45 – Negacionismo científico a favor de combustíveis fósseis

E aí, pessoal!!

Vocês se lembram do texto aonde há uma relação entre conflitos políticos e fontes de energia? E também lembram do texto em que eu relaciono o jogo Sonic 3 & Knuckles com guerras cuja finalidade são as fontes de energia?

Esse texto de agora requer a leitura destes textos anteriores, pois há um novo elemento a se acrescentar nessa relação governo/empresas/energia: negacionismo cientifico.

Logo, também é recomendável que leia os textos que é comentado sobre o aquecimento global, como os Textos 34 e 37.

Download free photo of Global warming,burning  earth,burning,destruction,temperature - from needpix.com

Teorias da Conspiração

Neste blog, há um texto que comenta brevemente como a energia solar refuta um negacionismo vindo de teorias conspiratórias (Terra Plana).

Geralmente, as teorias da conspirações são acompanhadas de revisionismo ou negacionismo científico. Em resumo, negacionismo científico é você alegar que uma teoria é falsa pois haveria um plano por trás desta ideia. Em outras palavras, uma ideia foi criada por conta de um interesse oculto. Como por exemplo, a terra plana em si, cujo formato é “escondido” pela NASA, de forma que a população não tenha acesso a “verdadeira” informação.

Há uma teoria da conspiração no próprio campo da energia, que felizmente não tem muita força no campo da internet. É a tal da “energia livre[1]”, que consiste que o governo estaria ocultando dispositivos de energia livre de poluição e com custo nulo. Tais grupos estariam associados a empresas de combustíveis fósseis.

Porém, o negacionismo científico a ser discutido tem mais a ver com o que certas empresas de energias fósseis propagam.

File:CONSPIRACY THEORIES (6149055823).jpg - Wikimedia Commons

Negacionismo do aquecimento global e energias fósseis

Para alguns, não deve ser novidade que o aquecimento global existe. Porém, há varias pessoas que não acreditam no aquecimento global, ou que o mesmo não é tão grave quanto se aparenta[2]. Ambos os argumentos são baseados em negação da ciência. Inclusive, há no meio acadêmico negadores do aquecimento global, como o professor Ricardo Felício da USP[3].

Mas o que leva a esse negacionismo científico do aquecimento global? Simples. O uso dos combustíveis fósseis são um dos principais responsáveis por ele. Logo, é natural que a tendência seja o seu menor uso. Desta forma, algumas empresas que vendem fontes não-renováveis terão seu lucro reduzido, tendo em vista a redução da aquisição de seus produtos. E aí que chega a ideia principal do texto. Tais empresas visam evitar esse cenário a qualquer custo, nem que isso custe flertar com o anticientificismo.

Tal origem pode-se dizer que é relacionada a indústria do tabaco. Quando se descobriu os perigos do tabaco para a saúde, algumas empresas confundiram as pessoas sobre tal informação. Tanto que as empresas já sabiam dos perigos do tabaco para a saúde, mas optaram em tentar resgatar o seu lucro do que o bem-estar dos seus consumidores[4]. A empresa Exxon fez algo similar no quesito do aquecimento global[5], a qual foi levantada uma ficha no site do Greenpeace[6].

Numa matéria do Inovasocial, uma ativista considerada o antônimo de Greta Thunberg, chamada Naomi Seibt[7]. Tal ativista tem um discurso que nega as mudanças climáticas, além da mesma ser patrocinada por institutos que promovem energias fósseis, como o Heartland Institute.

Tal instituto teve também a participação de Alex Epstein, cujo discurso é alinhado nessa retorica negacionista. Ele defende os combustíveis fosseis alegando que eles são a fonte de energia mais limpa que existe (num vídeo da PragerU que é bastante utilizado pela extrema-direita). Inclusive, há um único artigo que refuta as ideias de Epstein, cujo link se encontra nas referências[8].

Conclusão

Não é o ponto deste blog condenar as energias não-renováveis, muito menos culpar as pessoas que as utilizam. Até porque temos indivíduos que as utilizam principalmente por motivos financeiros, principalmente os de baixa renda. A serie de “Dimensionamento de Fontes de Energia” aborda as termelétricas que usam não-renováveis (e renováveis como a biomassa) para quem tiver interesse nelas, até mesmo em situações em que não há como fugir do uso de combustíveis fósseis.

Porém, é de consenso que elas são mais danosas ao meio-ambiente do que as renováveis. Fugir disso é negar a ciência. E acredito que no futuro próximo elas possam deixar de existir, ou existir em uma escala muito menor. Enquanto as fontes não-renováveis existirem, elas serão abordadas no nosso espaço, de forma a garantir o debate a respeito do uso de todas as fontes de energia.

No final do texto há uma referência relacionada com os argumentos que os negacionistas climáticos mais usam, e como refuta-los[9].

Até a próxima.

Referências

[1] Energia livre (teoria da conspiração), Wikipedia, disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Energia_livre_(teoria_da_conspiração)>, acesso em: 25 ago. 2020.

[2] PINSKY, Vanessa, Negacionismo climático: o que é, argumentos e consequências, Fundação Instituto de Administração, disponível em: <https://fia.com.br/blog/negacionismo-climatico/>, acesso em: 25 ago. 2020.

[3] VITURI, Gabriel, O negacionismo climático é a cereja do bolo da onda conservadora do Brasil, Vice, disponível em: <https://www.vice.com/pt_br/article/ev39nj/o-negacionismo-climatico-e-a-cereja-do-bolo-da-onda-conservadora-do-brasil>, acesso em: 25 ago. 2020.

[4] KRUGMAN, Paul, A perversidade da negação climática, EXAME, disponível em: <https://exame.com/blog/paul-krugman/a-perversidade-da-negacao-climatica/>, acesso em: 25 ago. 2020.

[5] THE CLIMATE DENIAL MACHINE: HOW THE FOSSIL FUEL INDUSTRY BLOCKS CLIMATE ACTION., The Climate Reality Project, disponível em: <https://www.climaterealityproject.org/blog/climate-denial-machine-how-fossil-fuel-industry-blocks-climate-action>, acesso em: 25 ago. 2020.

[6] GREENPEACE, Exxon’s Climate Denial History: A Timeline, Greenpeace, disponível em: <https://www.greenpeace.org/usa/global-warming/exxon-and-the-oil-industry-knew-about-climate-change/exxons-climate-denial-history-a-timeline/>, acesso em: 25 ago. 2020.

[7] INOVASOCIAL, REALISMO E NEGACIONISMO CLIMÁTICO: A BATALHA DA DÉCADA, inovaSocial, disponível em: <https://inovasocial.com.br/solucoes-de-impacto/quem-e-naomi-seibt/>, acesso em: 25 ago. 2020.

[8] HOPKINS, Rob, Review: “The Moral Case for Fossil Fuels” — Really?, Our World, disponível em: <https://ourworld.unu.edu/en/review-the-moral-case-for-fossil-fuels-really>, acesso em: 25 ago. 2020.

[9] COSTA, Alexandre, 5 mentiras que os negacionistas contam, refutadas em ‘Negacionismo, esse Pinóquio Zombie’, por Prof. Alexandre Costa, Instituto Humanitas Unisinos, disponível em: <http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/571056-5-mentiras-que-os-negacionistas-contam-refutadas-em-negacionismo-esse-pinoquio-zombie-por-prof-alexandre-costa>, acesso em: 25 ago. 2020.

Rafael Henrique

Sou graduado em Engenharia de Energia pela PUC Minas. Recentemente, concluí o mestrado em Planejamento de Sistemas Energéticos pela UNICAMP. Decidi dar inicio a este blog, com o intuito de abrir o espaço de divulgação científica relacionado a energia e seus temas relacionados.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *