Mais indagações…

O comentário do Sr. Mauricio no post Empresa Sustentável? me fez pensar muito…

Ok, a idéia de ecodesenvolvimento, desenvolvimento sustentável está errada, é falsa. Na verdade isso é só um nome para o blog, quando resolvi fazê-lo não estava disponível o nome sustentabilidade aqui no blogger, portanto acabei escolhendo esse. Não significa que acredito nele incondicionalmente…

Mas a gente tem que seguir um caminho, tem que procurar uma saída para tentar resolver o imenso problema que está batendo a porta e portanto inventaram essa idéia de desenvolvimento sustentável, como inventaram a empresa sustentável e afins.

Agora o que me deixou angustiada foi ver um senhor dizendo que isso está errado e é falso. E partindo que isso é mesmo falso e errado, daqui algumas décadas as futuras gerações vão cobrar a minha geração que fizemos tudo errado ou que não fizemos o suficiente para tentar resolver esse problema. Veja só que maravilha… A minha geração sofre uma cobrança da geração anterior por uma tentativa errada de solucionar o problema (diga-se de passagem um problema causado pelas ações deles) e se essa tentativa der mesmo errado, seremos cobrados pela geração futura por não ter resolvido o problema da melhor forma!! Não é entusiasmante?

Percebi que o desafio não é apenas diminuir as emissões de carbono no mundo, diminuir o consumo das pessoas, controlar o crescimento das populações, proteger ecossistemas, temos que fazer tudo isso e fazer certo pois seremos cobrados pelas futuras gerações.

E ainda como vamos “mudar mundo” uma vez que esse discurso não é levado a sério? Porque se o desenvolvimento sustentável é falso, vamos ter que inventar um outro caminho, novo e bem diferente do que já trilhamos até aqui e vai passar por assuntos bem polêmicos e diferentes. Quem consegue imaginar um jovem hoje em início de carreira com o discurso de controle de crescimento da população, diminuição de consumo, limites de crescimento econômico e etc, conseguindo ocupar o cargo de diretor, CEO de um banco, de uma empresa de bens de consumo? Eu acreditava que por conta da mudança que quero ver esse tipo de coisa seria normal, todos teríamos esse discurso e não seria distoante do resto das pessoas, mas não é bem isso que eu vejo. As faculdades não estão formando pessoas que pensam assim, o tema ainda é tratado como moda ou mais um jeito de ganhar dinheiro e não está incorporado no jeito de ser das pessoas.

Acredito que esse papo de ecodesenvolvimento é o início, é só um maneira de começar a pensar diferente do que já se viu até agora, foi o jeito de tentar convencer pessoas da geração passada de que um outro modo de fazer as coisas é possível. Devagar (infelizmente) vamos conseguir convencer as pessoas (da geração passada e dessa geração) de mudar e pensar num compromisso com o mundo e com o futuro próximas gerações.

3 Comments

  • alexandre almeida
    11 de fevereiro de 2008 - 13:08 | Permalink

    Oi Cláudia,acompanhei os posts sobre o desenvolvimento sustentável, empresa sustentável, EcoDesenvolvimento, etc…De tudo tiro duas lições:1- Estamos num momento de crise onde novos conceitos estão surgindo, novos caminhos aparecem, cria-se novas oportunidades de mercado, etc… A humanidade evolui pq seu conhecimento evolui. E sabemos que conhecimento novo significa vantagem competitiva e isso para uma empresa soa como $$$. Então acredito que as empresas investirão cada vez mais nessas novas oportunidades e torço para que continuem fazendo isso cada vez mais, pois isso significará avanços tecnológicos, sociais e ambientais.Espero mesmo que consigam produzir sem poluir e trazendo benefício social (vide os conceitos de Capital Social).2- Acho que, justamente, por ser algo muito novo não dá pra dizer o que é certo ou errado. Então, resumindo, deixo uma frase de Nelson Rodrigues “toda unanimidade é burra”. Então precisamos parar de perder tempo com nomenclaturas e entender qual o real sentido de desenvolvimento sustentável, ecodesenvolvimento, etc…Por fim também penso que “a conta não fecha”, mas temos a obrigação de faze-la fechar. Fazer essa conta fechar é o que garante a sua sobrevivência, a minha e a do Maurício Gomide.Parabéns e Grande Abraço.Alexandre Almeida

  • Maurício Gomide Martins
    11 de fevereiro de 2008 - 22:41 | Permalink

    Prezadas Cláudia e Alexandre, Não precisam ficar desorientados. Ante uma verdade cruel, o que temos a fazer é refletir bem. Eu levei mais de 20 anos refletindo sobre os absurdos que a sistema econômico direta e indiretamente vem cometendo sobre os recursos naturais. Vejam vocês os crimes que a cultura econômica comete ao planeta; (somente informes de hoje, 11.2.2008): a) não queimem madeira (eucalipto) tratado, pois os gases resultantes matam. Progresso de poluição química! b) Minas Gerais se destacou no cenário nacional, alcançando de 8,6% na atividade industrial: Progresso na atividade poluente e no vício do consumo. c) Foram vendidos 3 milhões de carros no Brasil: Progresso poluente. d) Flagrados em 2 Estados nordestinos venda de animais silvestres em extinção. Progresso na dizimação de inocentes seres vivos. e) Apareceu numa cidade de S.Paulo uma cobra sucuri. Progresso humano na tomada do habitat dos animais. Isso só hoje, e de memória. Vocês devem saber dos crimes generalizados que são cometidos no mundo todo. Vocês sabem dos progressos mundiais que, direta ou indiretamente, são poluentes. Usa-se muito a palavra poluir. Mas para suavisar… A palavra certa é envenenar. Na China e Japão, em diversas cidades só se pode sair às ruas com máscaras filtrantes. Eu pergunto: quem é o agente dessa transformação (envenenando)?Muitos pensam que é o homem. Ele, como eu, como vocês e os demais somos levados a também poluir movidos pela CULTURA SOCIO-ECONÔMICA que é a estrutura de atual civilização. Meninos, vocês devem se informar o mais possivel e raciocinar com suas próprias mentes. Mas o esforço percebido em suas manifestações mostra que são honestos e que querem fazer algo em prol das gerações futuras. Aconselho a ler meu artigo postado hoje no meu blog “planetafala.blogspot.com”. Não deixem de ler os publicados anteriormente, principalmente o que afirma que a população mundial é de 660 trilhões (parece absurdo, mas não é – leiam). Estou a disposição de vocês. Tenho muita vivência e sou testemunha ocular e mental da história desde a década de 1930. Não escrevo mais para não me alongar aqui num simples comentário. 11-2-08 – Maurício

  • Lola
    13 de fevereiro de 2008 - 01:53 | Permalink

    Olá Cláudia,Como sempre, dei uma passadinha para ler as novidades aqui e deparei-me com “o infortúnio”.Desculpe-me, tentei conter-me, mas não consegui. Gostaria de parabenizar você por suas idéias e dizer que às vezes, algumas pessoas que se julgam totalmente certas, não estão…Vamos falar da nossa língua um pouco? No estudo da Língua Portuguesa temos várias disciplinas interessantes, algumas delas são: a Sintaxe, a Morfologia, e uma chamada Lingüística. Na gramática discutimos a forma culta e a forma coloquial, um gramático poderia dizer que uma palavra está errada perante a norma culta, mas, dentro da Lingüística o que você escutaria seria: “Não existe certo ou errado dentro de uma língua, mas diferentes formas de falar. Quando um determinado grupo de pessoas usa um determinado código lingüístico e se entende, isso passa a ser uma língua, pois há comunicação.” Um bom exemplo são as palavras que não existiam na nossa língua e hoje estão no dicionário, somente por serem muito usadas. Sendo errado ou não perante os gramáticos, se nos entendemos, estamos certos!Admiro seu trabalho e espero que continue fazendo da maneira que faz, importando-se com o que realmente é importante… Não me preocupo em procurar palavras difíceis para meu blog, pelo contrário, procuro falar de maneira mais simples possível, pois quero passar minha mensagem a todos, sem levar em conta a cultura de cada um…As pessoas poderiam aprender a elogiar o que as outras têm de bom, ao invés de apenas criticar… Parabéns pelo blog, pelo aniversário… Por sua iniciativa de tentar mudar algo e ajudar a todos… Siga em frente com seu objetivo e ignore todos os comentários de onde você não conseguir tirar algo de bom. Críticas construtivas são aceitas…Beijos.

  • Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Skip to content