Cuidado: estão te analisando!

É verdade essa história que psicólogo tá sempre analisando todo mundo?
O Hotta me perguntou isso durante um bate-papo num café de São Paulo e confesso que fiquei meio sem saber o que responder. Tem gente que diz que analisa mesmo: tem professor que, como tarefa, pede a seus alunos para observar grupos de pessoas e suas interações na cantina da faculdade. Já outros dizem que não dá pra analisar todo mundo, assim como o proctologista não põe o dedo em todo mundo.
Engraçado que no dia anterior uma amiga tinha me dito: “Eu sempre reparo nos tênis dos homens. Só o tênis já diz muito, por exemplo, se o cara tá de all star quer dizer que ele é mais descolado, deve curtir um rock e tal…” – E ela nem é psicologa!
A meu ver todo mundo analisa todo mundo! A diferença é que quem trabalha com comportamento pode ter um pé à frente em suas interpretações. Ah sim, devemos nos lembrar que tudo o que fazemos são interpretações! A partir do modo como a outra pessoa anda, conversa, se posiciona, se veste, fazemos suposições e apesar disso ter grande valor adaptativo, nem sempre quer dizer muita coisa.
Para realmente se saber porque uma pessoa faz uma coisa ou outra, o que menos importa é a topografia do comportamento (a forma). O que se deve buscar é a função: em que contextos o comportamento ocorre e quais as consequências posteriores. Essas situações e consequências interagem a todo momento com nossos comportamentos em uma relação funcional (igual da matemática), e assim podemos saber realmente o que os mantém. Descobrir todas as relações que envolvem um comportamento não é nem um pouco simples e é o que mais fazemos na clínica.
Nada nos impede de buscar quais as pistas mais adequadas, através da linguagem corporal ou perfis em sites de relacionamentos na internet. Mas continuam sendo suposições.
Não é raro a gente ver (em todo lugar, inclusive salas de aula) pessoas querendo explicações simples e mágicas para comportamentos como se tudo pudesse ser explicado de forma simples e rápida. Tirei alguns exemplos em menos de 5 minutos na seção de psicologia do Yahoo! Respostas:
O nosso pior inimigo é a solidão pq nos faz sentir saudades de pessoas que nos fazem mal?
Pq existem pessoas que adoram ser o centro das atenções?
Como ser uma pessoa altamente motivada?
Pq existem pessoas que preferem desabafar com desconhecidos, do que com amigos?“.
Quem estiver em Goiânia e quiser saber mais sobre Análise Funcional no Contexto Clínico farei uma apresentação sobre isso amanhã a partir das 19 horas na III Mostra de Trabalhos Científicos da Pós-Graduação, na área IV da Universidade Católica de Goiás.

Discussão - 7 comentários

  1. Igor Santos disse:

    Essas perguntas são a borda do redemoinho que levam aos livros de autoajuda e suas magic bullets.

  2. massacritica disse:

    Eu ia escrever… mas fiquei com receio de ser analisado.
    Ok… tô vendo que vou ser analisado pelo meu receio de ser analisado, e pela paranóia de pensar que vou ser analisado na… (ok, deixa pra lá… hehe)
    Paranóia fractal. 😉

  3. João Carlos disse:

    Um detalhe: quando você fala que “todo o mundo analisa todo o mundo”, isso é particularmente verdadeiro em termos do inconsciente analisando a linguagem corporal alheia.
    Daí muita gente dizer (principalmente nós, macumbeiros) que “… não sei por que, meu ‘Santo’ não ‘cruzou’ com o de fulano…” Muita coisa é processada pelo inconsciente e só o que o consciente toma conhecimento, é da “impressão” (por mais que o consciente tenha outra opinião 😉 )

  4. Paula disse:

    HAHAHAHAHA! Não é que virou post!
    Eu acho que todo mundo analisa todo mundo o tempo todo. O que você pode não fazer é empregar valor à sua análise, por exemplo, você pode não dar a mínima para o fato de um cientista ter uma religião, ou pode nem ligar para o fato do seu melhor amigo viver bêbado… uma coisa é analisar e outra é “precificar” a sua análise.

  5. Mr.Carrot49 disse:

    Usually, they are able to muster a smug fog of self-righteousness to get themselves to their preferred opinions and to make each other feel warm an superior. ,

  6. Stinky62 disse:

    Instead, we can zoom back a bit and look at some broader trends and strategies that play out across the entire episode, and consider how they work to teach viewers how to view the series as a whole. ,

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM