido sem saber se estava fazendo certo suas tarefas. Toda profissão é assim, no começo se fica perdido, depois se acostuma, e um dia não existe mais muita novidade. Já viu todos os tamanhos, todas as coisas estranhas. Nada impressiona.

    Assim como as prostitutas, a próstata também é muito vulnerável… sem isso ter nada a ver com o prostar.

    Vão se as prostatas ficam as fraldas geriátricas.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM