Cosmos, de Carl Sagan

Meus grandes ídolos da ciência são Skinner e Darwin, que dispensam comentários. Mas tenho outro ídolo logo ao lado deles que é o astrônomo Carl Sagan, não tão conhecido pelos psicólogos. Falei sobre um livro dele aqui e postei uma citação de outro livro aqui.

Sagan é hoje reconhecido como um dos maiores divulgadores da ciência e ficou conhecido mundialmente principalmente pela sua série televisiva “COSMOS: Uma Viagem Pessoal“, exibida em 1980, com 13 episódios abrangendo assuntos como astronomia, religião, ceticismo, evolução, pensamento científico, teoria da relatividade, viagens no espaço e tempo e até um pouco de psicologia.
A série foi premiada com os troféus Peabody e Emmy e foi vista em mais de 60 países por mais de 600 milhões de pessoas e é ainda, de acordo com o Science Channel, a série da PBS mais vista em todo o mundo.
Fica então a sugestão para as férias de julho, eu recomendo muito assistir esta sensacional série, que, para quem não quiser comprar, está disponível legendada em português no YouTube pelo usuário ztaarb.
Episódio 1 – Os Limites do Oceano Cósmico (Partes 1, 2, 3, 4, 5, 6).

Episódio 2 – Uma Voz na Fuga Cósmica (Partes 1, 2, 3, 4, 5, 6).

Episódio 3 – A Harmonia dos Mundos (Partes 1, 2, 3, 4, 5, 6).

Episódio 4 – Céu e Inferno (Partes 1, 2, 3, 4, 5, 6).

Episódio 5 – Blues por um Planeta Vermelho (Partes 1, 2, 3, 4, 5, 6).

Episódio 6 – Relatos de Viajantes (Partes 1, 2, 3, 4, 5, 6).

Episódio 7 – A Espinha Dorsal da Noite (Partes 1, 2, 3, 4, 5, 6).

Episódio 8 – Viagens no Espaço e no Tempo (Partes 1, 2, 3, 4, 5, 6).

Episódio 9 – A Vida das Estrelas (Partes 1, 2, 3, 4, 5, 6).

Episódio 10 – O Limiar da Eternidade (Partes 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7).

Episódio 11 – A Persistência da Memória (Partes 1, 2, 3, 4, 5, 6).

Episódio 12 – Encyclopaedia Galactica (Partes 1, 2, 3, 4, 5, 6)

Episódio 13 – Quem Pode Salvar a Terra? (Partes 1, 2, 3, 4, 5, 6).

Estes links eu encontrei no http://ensinofisicaquimica.blogspot.com.

Marcapasso contra a depressão

Passeando pela net, me deparei com este artigo, a seguir um trecho:

Uma novidade pode reforçar o arsenal da medicina contra a depressão. Grupos de pesquisadores estão testando a eficácia de marcapassos no controle dos sintomas da doença, […] Embora ainda experimentais, os estudos têm apresentado resultados animadores.
O objetivo da implantação dos marcapassos é o mesmo dos medicamentos orais usados hoje contra a enfermidade. As duas estratégias têm como finalidade reequilibrar a concentração no cérebro de substâncias associadas às emoções.

Eu achei essa idéia tão absurda que juro que nem soube por onde começar a comentar, escrevi e apaguei este primeiro parágrafo umas três vezes pois em todas acabei sendo “radical” demais ou ofendendo alguém. Melhor apenas defender minha postura:
Eu não acredito que a depressão seja de origem genética nem que seja uma doença. Mas eu acredito que nosso corpo possui uma estrutura biológica herdada filogeneticamente para sentir, e em nossa ontogenia, ou seja, durante nosso desenvolvimento, esse corpo vai se adaptando ao meio que vivemos e em conjuntos de situações mais complexas como na perda de um ente querido, dificuldades financeiras, dificuldades de relações interpessoais, entre vários outras possíveis situações agravantes, acabamos adotando comportamentos rotulados como depressivos e nem sabemos como chegamos até tal ponto, muito menos como sair dele. No final das contas, é tão estranho que parece até doença!
O mais engraçado é que apesar de todos esses avanços e pesquisas nos tratamentos medicamentosos para a depressão (e outros transtornos), a terapia comportamental ainda é a mais eficaz.
Mais sobre o assunto em:
BANACO, R. A., Auto-regras e Patologia comportamental. Em ZAMIGNANI, D. R. (org.) Sobre comportamento e Cognição: a aplicação da análise do comportamento e da terapia cognitivo-comportamental no hospital geral e nos transtornos psiquiátricos. Santo André, ESEtec, 2001. (Cap.12)

Ajude a sustentar a Wikipédia e outros projetos, sem colocar a mão no bolso, e concorra a um Eee PC!

Conhece a Wikipédia?! Aquele site que todos os estudantes vão atrás na hora de fazer seus trabalhos escolares? Então, nem todo mundo sabe mas a Wikipédia é uma enciclopédia livre, ou seja, qualquer pessoa pode contribuir com seu conteúdo, afinal de contas, todo mundo é bom em alguma coisa, seja em novelas ou algum conhecimento científico. Para encorajar as contribuições, foi lançada esta promoção e eu estou fazendo minha parte na divulgação:
Ajude a sustentar a Wikipédia e outros projetos, sem colocar a mão no bolso, e concorra a um Eee PC! E também a pen drives, card drives, camisetas geeks, livros e mais! O BR-Linux e o Efetividade lançaram uma campanha para ajudar a Wikimedia Foundation e outros mantenedores de projetos que usamos no dia-a-dia on-line. Se você puder doar diretamente, ou contribuir de outra forma, são sempre melhores opções. Mas se não puder, veja as regras da promoção e participe – quanto mais divulgação, maior será a doação do BR-Linux e do Efetividade, e você ainda concorre a diversos brindes!
Também não seria nada mal eu ganhar algum desses prêmios! 😉

Humor – Drogas Psicotrópicas


“Como vocês podem ver pela sua resistência violenta à injeção forçada de um coquetel de drogas psicotrópicas, o paciente é claramente psicótico!”

Casamento anfíbio

Quando reforçados após um comportamento, no futuro a probabilidade do mesmo comportamento se repetir em uma situação parecida aumenta – e isso pode acontecer mesmo quando o nosso comportamento não tem nenhuma relação funcional com o reforço, apenas temporal (ou seja, emitimos um comportamento e acidentalmente somos reforçados). Isso é comum para humanos, animais e qualquer organismo, mas nós somos os únicos seres capazes de relatar essas experiências para outros da mesma espécie, podendo gerar consequências muito bizarras como nesse vídeo:

Em um conto de fadas se você beija um sapo ele vira príncipe. Aqui no norte da Índia se você casa dois sapos, você recebe chuva! Os residentes dessa vila seguem esta tradição em busca de uma estação de chuva – dois sapos com seus vestes cerimoniais são segurados em um prato para a cerimônia que os une em matrimônio.
As mulheres dançam para celebrar a festa, as pessoas servem doces para distribuir felicidade e ainda muita reza para que seu Deus os homenageie com boas chuvas para suas colheitas. Na minha visão é apenas um bom exemplo de comportamento supersticioso, mas quem sabe eu não esteja sendo cético demais?! 🙂

O relógio causa as horas?

“Quem joga o futebol? O cérebro? As pernas? Os pés ‘jogam’ futebol? Os impulsos nervosos? A serotonina joga futebol? Alguma outra parte ou processo interno do corpo? De alguma forma essas partes ou processos fazem com que joguemos futebol? Iniciam o jogar? Não! Jogamos o futebol tal qual o jogamos porque, por nossa filogênese, temos essas partes e elas estabelecem as bases físicas (e daí bases fisiológicas) para que esse comportamento seja possível. Jogamos com elas, mas não porque elas ‘queiram’; não são elas que jogam. É o organismo como um todo” (Starling, 2000, p. 12).
STARLING, R. R. . A interface comportamento/ neurofisiologia numa perspectiva behaviorista radical : o relógio cusa as horas ? . In: Kerbauy, R.R.. (Org.). Sobre comportamento e cognição. Santo André: SET, 2000, v. 5, p. 3-15.
“Uma ciência do sistema nervoso baseada na observação direta, e não na inferência, finalmente descreverá os estados e os eventos neurais que precedem formas de comportamento. Conheceremos as exatas condições neurológicas que precedem, por exemplo, a resposta ‘Não, obrigado’. Verificar-se-á que estes eventos são precedidos por outros eventos neurológicos, e estes, por sua vez, de outros. Esta seqüência levar-nos-á de volta a eventos fora do sistema nervoso e, finalmente, para fora do organismo” (Skinner, 1953/1994, p. 39).
Skinner, B. F. (1994). Ciência e comportamento humano (J. C. Todorov & R. Azzi, trads.). São Paulo: Martins Fontes (Obra publicada originalmente em 1953).

Por que as aranhas enfeitam as suas teias?


Li no blog Brontossauros em Meu Jardim sobre esta aranha australiana que desenha uma grossa cruz de seda em suas teias. Me intrigou logo o segundo parágrafo onde diz: “qual seria a sua função?“.
Acho que esta é a pergunta fundamental de todo psicólogo. A todo momento entramos em contato com pessoas se comportando e em determinados contextos, como na clínica, nos deparamos com alguns muito estranhos e logo nos vem a mesma pergunta: “qual seria a sua função?”.
No caso da aranha, hipóteses foram levantadas e uma série de experimentos foram feitos e descobriu-se que estas cruzes atraem mais insetos à teia. Na psicologia, hipóteses são levantadas mas nem todos buscam a comprovação científica. Enquanto alguns psicólogos estão nos laboratórios buscando a melhor compreensão dos comportamentos que existem em nossos repertórios, muitos outros simplesmente aceitam dizer que “o ser humano é muito mais do que se pode estudar cientificamente“.
Pior ainda, na minha opinião, é querer buscar explicações nos lugares errados… por exemplo, codificaram o genoma humano e não encontraram o gene da homossexualidade, agora estão falando que os cérebros dos homossexuais são diferentes dos dos heteros. Com certeza o cérebro de um matemático é diferente do de um psicólogo mas isso não explica a sua preferência profissional. No entanto, identificar a função da homossexualidade no repertório da pessoa em questão não é uma tarefa impossível, além de que nos leva a um passo além na predição e controle.

Skins: Cassie e a bulimia

Cassie não come. Ela é apaixonada por comida, mas ao mesmo tempo aterrorizada pelos efeitos que ela tem sob seu corpo. Prefere ficar dias sem comer para ficar mais bonita à um encontro do que comer regularmente. Ela sabe que precisa comer, e até sente prazer do ato, mas prefere continuar magra. Para esquecer da fome, apresenta comportamentos alternativos como brincar com a comida, o que a mais distrai é organizá-las. Enfim, faz o possível para não comer.
Em um certo momento seu colega Sid a pergunta: “Você quase não come, como você faz para que as pessoas não percebam?“, e ela responde:

Estes são personagens da série Skins, transmitida no Brasil pelo canal HBO com o título “Juventude à Flor da Pele”. É um drama que mostra a vida de vários adolescentes, sendo a Cassie meu personagem favorito, por que será?! 😉

Saúde e capitalismo


Esta droga está em fase experimental. A indústria farmacêutica está testando qual o preço máximo a cobrar por ele.

Curiosidades – 15/06

Experiência histórica mostra a evolução em população de bactérias. A prova científica de que Darwin estava certo! Super simples, só precisaram observar 44.000 gerações das bactérias para encontrar evoluções genéticas significativas. Mais informações em inglês aqui.
Livros de divulgação científica podem ser legíveis – Tradução livre do artigo de Lucy Hawking, filha de Stephen Hawking, sobre a divulgação científica, citando autores como o próprio Hawking, Carl Sagan e Oliver Sacks. Acho que o Behaviorismo pode aprender muito com eles na divulgação.
Skinner primeiro entrou na faculdade querendo ser escritor, no entanto, admitiu um tempo depois que não era tão bom com as letras. Em 1974 escreveu “Sobre o Behaviorismo” para combater as críticas feitas ao Behaviorismo Radical e esclarecer muitos dos conceitos, mas ainda assim o acho um livro não muito fácil de ser lido. Alessandro Vieira, no blog “Olhar Beheca” preparou um guia de leitura deste livro, vale a pena dar uma olhada!

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM