32 – Racismo ambiental e racismo energético

Vocês já ouviram falar no termo racismo ambiental?

Certamente vocês ouviram falar no racismo, certo? E se sim, sabe que é um conceito que visa a exclusão de um grupo, no caso dos negros. Da mesma forma que existem varias formas de propagação do racismo, como o racismo estrutural, por exemplo.

E o racismo ambiental?

Racismo ambiental é um racismo relacionado a políticas públicas. Em outras palavras, um grupo minoritário é afetado por políticas publicas (principalmente ambientais) que prejudicam a sua vivencia em um determinado lugar. Como por exemplo, a liberação de dejetos em comunidades mais pobres, sendo estes provindos de atividade industrial urbana. Logo, este é um racismo no qual comunidades são excluídas de políticas publicas que visam o seu benefício.

Imagem extraída de uma reportagem do The Guardian

Da pra supor que também existe racismo energético?

Considerando a definição de racismo ambiental, é possível deduzir que existe um racismo energético? Pois se existe exclusão por parte de um meio-ambiente justo para grupos específicos, também pode existir exclusão de uma política energética justa para esses mesmos grupos.

Um exemplo seria a acessibilidade quanto a fontes renováveis. A energia solar já é considerada uma energia cara por muitos, em especial a sua aquisição. Logo, pessoas que tem uma melhor condição financeira podem obter essa energia com mais facilidade. Sem falar que o uso dela pode reduzir a sua conta de luz, diferentemente das pessoas com baixo acesso a esta energia.

Outro exemplo seria quanto a iluminação. Se você já passou perto de uma comunidade carente, viu que a iluminação do lugar é muito precária. Da mesma forma que raramente as casas dessas comunidades possuem um ar condicionado para ser ligado durante o calor, diferentemente de regiões mais luxuosas. Logo, a definição de racismo energético pode incluir a questão da distribuição de energia elétrica (em várias formas, como iluminação) nestas regiões, uma vez que ela é desigual em comparação à uma cidade grande.

Finalmente, o racismo energético pode estar conectado com o atual racismo ambiental. Um exemplo seria a construção de usinas hidrelétricas em áreas as quais há a existência de índios, ou outros povos nativos. Isto pois os rejeitos da construção irão impactar diretamente sua comunidade. Estendendo este racismo ambiental para o racismo energético, pode-se dizer que estão construindo uma fonte de energia nas quais comunidades locais podem não se beneficiar (caso na comunidade não haja luz ou até mesmo a possibilidade de instalação de rede elétrica), da mesma forma que ela impede a obtenção de alimentos (recursos energéticos) para sua sustentabilidade.

Lembrando que isto é uma discussão em torno do que ele poderia significar, de forma a instigar o pensamento crítico quanto a políticas energéticas e ambientais.

Conclusão

No final deste texto haverão dois artigos que discutem o racismo ambiental [1][2]. Talvez você possa aprofundar mais, inclusive sobre esta discussão sobre um provável racismo energético.

Será que você, leitor, é capaz de buscar alternativas para solucionar tanto o racismo ambiental, quanto o energético?

Imagem extraída dizendo que energia limpa não pode ser apenas para comunidades mais ricas. Isso reforça ao meu ver a teoria do racismo energético.

Referências

[1] SILVA, Lays Helena Paes e, Ambiente e justiça: sobre a utilidade do conceito de racismo ambiental no contexto brasileiro, e-cadernos CES, n. 17, 2012.

[2] ABREU, Ivy De Souza, Biopolítica e racismo ambiental no Brasil: a exclusão ambiental dos cidadãos, Opinión Jurídica – UNIVERSIDAD DE MEDELLÍN, v. 12, n. 24, p. 87–99, 2013.

Rafael Henrique

Sou graduado em Engenharia de Energia pela PUC Minas. Recentemente, concluí o mestrado em Planejamento de Sistemas Energéticos pela UNICAMP. Decidi dar inicio a este blog, com o intuito de abrir o espaço de divulgação científica relacionado a energia e seus temas relacionados.

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. 3 de maio de 2020

    […] se lembram do meu texto sobre o racismo ambiental? Espero que tenham compreendido o seu conceito, pois acredito que para um debate mais amplo, […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *