30 – Debatendo o horário de verão

O que você pensa sobre o horário de verão?

Recentemente, foi declarado que em 2019 não haverá mais o horário de verão[1]. Muitos gostaram da medida, por ser algo completamente inútil e que só atrapalha a vida do cidadão brasileiro.

Porém, não é necessariamente assim que deve ser discutido o horário de verão. Essas afirmações provem de um senso comum que será mais esclarecido neste texto. Antes, peço para que curta o nosso blog nas nossas redes sociais, como o Facebook e o Twitter.

Resultado de imagem para horario de verao

O que é o horário de verão

Se você entendeu o texto sobre a Terra Plana, sabe que os raios solares incidem em diferentes intensidades dependendo do local. Esta diferença de insolação, da mesma forma que as coordenadas geográficas de um local (latitude e longitude), são o que definem os fusos horários. Logo, isto explica o porque de certos países terem uma hora diferente do Brasil, ou certos estados dentro do país possuírem horário diferente.

O horário de verão consiste em adiantar em uma hora o horário de vários locais por um curto período de tempo (número de meses). O intuito desta medida é economizar energia, pois o número de horas de funcionamento de alguns aparelhos elétricos tende a reduzir com esta medida[2][3]. Consequentemente, esta medida também tem como objetivo aproveitar melhor a iluminação do sol[4].

Ao longo dos anos, o horário de verão prova-se que reduz bastante o consumo de energia. De 2012 para 2013, a demanda foi reduzida em media 4% pelo que se registra nas regiões do país[5]. De 2016 para 2017, o horário de verão registrou uma redução de 6% na carga geral dos equipamentos, conforme o relatório do FGV Energia disponibilizado nas referências[6]. Apesar destas reduções serem pouco expressivas, elas podem ser muito significativas conforme será explicado mais adiante.

Mesmo com tais resultados positivos, muitas pessoas são contra este horário.

Porque as pessoas são contra o horário de verão?

O argumento mais comum é a questão de alteração do ritmo das pessoas. Por exemplo, um dos motivos das pessoas não gostarem do horário é porque elas irão acordar mais cedo para ir a escola ou trabalho. Outros pontos afetados são em relação ao horário que a pessoa almoça e janta, horário que a pessoa faz suas atividades, dentre outros.

Porem, tais argumentos são fracos, uma vez que rapidamente é registrado que o organismo consegue se adaptar ao horário de verão. Com os devidos cuidados, é possível que o ser humano se adapte mais rápido ao horário de verão, de forma a evitar certos efeitos negativos (como a sonolência). Um especialista nesse assunto pode te dizer isto com mais profundidade, uma vez que este blog não aborda a área médica.

Benefícios do horário de verão para o meio-ambiente e a sociedade

O horário de verão pode contribuir para a redução do consumo. A partir disto, retira-se os seguintes benefícios (de acordo com as fontes de pesquisa para esse texto).

– Redução do risco de não abastecimento de energia:

Com mais energia a ser economizada, menor sera o déficit do setor elétrico. Coincidentemente, menor serão os setores do mercado de energia elétrica a não serem atendidos.

– Redução do risco de apagões elétricos:

Como a tendência do horário de verão é economizar energia, ela sera menos circulada no Sistema Interligado Nacional. Consequentemente, isto reduz o risco de sobrecargas elétricas nos equipamentos deste sistema, de forma a reduzir o risco de ocorrer apagões. Logo, o horário de verão é uma forma de desinchar o Sistema Interligado Nacional.

– Redução de combustíveis:

Como vocês viram nos textos anteriores dos carros elétricos, a tendência é diminuir o uso destes combustíveis. Como algumas partes da rede elétrica dependem de combustíveis fosseis, a redução do consumo acarreta diretamente no menor uso destes. Consequentemente, serão menos recursos extraídos do meio ambiente (no caso dos combustíveis).

Este seja o aspecto ambiental mais importante do horário de verão. Este ponto reflete bastante no cenário do Brasil atualmente, em que é bastante necessário um melhor manejo dos nossos recursos naturais, porém não é isso que as políticas ambientais do governo estão dizendo.

Conclusão

Com estes pontos esclarecidos, peço para que você compartilhe este texto com quem ainda não gosta do horário de verão. Quem sabe ele não muda de ideia agora.

Inclusive recomendo o povo da área médica ler este texto (ou repassar para alguém da área médica) e complementar em especial em relação aos efeitos negativos do horário de verão que são facilmente explicados. Alias, recomendo que este pessoal venha ao debate público explicar estes efeitos. Da mesma forma que recomendo que outras pessoas possam vir comentar o que acha da medida do fim do horário de verão no setor energético, se foi benéfica ou desnecessária.

Referências logo abaixo e bons estudos.

Referências

[1] NETTO, André, Suspensão do horário de verão não se justifica, diz especialista, USP – Universidade de São Paulo, disponível em: <https://jornal.usp.br/atualidades/suspensao-do-horario-de-verao-nao-se-justifica/>, acesso em: 23 jul. 2019.

[2] BRETAS, Valéria, Ainda vale a pena manter o horário de verão no Brasil?, EXAME, disponível em: <https://exame.abril.com.br/brasil/ainda-vale-a-pena-manter-o-horario-de-verao-no-brasil/>, acesso em: 23 jul. 2019.

[3] JANNUZZI, Gilberto De Martino, O horário de verão: suas origens e seu propósito, Campinas: UNICAMP, [s.d.].

[4] MONTALVÃO, Edmundo, O setor elétrico e o horário de verão, Brasília: Consultoria Legislativa do Senado Federal, 2005.

[5] DOROCHE, Marcos Roberto; ANSCHAU, Cleusa Teresinha, Oferta de energia elétrica no Brasil, UCEFF Faculdades, v. 2, n. 1, p. 1–13, 2015.

[6] LAWSON, André; PEREIRA, Guilherme; WEISS, Mariana, Horário de verão: uma polêmica história, [s.l.]: FGV Energia, 2017.

Rafael Henrique

Sou graduado em Engenharia de Energia pela PUC Minas. Recentemente, concluí o mestrado em Planejamento de Sistemas Energéticos pela UNICAMP. Decidi dar inicio a este blog, com o intuito de abrir o espaço de divulgação científica relacionado a energia e seus temas relacionados.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *