Gravação direta a laser permite a Nanoimpressão 3D de dispositivos microfluídicos

Lamont et al.
Scientific Reportsvolume 9, Article number: 394 (2019) 

Prezado leitor, espero que esteja tudo bem com você. Essa semana nós iremos inaugurar uma nova seção no blog. Toda semana, (eu espero, kkkk) nós iremos discutir rapidamente um artigo da semana que foi destaque no mundo da Microfluídica & Engenharia Química. O post desses artigos semanais será mais curto e sem muita edição, links ou explicações dos conceitos. A ideia é que nós possamos ter uma pequena noção do que o artigo trata. Se vocês gostarem de algum artigo que seja publicado nessa seção de Artigos Semanais, eu posso fazer um post completo posteriormente. 

O artigo dessa semana foi publicado na Scientific Reports. Nesse estudo engenheiros da Universidade Maryland criaram o primeiro elemento de circuito de fluido impresso em 3D, tão pequeno que 10 poderia caber dentro de um cabelo humano. Os engenheiros utilizaram uma técnica chamada gravação direta a laser in situ que permite criar e imprimir desenhos 3D diretamente dentro dos microcanais elastoméricos revestidos de sol-gel. Segundo os autores esse estudo abrirá novos caminhos para aplicações emergentes em áreas como microrobótica macia e microssistemas biofluídicos.

O artigo pode ser acessado clicando aqui


 


Conheça e curta a nossa página no Facebook

Já segue a gente no Instagram?

Siga-nos no Twitter, Facebook ou Instagram

Ou nos envie um e-mail para: harrison.santana@gmail.com 


 

◊◊◊

Explore mais e descubra a relação desse trabalho com a Microfluídica & Engenharia Química

Novas ferramentas, Novas possibilidades – Impressão 3D para Lab-on-a-Chip

Impressão 3D de laboratórios de chip

Fabricação de reatores de microcanais por litografia macia

 

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Harrson S. Santana

Harrson S. Santana obteve seu doutorado em Engenharia Química pela Universidade de Campinas em 2016. Sua tese de doutorado foi a investigação da síntese de biodiesel em microcanais, utilizando simulações numéricas e ensaios experimentais. Em 2015, ele passou vários meses na Universidade de Glasgow (Reino Unido) desenvolvendo pesquisas na área de impressão 3D. Atualmente, ele é pesquisador associado e professor colaborador da Faculdade de Engenharia Química da Unicamp, trabalhando no desenvolvimento de microplantas químicas e uso de impressoras 3D em processos químicos. Ele publicou vários artigos explorando desde simulações numéricas no desenvolvimento de microdispositivos até o uso de microfluídica em reações químicas e operações unitárias. Seu interesse científico se concentra em fenômenos de transporte em sistemas microfluídicos, impressoras 3D e sistemas robóticos aplicados a processos químicos em microescala.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.