25 – Como um dragão alteraria o cenário energético?

Antes de começarem a leitura, não se esqueçam de curtir o Blog nas demais redes sociais (Facebook, Twitter e LinkedIn), cuja acessibilidade é ao canto esquerdo do texto.

Primeiramente, o que acharam da nossa serie de dimensionamento de sistemas energéticos? Este texto é mais uma curiosidade sobre como alguns destes sistemas podem ser afetados caso um novo elemento existisse. Este elemento é nada mais e nada menos que um dragão.

O dragão

Muitos de vocês creio que assistiram Game of Thrones, certo? Ou se não, viram um dragão em pelo menos um filme, anime, desenho, ou em uma outra série de TV, certo?

O dragão é um animal gigante que cospe fogo e consegue destruir varias coisas, conforme as series ficcionais. Se você assistiu a última temporada de Game of Thrones, você percebe quão destrutivo um dragão pode ser.

O motivo é que o dragão dentro de si possui gases inflamatórios que após a reação com o oxigênio, gerando um lança-chamas poderoso capaz de destruir varias coisas, como cidades, armas de guerra, etc.

Indo pro aspecto científico, o dragão gera uma pequena reação de combustão dentro de si quando cospe fogo. Este aspecto é notado em um dos episódios da sétima temporada de Game of Thrones, quando o dragão é acertado com uma lança. Após o impacto, os gases inflamatórios saem, fazendo com que ocorra uma explosão dentro do dragão.

Dragões e energia

Bem, com esta explicação você percebe que o dragão é uma fonte de fogo altamente natural e poderosa, correto? Então, como que ele poderia contribuir para o cenário energético?

1 – Reduzindo a necessidade de combustíveis em ciclos de potência

Se você leu o capitulo de dimensionamento de termelétricas, percebeu que todas elas são necessários combustíveis para seu funcionamento. Isto pois estes combustíveis são necessários para que a termelétrica funcione, de forma a trocar calor com o fluido para este gerar energia através da turbina.

Com um dragão e sua capacidade de transmitir energia através de sua rajada de fogo, seria possível uma termelétrica funcionar sem um combustível renovável ou não renovável. Em um ciclo Rankine, um combustível é queimado para fornecer energia para a água para ela evapore. Com o dragão, creio que seria possível a evaporação direta da água sem a necessidade de um combustível. Obviamente, seria necessário refazer este ciclo para adapta-lo com um dragão ao invés de um combustível. A vantagem seria que não seria mais necessária a degradação do meio-ambiente para a obtenção deste combustíveis, idem a redução de custos da termelétrica (em relação a obtenção de insumos para a termelétrica).

Resultado de imagem para "no coal"

2 – Controlar a energia geotérmica

Se vocês já leram o capítulo 2 deste blog, sabem que a energia geotérmica é proveniente do calor existente da terra. Logo, para a obtenção de energia, é necessário utilizar seu calor através da água. Isto se deve pelo fato da água absorver o calor terrestre (maior detalhe na bibliografia) e conseguir atingir uma temperatura alta a ponto de evaporar, e consequentemente ser aproveitado para geração de energia. Com isto já é possível definir que esta energia é pouco utilizada e é sazonal, correto?

Com o dragão, seria possível reduzir este problema da sazonalidade. Isto pelo seu poder de combustão ser capaz de evaporar a água. Logo, se um dragão existisse, tecnologias para canalizar o calor gerado pelo dragão para a água no subsolo poderiam começar a ser elaboradas.

3 – Fim da energia solar térmica

Bem, a partir deste texto você deduziu que o dragão esta sendo utilizado predominantemente como uma forma alternativa de aquecimento da água, correto? Então, com o uso correto de seu fogo, ele poderia aquecer a água não só para uso industrial, mas para uso doméstico. Tal cenário de uso domestico é visto na energia solar térmica. Se você leu o texto sobre energia solar térmica e seu dimensionamento, você entenderá melhor. Obviamente, tecnologias para o uso do fogo do dragão para aquecimento poderão ser elaboradas, caso o uso deste animal fosse possível. Sem falar que um dragão não tem o problema da sazonalidade da energia solar.

Resumindo: um dragão poderia colocar o mercado de energia solar térmica a falência.

Conclusão

Bem, nem preciso dizer que as considerações foram em relação ao entendimento de como um dragão funciona, segundo a bibliografia deste texto. Pode ser o dragão cuspa fogo de uma forma diferente na qual os estudos mostram, uma vez que nunca houve registros de um na vida real.

Espero que com este texto tenha despertado o interesse sobre assuntos relacionados a energia. Este texto também foi uma forma de rever alguns conceitos já ditos neste blog, em especial a transferência de energia térmica (através do fogo do dragão). Os links de inspiração para este texto estão na descrição.

Bons estudos.

Fim do texto 25

Referências

HIRATA, Giselle. Como é a anatomia de um dragão? Disponível em: <https://super.abril.com.br/mundo-estranho/como-e-a-anatomia-de-um-dragao/>. Acesso em: 26 maio 2019.

RATIER, Rodrigo. O que é um gêiser? Disponível em: <https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-e-um-geiser/>. Acesso em: 26 maio 2019.

REDAÇÃO. Game of Thrones usa Ciência para explicar fogo dos dragões. Disponível em: <http://sitevolts.com.br/game-of-thrones-usa-ciencia-para-explicar-fogo-dos-dragoes/>. Acesso em: 26 maio 2019.

REIS, Pedro. Energia Geotérmica e o calor da terra. Disponível em: <https://www.portal-energia.com/energia-geotermica-calor-da-terra/>. Acesso em: 26 maio 2019.

 

Rafael Henrique

Sou graduado em Engenharia de Energia pela PUC Minas. Recentemente, concluí o mestrado em Planejamento de Sistemas Energéticos pela UNICAMP. Decidi dar inicio a este blog, com o intuito de abrir o espaço de divulgação científica relacionado a energia e seus temas relacionados.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *