Microdispositivos fabricados por impressoras 3D e PDMS

 

Esquema representativo da fabricação de microdispositivos utilizando impressoras 3D e PDMS. [Imagem: SAGGIOMO e VELDERS, 2015. DOI: 10.1002/advs.201500125]

Prezado leitor, nessa postagem apresento para vocês um interessante método de fabricação de microcanais utilizando impressoras 3D e PDMS desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Wageningen na Holanda. Microdispositivos fabricados em PDMS e por impressoras 3D não são mais uma novidade, como por ser visto aqui e em uma postagem anterior (link aqui). Cada método tem as suas vantagens e desvantagens.

Uma das vantagens da impressão 3D é a possibilidade da fabricação de estruturas complexas com relativa facilidade. Porém, microdispositivos impressos dificilmente apresentam propriedades como permeabilidade à gás, elasticidade e transparência. Essas propriedades são encontradas em microdispositivos em PDMS. Entretanto, estruturas mais complexas, por exemplo, canais em 3 dimensões em microdispositivos fabricados com PDMS não é uma tarefa simples. Assim, a técnica de fabricação apresentada pelos pesquisadores une as vantagens dos dois métodos em um simples método de fabricação, que pode ser visualizado no vídeo abaixo.

¤¤¤¤

SAGGIOMO, V; VELDERS, H. A. Simple 3D Printed Scaffold-Removal Method for the Fabrication of Intricate Microfluidic Devices. Advances Science, v.9, 2015.  Link para o artigo

Tags , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Harrson S. Santana

Harrson S. Santana obteve seu doutorado em Engenharia Química pela Universidade de Campinas em 2016. Sua tese de doutorado foi a investigação da síntese de biodiesel em microcanais, utilizando simulações numéricas e ensaios experimentais. Em 2015, ele passou vários meses na Universidade de Glasgow (Reino Unido) desenvolvendo pesquisas na área de impressão 3D. Atualmente, ele é pesquisador associado e professor colaborador da Faculdade de Engenharia Química da Unicamp, trabalhando no desenvolvimento de microplantas químicas e uso de impressoras 3D em processos químicos. Ele publicou vários artigos explorando desde simulações numéricas no desenvolvimento de microdispositivos até o uso de microfluídica em reações químicas e operações unitárias. Seu interesse científico se concentra em fenômenos de transporte em sistemas microfluídicos, impressoras 3D e sistemas robóticos aplicados a processos químicos em microescala.

Uma resposta para Microdispositivos fabricados por impressoras 3D e PDMS

  1. Pingback:Semelhanças entre o Homem-Formiga e a Microfluídica - Microfluídica & Engenharia Química

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.