Ciência Ambiental por completo

Caros leitores,
Tantas vezes vejo nos notíciários, em conversa com profissionais da área e até mesmo em comunicados científicos um profundo desconhecimento sobre a verdadeira ciência ambiental. Quando se pensa em ambiente logo associamos a ele o verde de uma floresta ou os tons azulados da água. Isso é um reflexo puro e simples das conotações colocadas pelos grandes veículos de comunicação sobre o ambiente como meio físico ou biótico. Quando se inicia os estudos de disciplinas que se enquandram especificamente no campo das “ambientais” logo se vê que os pilares básicos para qualquer pesquisa na área são os três meios: físico, biótico e para surpresa de muitos o sócio-econômico ou antrópico, chamem-no como quiserem. Em suma isso significa que uma ação ambiental efetiva deve sempre envolver os três meios. Ou seja, não existe preservação, conservação ou planejamento ambiental, bem como quaisquer outros trabalhos correlatos sem que haja um envolvimento desses meios. Na minha opinião, inclusive, a esses três meios deveriam ser dadas importâncias iguais em trabalhos ambientais. Mas isso é uma discussão futura. Hoje o que temos visto é uma atribuição exacerbada de questões relacionadas aos meios físico e biótico. Mas pensemos bem se esse tipo de abordagem funciona. Imaginemos temas relacionados à qualidade da água em centros urbanos. É possível resolver os problemas de saneamento básico, de esgotamento sanitário e consequentemente da despoluição dos corpos d´água sem que problemas de moradia sejam solucionados? É óbvio que não. Enquanto existirem déficits habitacionais, moradores em favelas, vilas ou palafitas sem a mínima estrutura, problemas realacionados a despejos de esgotos e resíduos sólidos continuarão existindo. O mesmo raciocínio se aplica, por exemplo, aos carvoeiros do interior do Brasil ou àqueles vendedores da fauna silvestre na beira das estradas brasileiras. A escolha que essas pessoas têm que fazer é simples e negligenciada pelas autoridades. Muitas vezes, para obter o alimento da família, essas pessoas são obrigadas a “esquecer” da legislação ambiental e instintivamente optarem pela vida. Assim, se as ciências ambientais não forem consideradas por completo, inclusive com considerações acerca dos problemas sociais, trabalhos nessa área estarão fadados ao fracasso.    

Discussão - 6 comentários

  1. Guilherme Corrêa disse:

    O q não seria ciência ambiental? Dessa forma, você abarcaria tudo como sendo ciência ambiental. O que não é incorreto, pois ambiente é um termo muito amplo.

  2. RAFAELLA disse:

    EU AMO O MEIO AMBIENTE..
    E ACH0 IMPORTANTE TODO MUNDO SABER Q ESTAR DESTRUINDO O MEIO QUE VIVEMOS..
    EU QUERO ME FORMAR NESSA AREA..
    POIS ADORO O VERDE!

  3. RAFAELLA disse:

    muito bom o trabalho de voces sobre esse assunto.
    muitas pessoas naum sabe oq ta acontecendo com o mundo..
    otimo o trabalho.
    quero me formar nessa area!

  4. Sabrina Rybak disse:

    Olá, sou aluna de Gestão Ambiental -USP Leste (EACH) e por acaso, encontrei este wordpress de vocês.
    Parabéns, estão rumo a um caminho correto.
    Abraço forte!

  5. Bruno Vieira disse:

    O que podemos entender por ciências Ambientai? virmos por meio de uma clara extensaõ, sobre informações à que se trata e que na realidade fica dificil demostrar com clareza essa conotação , porém não devemos nuns deixar levar por uma filosofi superficial, q
    d que tudo passa de um ambiente OU conjunto dos fatores….. Pesso-lhe q mostre mas clara essa normativa ..

  6. carol disse:

    eu adoro ciencias e minha materia predileta pois a adoro a aprender sobre ciencias eu adoro essa materia

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Categorias

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM