Onde estão as doenças mentais? – Parte 2

Na semana passada levantei a questão de que as “doenças mentais” nada mais seriam do que padrões de comportamentos aprendidos durante a história de nossas vidas. É um conceito no início um pouco difícil de digerir e estou tentando explicá-lo de maneira simples, sem muito behaviorês.
Quais são as implicações deste tipo de visão? No meu ponto de vista, a mais relevante é que se tiramos a causa do problema de dentro do cérebro (ou do universo mental) também deixamos de buscar as soluções nestes lugares. Se queremos ter controle sobre estes comportamentos inadequados, a resposta está nas relações do indivíduo com seu ambiente (histórico, físico, social).
Através da Análise do Comportamento sabemos como comportamentos são aprendidos, como padrões de respostas aparecem nas mais diversas situações, como levar comportamentos à extinção, ou seja, temos o conhecimento necessário para uma intervenção eficaz. O problema é que a maneira como uma pessoa aprendeu a emitir um comportamento não é igual à da outra pessoa – o desafio é justamente em enxergar quais são as funções de um determinado comportamento, ou seja, identificar o que o está mantendo. O que fazer a partir daí também não é simples: alguns comportamentos podem ser levados à extinção enquanto outros apenas devem ser trabalhados para nao serem tão aversivos. Geralmente novos comportamentos também devem ser ensinados para diminuir o sofrimento da pessoa. No final das contas, é um trabalho complexo e exaustivo.
Na verdade, ter alguém que identifique todas estas relações para você, que planeje todos os meios de intervenção e ainda aplique as técnicas necessárias é uma mordomia! E é o que os terapeutas comportamentais fazem! 😉
O tempo de melhora depende do caso, e eu até entendo que em casos mais graves a medicação pode ajudar sim, principalmente quando uma relação terapêutica não pode ser estabelecida. O cérebro da pessoa também faz parte de seu ambiente e é claro que drogas influenciam seus comportamentos (caso contrário, de nada adiantaria eu tomar meu cafezinho toda manhã).
“Mas e quanto às psicoses? Também são aprendidas?” De todos os transtornos comportamentais, a esquizofrenia é sem dúvida o de aparência mais bizarra. O diagnóstico “esquizofrenia” pouco nos informa sobre o paciente pois os “sintomas” são dos mais variados e muitas vezes até mesmo assustadores, fica difícil enxergar aquilo tudo como resultados de processos de aprendizagem. No entanto, os estudos que temos publicados mostram resultados incríveis, demonstrando que, mesmo que fique provado um dia que a esquizofrenia seja causada por desequilíbrios químicos e funções genéticas, seus “portadores” não são imunes à aprendizagem operante: ainda podemos modificar e controlar seus comportamentos como o de qualquer outra pessoa! Aqui na UCG (onde estudo) temos vários trabalhos, um deles, por exemplo, levou uma mulher que não falava à anos, bebia água da privada e até já havia cometido assassinato no hospital psiquiátrico a conversar e interagir novamente com seus colegas no hospital. Parece ficção, mas não é.
Ainda pretendo falar muito mais sobre a esquizofrenia neste blog, visto que minha tese de mestrado está relacionada ao assunto.

Discussão - 3 comentários

  1. marcos alves disse:

    O comportamento mental do ser humano é muito complexo, visto que são varios, varios os tipos de transtornos mentais. o indivíduo dito normal não está salvo disso, pois o ritimo de vida hoje é muito estressante,e acaba por acarretar inúmeras neuroses, como por exemplo o toc, os transtornos bipolares e o trasntorno do pânico.A medicina e a pisicologia deve avançar e deixar de lado o preconceito e o orgulho, e ademitir que o ser humano é constituído de corpo,alma e espirito, e que não está limitado a só uma existência nesse plano terreno, pois há inúmeras vidas de que cada qual o indivíduo tem responsabilidade, e se nessas vidas Ele não souber aproveitar da melhor forma, estara incurso na lei de causa e efeito, e são tantas matizes de ordem mental e espiritual que felicita o individuo a aquisição de doenças mentais. Exemplos muito fortes que levam a essas mazelas é o mau uso de suas faculdades mentais e de recursos que se dispõe,e é muito complicado, pois o que se vê hoje , é o mal uso de tudo…do dinheiro, sobre tudo do sexo desregrado, visto que esse campo gera graves desequilíbrios, e é porta aberta para a loucura e a obsessão.Deus nos trouxe varios exemplos de verdadeiros filhos teus:Jesus de Nazaré,Francisco de Asis,Madre Tereza de Calcutá,Chico Xavier,Gahndi,Bezerra de Menezes,Santo Agostinho,Joana D’angeles,Amazonas Hercules…

  2. samuel bastos disse:

    lendo as orientações sobre o compormatemento mental.
    fico mais ainda como saber o tratamento.
    tenho em minha familia um caso que me deixa muito apreensivo um adolecente de 19 anos saudavél e qu a mais ou menos 03 meses vem mudando e muito o seu comportamento.
    se diz ouvir vozes dis ter dor de cabeça e não entendo por aparecer de uma hora p/ outra ele está bém e muda o seu comportamento lembrando que esta pessoa não toma nada de alcool ou faz uso de droga é uma pessoa que sempre se dedicou mais ao estudo e não tem vicios.
    caso possam me ajudar em algo me responda há este.

  3. antonia disse:

    queria saber o que é ser muito complexo?

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM