6 – A importância de se estudar consumo

Se você tem uma energia preferida e está lendo este texto, você deve estar se perguntando. Será que consigo colocar a minha energia favorita em um determinado local? Por exemplo, se você é fá de uma energia hidrelétrica, você quer que ela supra uma boa porção de locais, correto? Porém, creio lhe dizer que as coisas não são assim fáceis como parecem. E este texto irá trazer um dos pontos chave para estudo de suprimento energético.

Uma das perguntas a serem feitas para a implantação de qualquer fonte de energia é se a mesma é capaz de atender as necessidades de uma determinada região. Para isto, é necessário fazer um estudo prévio desta. Um dos principais fatores é saber o seu consumo de energia. Em outras palavras, o quanto de energia é necessário para atender as necessidades do local.

Exemplo do excesso

Não sei se você ouviu esse exemplo, mas vamos descreve-lo. João precisa trazer uma quantidade de papel para um local. Foi lhe pedido exatamente uma quantia. Caso a quantia não seja suficiente, você compra um pouquinho mais, de forma a garantir que seu desejo seja atendido. Em outras palavras, o exemplo lhe aconselha a trazer sempre uma quantidade maior que o pedido. Porém, é importante ressaltar que o exemplo não fala nada em relação a sobrar. Ou seja, aonde vai a quantidade restante que não foi utilizado. Em estudos de planejamento energético (ou qualquer estudo que envolva planejamento energético ou até mesmo preservação do meio ambiente), você verá que não é bom que exista muita sobra, e por isso é importante você ter uma noção do estudo de consumo energético. É similar a ter excesso de peso, que nunca é bom para a pessoa em si. E o excesso de peso é medido em relação as medições da pessoa.

Onde encontrar dados do consumo?

Se tratando de energia, o consumo pode ser consultado em varias formas. Na maioria dos casos, é considerado o de energia elétrica. Da mesma maneira que também pode ser de energia térmica (geralmente, é medido na mesma unidade que a energia elétrica). Em todos os casos, é preciso consultar o valor correspondente, e até mesmo utilizar-se de conversões caso haja a necessidade.

Na maioria dos casos, você não vai poder perguntar a região qual é o seu consumo. Logo, é necessária a consulta destes dados em algum site para você ter uma referência.

Um bom site é o relatório da Empresa de Pesquisa Energética (EPE). Neste relatório, contém vários dados, inclusive por região. Tem dados sobre consumo de energia por fonte, quantidade de energia que uma fonte específica pode gerar, dentre outros dados. E a partir destes dados, você pode até mesmo estimar outros, como a quantidade de combustível necessária para atender o consumo de uma determinada região(2).

Outra boa referência é a do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ele é um site que mostra varias estatísticas, inclusive em questões fora da energia. O site é bom para quem quer fazer estudos interdisciplinares, além das questões energéticas, na qual o EPE é mais focado (4).

Ambos os sites são sugestões para você utilizar como “régua” para medir o consumo em seu determinado estudo. Existem muitas outras opções, até mesmo mais específicas dependendo da região que você quer trabalhar.

Menor impacto ambiental

Como visto no texto anterior, toda fonte de energia gera impacto. Não existe energia 100% limpa e que não danifique o meio ambiente. Seja para fabricação, quanto para uso continuo. Logo, quanto menor a sobra, melhor, pois isto indica que houve pouco impacto ambiental para o atendimento da demanda de energia. Logo, para estudos de implementação de fonte, o ideal é que a potência esteja bem próxima do consumo de energia. Porém, sempre um pouco acima do estimado. Pois devido à perdas, a energia não supre a sua capacidade estimada. Principalmente para estudos de termelétricas, em que exigem degradação contínua do ambiente (1).

Redução de custos

Quanto mais precisos forem os recursos para atender o consumo, menos serão as sobras. Em outras palavras, menor serão os custos para a extração destes recursos necessários. Um exemplo seria a construção de qualquer usina. Caso já tenha em mãos o valor do consumo no qual pode ser destinado, é estudado a construção de uma usina que atenda tal número. Logo, os recursos devem ser extraídos para construí-la, sendo que vários são necessários obter a partir de compras e por degradação de recursos para construção. Pode até ser que a usina atenda vários locais ao mesmo tempo, porém a potência tem que ser aproximadamente igual à soma destes. Um estudo de hidrelétricas está na referência neste texto para exemplificação (3).

Conclusão:

Para qualquer estudo de planejamento energético, é importante saber o consumo em determinados casos. Seja para estudar reduzi-lo, reaproveita-lo, ou até mesmo para colocar uma fonte de energia visando atende-lo. Para qualquer estudo de consumo de energia, redução de consumo, ou até mesmo alternativas de implementação de fontes, este dado é indispensável.

Os links para complementar os tópicos do texto estão na descrição (basta ver o número no qual ele é ligado). Bons estudos !!!

Referências:

(1) AYA, T. et al. Análise dos Impactos Ambientais na produção de Energia dentro do Planejamento Integrado De Recursos. Departamento de Engenharia de Construção Civil- Escola Politécnica- Universidade de São Paulo, v. 1, n. 1, p. 14, 2012.

(2) Balanço Energético Nacional. Empresa de Pesquisa Energética, p. 296, 2016.

(3) BALARIM, C. R. Avaliação Expedita do Custo de Implantação de Micro Centrais Hidrelétricas. 1996.

(4) Tabelas Setoriais: Energia. Disponível em: <https://seculoxx.ibge.gov.br/economicas/tabelas-setoriais/energia>. Acesso em: 20 ago. 2018.

Rafael Henrique

Sou graduado em Engenharia de Energia pela PUC Minas. Recentemente, concluí o mestrado em Planejamento de Sistemas Energéticos pela UNICAMP. Decidi dar inicio a este blog, com o intuito de abrir o espaço de divulgação científica relacionado a energia e seus temas relacionados.

Você pode gostar...

8 Resultados

  1. Penha disse:

    Parabéns Rafael, muito boa, a matéria.

  2. Mto bacana artigo Rafael. Consumir com equilíbrio é cuidar do planeta.

  1. 5 de setembro de 2018

    […] você ter lido os textos anteriores, vamos então contextualizar as lições dos textos anteriores em uma notícia. Você deve ter […]

  2. 18 de dezembro de 2018

    […] no LinkedIn, além das redes sociais anteriores (Facebook e Twitter). Você se lembra do texto número 6, em que eu relato a importância de se estudar o consumo de energia para dimensionamento de fontes […]

  3. 4 de fevereiro de 2019

    […] texto número 6, vimos que é aconselhável projetar fontes de energia para atender o consumo exato ou próximo. […]

  4. 20 de março de 2019

    […] que toda fonte de energia gera impacto em um de nossos textos. Também vimos em um outro texto a importância de se estudar consumo. Juntando estes dois temas abordados, percebemos a importância de se estudar um desenvolvimento […]

  5. 12 de dezembro de 2019

    […] além de outras consequências graves[1][2]. Tem também a ver com o texto que fiz em relação a consumo, caso queiram dar uma […]

  6. 6 de abril de 2020

    […] sistemas limpos, como a solar e a eólica. E também falamos sobre a importância de se estudar o consumo. Não podemos também nos esquecer de discutir o aumento da eficiência em sistemas […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *