46 – Monstros S.A. e a energia dos sons

E aí, pessoal.

Este texto será baseado no filme Monstros S.A. Diferente dos outros textos, ele será tratado em duas partes, pois ambos exploram dois aspectos interessantes no setor energético, porém diferentes.

A primeira parte será baseada na forma de geração de energia, e a segunda parte consiste na ideia energética do filme. E já vou adiantando que a segunda parte haverá spoilers do filme, diferente desta primeira.

Monstros S.A. e a energia

Este filme estrelou em 2001 nos cinemas e é um dos filmes de animação 3D da Pixar. O enredo do filme, consiste em duas dimensões. A primeira é habitada por monstros. A segunda é habitada por humanos. Na primeira dimensão é aonde que se encontram a maioria dos personagens principais. Pois nesta dimensão, eles precisam assustar os humanos (em particular crianças) para gerar energia.

Em outras palavras, nesta dimensão, a principal fonte de energia são os gritos das crianças.

Energia dos gritos ou energia do som

Você deve estar se perguntando como é possível gerar energia através de gritos em Monstros S.A.. Se formos comparar o cenário do filme com o cenário real, com exceção da existência de monstros e viagens para outra dimensão, ele não difere muito[1].

Em outras palavras, é possível gerar energia através dos gritos. Ou melhor, é possível no mundo real gerar energia através dos sons. As ondas sonoras (o som) podem transportar energia, e as mesmas são transportadas no ar. Para gerar eletricidade, é necessária a indução magnéticas destas ondas sonoras[2].

Já temos exemplo dessa aplicação, como a torre Soundscraper[3]. Ela capta as ondas sonoras através do balanço de sua estrutura metálica. Dentro desta, há sensores capaz de converter a energia dos sons em cinética, e consequentemente em elétrica.

Há dois[4] artigos[5] no final desse texto demonstrando com mais tecnicidade a conversão da energia sonora em elétrica. Os links estarão no final desse texto.

Pode ate se dizer que o Monstros S.A. preveu o futuro em relação a energia através dos sons.

Conclusão

Esta foi a parte 1. A parte 2, conforme citado, haverá spoilers, uma vez que a segunda parte se trata do final do filme e a reflexão que o mesmo trás em relação a fontes de energia.

Os links usados para referência deste texto estão abaixo. E ate a próxima com a parte 2.

Referências

[1] KAITA, Constance, How do monsters get energy from the sound of children’s screams?, Why-Sci, disponível em: <https://why-sci.com/monster-energy/>, acesso em: 12 set. 2020.

[2] Já ouviu falar em energia sonora? Saiba o que é a geração de energia elétrica por meio de ruídos, Fragmaq, disponível em: <https://www.fragmaq.com.br/blog/ja-ouviu-falar-energia-sonora-saiba-geracao-energia-eletrica-meio-ruidos/>, acesso em: 12 set. 2020.

[3] FRANCO, Marina, Soundscraper: poluição sonora gera eletricidade, Super Abril, disponível em: <https://super.abril.com.br/blog/planeta/soundscraper-poluicao-sonora-gera-eletricidade/>, acesso em: 12 set. 2020.

[4] BACOSA JR, C A; BALDOVINO, M A P, Sound Energy: An Electric Source of Noise Pollution Based Power Bank, KnE Social Sciences, v. 3, n. 6, p. 221, 2018.

[5] GARG, Mehul et al, Generation of electrical energy from sound energy, in: 2015 International Conference on Signal Processing and Communication (ICSC), [s.l.]: IEEE, 2015, p. 410–412.

Rafael Henrique

Sou graduado em Engenharia de Energia pela PUC Minas. Recentemente, concluí o mestrado em Planejamento de Sistemas Energéticos pela UNICAMP. Decidi dar inicio a este blog, com o intuito de abrir o espaço de divulgação científica relacionado a energia e seus temas relacionados.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *