Dr. Mae Jemison, a engenheira química que foi para o espaço

Prezado leitor, espero que esteja tudo bem com você. Em primeiro lugar, gostaria de desejar um Feliz Dia da Mulher a todas as mulheres que acompanham o blog. Segundo, gostaria de parabenizar a todas as mulheres do nosso grupo de pesquisa, que dedicam o seu tempo e intelecto para que as nossas pesquisas aconteçam. E por último, mas não menos importante, gostaria de agradecer muito as mulheres da minha vida, minha esposa linda, minha mãe querida, minhas irmãs e minhas cunhadas, por me ajudarem a ser o homem que eu sou.

E para comemorar esse dia, hoje iremos falar da Dra. Mae C. Jemison, a primeira astronauta afro-americana a ir para o espaço. Sensacional!

Biografia da Dra. Mae Jemison

Cientista, engenheira química, médica, professora e astronauta, a Dra. Mae Jemison tem sido uma forte defensora da ciência e tecnologia. Ela aplicou sua experiência médica ao serviço de seu país, primeiro como voluntária do Corpo da Paz na África e depois como astronauta do ônibus espacial. Mae Jemison inspira e encoraja ativamente os jovens a seguir carreiras em ciência e medicina, e tem trabalhado para defender a diversidade de gênero, étnica e social nas ciências.

Nascida em Decatur, Alabama, em 1956, Mae Jemison foi criada em Chicago, Illinois. Caçula de três filhos de Charlie e Dorothy Jemison. Seu pai era um trabalhador de manutenção e carpinteiro e sua mãe era professora. A irmã mais velha de Jemison, Ada Sue, também é física. O interesse de Jemison pela ciência começou cedo quando um tio incentivou sua curiosidade sobre astronomia, antropologia e arqueologia.

Jemison ganhou uma bolsa de estudos para a Universidade de Stanford aos 16 anos, graduando-se em 1977 em Engenharia Química. Ela também cumpriu os requisitos de grau para um bacharel em estudos afro-americanos. Ela recebeu seu diploma em medicina da Universidade de Cornell em 1981. Durante a faculdade de medicina, ela trabalhou como voluntária em Cuba, no Quênia, e em um campo de refugiados cambojano na Tailândia.

Depois de se formar na Cornell Medical School, a Dra. Jemison passou o ano seguinte fazendo um estágio rotativo de um ano no Centro Médico da Universidade do Sul da Califórnia. Sabendo que ela queria trabalhar no mundo em desenvolvimento e, em última análise, trabalhar em pesquisa de engenharia biomédica, ela se candidatou para servir como voluntária do Corpo da Paz e se tornou médica em Serra Leoa e na Libéria de 1983 a 1985.

Dra. Mae Jemison

Voltando para casa do Corpo da Paz, Dra. Jemison aceitou uma posição para trabalhar com os planos de saúde CIGNA da Califórnia. Apesar de tudo o que ela já havia realizado, a Dra. Jemison ficou intrigada em aprender mais. “Eu estava sempre ciente da exploração espacial. Eu segui os programas Gemini, Mercury e Apollo, eu tinha livros sobre eles, e sempre achei que iria para o espaço”, lembrou Jemison. “E isso apesar do fato de que não havia mulheres, e eram todos homens brancos – e, na verdade, eu achava que essa era uma das coisas mais idiotas do mundo, porque eu costumava sempre me preocupar, acredite ou não um pouco, quando criança, eu estava tipo: o que os alienígenas pensariam dos humanos? Você sabe, esses são os únicos humanos? “

Enquanto estava na CIGNA, Dra. Mae Jemison começou a fazer cursos de engenharia e se candidatou à NASA para admissão no programa de astronautas. Ela foi aceita como uma das quinze candidatas a astronautas em 1987. Ela completou seu treinamento em 1988 e serviu em 1992 como especialista em missões no ônibus espacial Endeavour. Aos 36 anos, ela se tornou a primeira mulher afro-americana a ir para o espaço. Dra. Jemison era a especialista da missão científica no voo. Durante a missão do ônibus espacial, ela conduziu experimentos em ciências da vida, ciências de materiais e foi co-investigadora no experimento de pesquisa de células ósseas.

Em março de 1993, ela fundou a Jemison Group, Inc., sua empresa privada que visa “pesquisar, desenvolver e implementar tecnologias avançadas adequadas ao contexto social, político, cultural e econômico do indivíduo, especialmente para o mundo em desenvolvimento”. Os projetos do Jemison Group incluíram um sistema de telecomunicações baseado em satélite para melhorar a saúde na África Ocidental e consultoria na concepção e implementação de sistemas de geração de energia solar térmica para países em desenvolvimento.

Mae Jemison apareceu ao lado de Michael Dorn como Luetenint Palmer em Star Trek: TNG. Crédito: Paramount Pictures.

Dra. Jemison, que gostava de assistir Star Trek quando criança, até apareceu em um episódio de Star Trek: The Next Generation. Com base em suas experiências no espaço da vida real, em 1994 ela fundou o The Earth We Share, um campo científico internacional para estudantes de 12 a 16 anos.

Ela ensinou estudos ambientais no Dartmouth College de 1995 a 2002, e atualmente é professora na Universidade de Cornell. Dra. Jemison mora em Houston, Texas com seus gatos, Sneeze e Little Mama. Seus hobbies incluem dança jazz, esqui, fotografia e estudar línguas estrangeiras. Ela fala fluentemente russo, japonês e suaíli.

Dra. Jemison recebeu inúmeras honrarias e prêmios. Ela recebeu o Essence Award em 1988. Ela foi premiada com a Gamma Sigma Gamma Woman of the Year em 1989 e foi nomeada uma das 10 Outstanding Women dos anos 90 de McCall em 1991. Jemison foi premiada com o Black Publications Black Achievement Trailblazers Award em 1992. Ela inspirou o Museu de Ciência e Espaço Mae C. Jemison no Wright Junior College em Chicago, que foi dedicado em 1992. Ela foi nomeada para a lista de Mulheres Mais Influentes de Ebony em 1993, e foi introduzida no Hall da Fama das Mulheres Nacionais em 1993.

Dra. Mae Jemison

Fonte: Biblioteca Nacional de Medicina dos EUA.

Com certeza a história dela irá inspirar a todos nós. Bom fim de semana a todos.


Siga-nos no Twitter, Facebook (do blog), Facebook (pessoal) ou Instagram

Ou nos envie um e-mail para: harrison.santana@gmail.com

Currículo Lattes de Harrson S. Santana

Você também pode fazer parte do Grupo de Microfluídica & Engenharia Química no Google Groups.

O nosso livro “Process Analysis, Design, and Intensification in Microfluidics and Chemical Engineering” está disponível para encomenda na loja da editora IGI Global. Use o código de desconto IGI40 no processo de compra para aproveitar um desconto exclusivo de 40%!

Esse livro fornece informações sobre pesquisas emergentes explorando os aspectos teóricos e práticos da Microfluídica e sua aplicação em Engenharia Química. A intenção é construir caminhos para novos processos e desenvolvimentos de produtos em áreas industriais. É ideal para engenheiros, químicos, empresas de Microfluídica e Engenharia Química, acadêmicos, pesquisadores e estudantes.


◊◊◊

Explore mais e descubra a relação desse trabalho com a Microfluídica & Engenharia Química

10 mulheres da Microfluídica & Engenharia Química que você deveria conhecer

Tags , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Harrson S. Santana

Harrson S. Santana obteve seu doutorado em Engenharia Química pela Universidade de Campinas em 2016. Sua tese de doutorado foi a investigação da síntese de biodiesel em microcanais, utilizando simulações numéricas e ensaios experimentais. Em 2015, ele passou vários meses na Universidade de Glasgow (Reino Unido) desenvolvendo pesquisas na área de impressão 3D. Atualmente, ele é pesquisador associado e professor colaborador da Faculdade de Engenharia Química da Unicamp, trabalhando no desenvolvimento de microplantas químicas e uso de impressoras 3D em processos químicos. Ele publicou vários artigos explorando desde simulações numéricas no desenvolvimento de microdispositivos até o uso de microfluídica em reações químicas e operações unitárias. Seu interesse científico se concentra em fenômenos de transporte em sistemas microfluídicos, impressoras 3D e sistemas robóticos aplicados a processos químicos em microescala.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *