Ritalina: A solução para seus problemas?

Em um outro post sobre um vídeo do Bart Simpson com TDAH (Déficit de Atenção e Hiperatividade) acabei comentando sobre a Ritalina, que é hoje o medicamento mais prescrito em casos como este.

Para satisfazer mais minha curiosidade, fui atrás de mais informações e vou citar aqui o que li no incrível livro “O Cérebro do Século XXI“, escrito pelo neurocientista Steven Rose:

“O peremptório Diagnostic and Statistic Manual, com base em dados dos Estados Unidos, agora inclui como categorias de doenças o transtorno opositor desafiante, o distúrbio do comportamento destrutivo e, mais notavelmente, uma doença chamada de distúrbio de hiperatividade e déficit de atenção, que supostamente afeta até 10% das crianças pequenas (principalmente meninos). o ‘distúrbio’ é caracterizado por fraco desempenho na escola e incapacidade de se concentrar nas aulas ou de ser controlado pelos pais. Supostamente é consequência de função cerebral defeituosa associada a outro neurotransmissor, a dopamina. O tratamento prescrito é um remédio análogo à anfetamina, chamado Ritalina. Há uma epidemia mundial crescente de uso da Ritalina. Dizem que as crianças não tratadas apresentam um risco maior de se tornarem criminosas, e há uma literatura em expansão sobre ‘a genética do comportamento criminoso e anti-social’. Será esta uma abordagem médico-psiquiátrica apropriada para um problema individual, ou um quebra-galho barato para evitar a necessidade de questionar a escola, os pais e o contexto social mais amplo da educação?” (pág.14)

“…não há dúvidas que a Ritalina ‘funciona’, como no testemunho de crianças entrevistadas (…). Entretanto, a Ritalina não ‘cura’ o TDAH mais que a aspirina cura a dor de dente. Mascarar a dor psíquica indicada pelo comportamento destrutivo pode propiciar um espaço para pais e professores respirarem e para a criança negociar um relacionamento novo e melhor; mas, se a oportunidade não for agarrada, mais uma vez vamos nos encontrar tentando ajustar a mente, em vez de ajustar a sociedade.” (p. 289).

Fiquei até sem palavras!

Discussão - 136 comentários

  1. Luciana disse:

    “a genética do comportamento criminoso e anti-social”
    Agora vc imagina carregar um estigma como esse!

  2. Giselle disse:

    No fim da tese de doutorado, tendo que defender aquela m., desenvolví uma crise depressiva. Procurei um psiquiatra e saí de lá com uma receita de antidepressivo. Parei de chorar. Mas a vontade não passou. Os experimentos continuavam a não funcionar. O diálogo orientador-aluno ainda era ruim e, enfim, todos os questionamentos continuavam os mesmos! Mandei o remédio se catar e comecei a fazer terapia. Voltei a chorar. Mas aos poucos, fui desenovelando os nós e resolvendo os pontos de conflito. Resultado: a tese voltou a andar, defendí no ano passado e a depressão se foi! Sem antidepressivos. Não digo que não há um fundamento neuroquímico, mas se a base ambiental não for trabalhada, de nada adianta equilibrar a neuroquímica. Aliás, a neuroquímica pode ser equilibrada alterando-se o ambiente, não só com remédios de ação local.

  3. daqui a pouco estamos igual ao filme Minority Report!

  4. Legal! Vou ouvir a entrevista que o autor citou no site e darei meu parecer em seguida! 🙂

  5. Adorei seu depoimento! Que bom que conseguiu melhorar, melhor ainda sem o uso de medicamentos! Defendo a visão do autor do livro que citei: embora os medicamentos ajudem, a resposta está na verdade muito mais além dele! Muito obrigado por dividir sua história conosco!

  6. Noeliza disse:

    Epaminonfas, seu blog é muito bem informado! Está no meu, claro.
    Gstaria de esclarecer sobre o uso de ritalina, de forma entendível. Na verdade existem duas formas de procedimento.
    1. Administra-se ritalina como tentativa de acelerar as trocas neuronais necessárias na parte do cérebro responsável pelo contrôle de impulsos, frustração….
    2. Ou administra-se neuroléptico, carbamazepina ou outro indicado para atuar na desaceleração de pensamento e agitação interna(ou externa). Na verdade a pessoa aí é tão atenta que se perde entre vários estímulos.
    Abraço!

  7. Noeliza disse:

    Escrevi em mozilla, talvez seja melhor apagar e eu escrever via internet explorer.

  8. maria disse:

    giselle, tenho uma experiência que completa essa sua – ao mesmo tempo concorda e mostra que não há uma resposta única. também tive depressão quando devia estar acabando o doutorado. a terapia não saía do lugar, eu não conseguia pensar nem reagir nem ter vontade de mudar as coisas. nem chorar. pedi antidepressivo e concordei quando a terapeuta (que é psiquiatra) me lembrou que o medicamento não substituiria a terapia. não substituiu, mas reequilibrou a química do cérebro e tornou a psicoterapia possível. o final também foi feliz – tese feita, já não tomo remédio nem faço terapia.

  9. João Laureano Leme disse:

    A ritalina vem realmente sendo muito utilizada, mas considero perigosas associações do que alguns consideram patologias, se é que assim podem ser chamados possíveis comportamentos futuros, mas de qualquer forma, tudo o que a ciência tem compreendido e explicado tem solucionado com medicamentos e tratamento o que é muito bom.
    A ciência tem também, em grande parte dos casos, explicado as razões para o surgimentos de tais patologias o que nem sempre é observado haja vista a existência de determinada droga para “solucionar o problema”, o que sempre fica como um contorno rápido, um atalho, sem compromisso com a causa inicial.
    Tomo antidepressivos para poder manter-me estável, pois quando enfrento elevados níveis de estresse começo a apresentar traços de depressão que foi diagnosticada por um psiquiatra. Tenho amigos em situação semelhante e um primo teve que recorrer à ritalina para poder concluir as fases finais de sua graduação.
    Após todo o comentário deixo a simples opinião de que ao menos pra mim, se faz necessária uma maior compreensão por parte da sociedade como um todo em torno desse tipo de problema, para que os remédios não acabem tornando-se o soma da nova geração. Conheço pessoas que recorrem a medicamentos como pílulas da tranquilidade eterna, viciados literalmente, sem perceber que o meio em que se encontram deveria ser alterado de forma a fazer desaparecer a patologia da qual foram clinicados. Essa parte me faz pensar e em seu texto gostei da atenção dada a ela.
    O que importa para o homem é o homem, infelizmente nem todos possuem essa consciência. Belo blog, estarei retornando para conferir os novos posts.
    Faltava um blog sobre assuntos mais importantes do que vídeos do youtube (que foram os únicos que andei visitando durante um tempo).
    Abraços!

  10. Miranda disse:

    Se vc mesmo diz ” embora o medicamento ajude” porque esse discuros virulento e preconceituoso contra o mesmo ?
    Porque combater algo que, comprovadamente ajuda muitas pessoas ?
    Não é possível falar bem da necessidade de psicoterapia sem falar mal do medicamento ? #que como vc mesmo reconhece, é benéfico#. Ou tudo tem que ser uma guerrinha tola entre psiquiatria x psicologia ? porque não utilizar o E em lugar do OU ?#medicamento E psicoteria, não, medicamento OU psicoterapia#.
    E vc tenta no início do texto, tenta desdenhar o enquadramento médico do TDAH. Se vc realmente é um daqueles que pensa que o TDAH não existe, vc não tem a menor idéia do assunto que está tratando.

  11. iracema disse:

    olha eu queria saber quanto tempo antes devo tomar RITALINA
    pois eu preciso fazer teste de voltante e nao consigo e prentendo tomar esse medicamento …obrigado se tiver uma resposta pra min

  12. Júlio Cesar Proença disse:

    Sou TDAH e tenho reais melhoras no meu comportamento depois do uso da Ritalina, mas é mesmo algo cronico. É para o resto da vida. Só eu sei o que sofri na minha juventude e infancia por insencibilidade dos professores com o meu caso… fui muito humilhado, e mesmo embora conciente do meu estado não havia condições pessoais de superação para viver uma vida normal… hoje posso até viver normalmente, mas preciso do remédio para o resto da vida…
    a sociedade não está preparada para nós DDA’s nós é que temos que buscar um ”encaixe” nos padrões…
    abraço

  13. marcio disse:

    um neuro acaba de indicar Ritalina para meu filho de 07 anos após relatorio da escola e de uma psicopedagoga que o observaram durante algum tempo,meu medo é que por se tratar de uma droga existem risco de dependencia.
    mesmo que se confirme TDAH qual o percenual de susesso para um tratamento não medicamentoso?

  14. marcio disse:

    um neuro acaba de indicar Ritalina para meu filho de 07 anos após relatorios da escola e de uma psicopedagoga que o observaram durante algum tempo,meu medo é que por se tratar de uma droga existem risco de dependencia.
    mesmo que se confirme TDAH qual o percenual de susesso para um tratamento não medicamentoso?

  15. gui. disse:

    Marcio, seu filho provavelmete não necessita de forma alguma de nenhum estimulo externo para realizar suas tarefas e levar a vida em frente, na verdade ele vai se deparar com TDAH pelo resto da vida, e vc n vai querer drogalo com “anfetamina” substancia encontrada em diverças drogas ilicitas… Procure um terapeuta, um naturologo ou até mesmo um psycologo que possa os ajude a resolver esse possivel problema de uma maneira q n traga nenhuma agreção quimica a seu filho, bem pelo contrario que o estimule a ser quem ele é de fato sabendo lidar com seus próprios impulços, anceios e assim por diante…
    A respeito da dependencia Marcio, o efeito da ritalina eh comparavel ao da cocaina, leberaçao de dopamina e ceretonina… reflita sobre isso amigo

  16. Dinho disse:

    Qria usar ritalina alguém indicaria onde encontro?

  17. José Henrique disse:

    @ gui:
    Deixa de falar merd* seu imbecil!
    Ritalina NÃO causa dependência química, seu projeto de asno. Quiçá “comparável” a cocaína! Essa é boa…
    E o que vem a ser leberação e ceretonina?
    Vá limpar chão seu inútil!

  18. luciana disse:

    meu filho de 13 anos esta tomando ritalina ha 2 meses. Percebi que esta mais nervoso, agressivo e voltei à medica. Então ela receitou desipramina. Estou preocupada, se causa dependencia e por quanto tempo ele tera que usar. Percebi uma melhora muito grande com a desipramina, deixando ele mais calmo, sociavel. A desipramina causa dependencia? Não existe outra droga que trate hiperatividade e deficit de atenção, mas que deixe ele calmo, tranquilo, sem necessitar de um anti depressivo?

  19. Alan Louback disse:

    Luciana,eu não consigo entender pq pessoas em sua situação ficam fazendo esses tipos de indagações. Por que vc não faz as perguntas ao médico que receitou seu filho? Se não confia, pq não procura outro profissional? É evidente que o uso da Ritalina no caso de seu filho não teve sucesso, mas o médico mandou descontinuá-lo, certo? e é assim mesmo! As medidas nnão são regras gerais. Não existe receita que irá funcionar para todos os casos. Tente conversar melhor com os profissinonais aos quais confia a saúde de seu filho e, caso não seja suficiente, existe uma gama de materiais online abertos para pesquisa! Vá à luta! não espere que alguem aqui tenha a solução ideal para o problema do seu filho, já que nem o médico que teve a oportunidade de acompanhá-lo de perto, conseguiu sua confiança!

  20. Carmem disse:

    Tenho 31 anos e há 2 anos houvi falar em Défits de atenção, na época estudava muito para concurso e percebia que tinha uma dificuldade enorme em me concentrar. Semana passada resolvi fazer o P300 e o neurologista confirmou que tenho Défits de atenção, mas não me acho hiperativa pelo contrário vivo “viajando na maionese” e sou extremamente calma. Como atualmente não trabalho e não dei continuidade aos meus estudos para concurso, a médica achou melhor não receitar medicamento, mas quando retornar e sentir dificuldades, pediu para procurá-la. Pelos relatos que leio, acho que às vezes necessitamos,sim, dessas drogas lícitas para podermos ter mais qualidade de vida.

    • Vera disse:

      Sempre achei que o ser humano nasceu sem um trago ou uma drágea
      a menos. E não são só os humanos, pois vemos macacos procurando
      folhas, ou frutos, e outros animais precisando de algo que eles encontram
      na sábia natureza.
      Sim todos nós precisamos de um empurrão, seja medicamentoso, ou outra
      coisa. Um ex. a vizinha do lado do meu ap. se gaba q nem sabe o que
      é esta história de depressãp, toc, fobias e etc e tal. Percebendo algo
      me atrapalhando, notei q o rádio dela fica ligado super alto e o dia inteiro
      estava m encomodando, fui pedir para ela dar um tempo. Ela me disse
      tá louca!!!!! daí nem saio do lugar… Vejam só o remédinho dela, só q
      conserta ela e estressa muitos, quando deve ser o contrário.

  21. Jose Leandro disse:

    Caros, apenas sofrendo do distúrbio para saber o que é. É muito fácil julgar o tratamento, mas controlar uma onda de pensamentos no cérebro e perda de concentração constante não é nada fácil. Se alguns usam a ritalina para outros fins, infelizmente é da natureza humana. Agora, os que realmente necessitam da medicação para tentar aplacar a angústia e a distração típicas do TDAH não podem ser colocados na mesma categoria. Um cérebro constantemente em curto circuito, como apenas quem sofre do distúrbio conhece, gera muitas dificuldadesem um mundo onde se prega a organização.

  22. Mary disse:

    Afe! Fácil falar em mudar algo que já nasce com a pessoa, ou seja, um problema no cérebro ou uma vida angustiada, marcas profundas não se esquecem assim, com palavras. Cada pessoa é diferente e cabe a si mesma decidir o que a torna mais feliz. Ritalina não causa dependencia, uso e me sinto muito bem, mais feliz. Tenho um problema que terapia nenhuma cura. Parabéns para aquelas pessoas que conseguem, não é o meu caso, nasci assim. Quando viajo ou saio de férias, fico até mais de um mês sem Ritalina e não acontece nada a não ser ficar com a memória lerdinha como antes. Então, não fiquem querendo dar uma de médicos. As pessoas preferem acreditar em alguém que escreve um blog ao crer em um médico experiente. Esse daí tá recém formado, v~e-se logo pela foto, se for dele mesmo. Experimentem, se fizer mal, não usem!

  23. Thiago disse:

    Até quando aqueles que carregam um fardo chamado “Déficit de Atenção” vão ser vítimas do preconceito da sociedade moderna? Déficit de Atenção não tem nada a ver com depressão ou qualquer outro problema, aliás quem ajuda aos portadores a chegarem à estados psíquicos de depressão são esses idiotas que continuam com o mesmo discurso de que é vagabundagem, preguiça, falta de vergonha, rebelde sem causa e etc. Quem não tem essa porcaria, por favor não nos julgue, pq vc não faz a mínima noção de como isso é um problema sério e que pode nos levar a graves problemas de saúde. A Ritalina não é legal, supermaneira, q dá vontade de tomar de sobremesa. Quem usa esta medicação para outros fins está atrapalhando àqueles que precisam da medicação para darem prosseguimento a suas vidas pessoais, profissionais e acadêmicas, deixando na mídia e na sociedade uma baita má compreensão do problema todo. Não sou nenhum porta-voz dos portadores e nem quero ser, mas já encheu o saco esse bando de ignorante dar veredictos à respeito de uma parada que não fazem noção do que é, isso tem q ser tratado como doença! Lembrem disso!

  24. Nini disse:

    Descobri recentemente que sofro do transtorno do deficit de atenção. Quando criança ou adolescente não apresentava problemas na escola, porque apesar de não prestar atenção àquilo que não me interessasse, desenvolvi um método próprio de estudos. Mas lendo uma entrevista e posteriormente um livro, ambos da psiquiatra Ana Beatriz Barbosa, percebi que uma série de características minhas estavam atreladas ao transtorno.
    Menciono estas características no sentido de poder ajudar outros que tenham o mesmo tipo de problema:
    Desvio freqüente da atenção
    Desorganização
    Perda constante de objetos (documentos, chaves, carteira, cartões, etc)
    Procrastinação
    Esquecimentos (deixar a chave na porta da casa, onde deixei o carro,etc)
    Dificuldade em permanecer em atividades obrigatórias
    Não vejo problema algum em tomar um medicamento para um problema de origem neurológica. Devo iniciar um tratamento com Ritalina, com a mesma tranqüilidade e com o mesmo cuidado que iniciaria um tratamento para pressão alta.
    Porque tais características estão associadas a minha personalidade, não as vejo necessariamente como desejáveis. Alguém disse no fórum que temos que ser o que somos , mas também podemos desejar transformações e elas podem envolver química, porque a vida também é química, é corpo.
    Não me perece existir uma razão para deixar de tratar um problema, porque este está atrelado à mente, a menos que se considere mente tão somente como uma alma iluminada e se negligencie sua materialidade.

  25. Neverinda disse:

    A poucas semanas descobri que tenho TDAH, que para me tornar curada (por assim dizer), tenho que tomar o Ritalina…
    Tenho alguns receios sobre o medicamento pois andei lendo que ele pode causar dependecias físicas e psicologicas…(não me recordo aonde eu li)..
    É veridico isso?
    O Ritalina pode causar dependecias?
    Atenciosamente
    Neverinda

  26. Liliane disse:

    Há 8 meses entrei em depressão devido a uma alta carga de stress, foi ao neurologista e ele me receitou Ritalina, para tratar Deficit de Atenção, supostamente diagnosticado, mas eu não fiz o uso do medicamento, somente do ansiolitico, mas agora estou grávida e a depressão voltou novamente. Neste caso eu devo começar o tratamento com a Ritalina?

  27. Daniel Garcia disse:

    Vou deixar meu testemunho: Há cerca de 10 anos minha ex psicóloga me informou que eu poderia ser TDAH. Na época isso era novidade, logo parei de fazer análise e esqueci do assunto. Naotratei. Por toda a minha vida tive problemas emocionais, problemas de relacionamento familiar, falta de foco, falta de vontade em fazerr o que nao gostqava, em estudar o que nao me interessava, me envolvi com todo tipo de droga possivel e por Deus nao sei como nao viciei. Olhando pra trás vejo minha vida como um emaranhado e fortes emoções, loucuras e flashes que no lembro muito bem. Me formei colando na faculdade, até hj, com 35 anos, nao tenho uma independencia como deveria pois sempre tive tudo do melhor e sou muito acima da media em inteligencia quando o assunto nao é uma obrigação academica chata.
    Pois bm, comecei a fazer o tratamento com a melhor medica especializada aqui no Rio. De cara ela me enquadrou no diagnostico, só pela forma de eu falar, olhar, mecher as maos e ao responder o questionario eu era 100% tudo o que ele perguntava. Ela me disse ser um TDAH tipico e eu, sem acreditar muito no q isso mudaria minha vida…
    Passei a tomar RITALINA há 1 mes, nas primeiras semanas so notei que minha sandalia passei a nao perder na casa, minha chave do crro ficava no mesmo lugar, minhas coisas mais arrumadas…só isso! Na quarta semana, alias, anteontem, simplismente aconteceualgo muito forte na minha vida…FOI COMO SE EU TIVESSE MÍOPE E DE REPENTE UM OCULOS FOSSE COLOCADO NA MINHA VISTA….COMO SE EU TIVESSE PASSADO ANOS MEIO CEGO E DE REPENTE ENXERGASSE…. FOI COMO SE EU TIVESSE OUVINDO UM RADUIO MIUO FORA DE ESTAÇÕ A 35 ANOS E DE REPENTE UMA MAO SANTA COLOCASSE NA ESTAÇÃO FM DIREITINHO PRA MIM! rapido e simple assim!
    Descobri, apavorado, o quanto vivi por decadas desfocado, meio distante da realidade, pensando demais, avoado demais, sem qualquer foco…cheio de talento, mas desperdiçando ele…achando que tava vivendo, mas vendo a vida passar sem prestarmuita atenção! deixando as tarefas pro dia seguinte, sem sentir a dor por nao faze-las, dependendo de familia e achando normal!
    De uma hora pra outra me encherguei como homem, minha moralaflorou como nunca, senti o orgulho ferido pela minha vida bagunçada, minha honra falou mais forte, chorei por ver o qquanto isso é uma doença sim, uma coisa seria e que deve ser tratada. Chorei por ver que sem esse remedio, toda manha, no dia seguinte eu perco o foco denovo e começo a viver achando que t vivendo quando estou só vagando!
    Portanto galera, ao falar de RITALINA estamos falando de um remedio pra quem tem uma doença de atenção chamadda TDAH. Praquem realmente tem isso, é a cura, mesmo q temporaria…é o oculos pra ver a vida e forma correta, o botao de sintonia do radio, a forma de vc se organizar e ser voce, um sujeito homem, digno e de caráter…Uma pessoa equilibrada dentro do q é certo e errado!
    Pra quem nao sofre disso esqueçam….O efeito nuca será o mesmo, sera apenas uma anfetamina a te deixar ligadao a mais, nesse caso mais facil tomar um ecstasy ou cheirar pó, pois pra quem nao tem TDAH, a RITALINA é uma droga como qualquer outra!
    Pra mim, sera minha companheira pra sempre…Antes com ela do que sem!
    Abraços

    • melina disse:

      Oi,gostei de seu comentario.me sinto igual a vc antes de tomar mritalina.marquei um medico,pois nao aguento mais esse sofrimento.tenho 35 anos e naoo me formei ainda na faculdade,pois travo na concenfracao dos estudos.meu marido sempre reclama das tarefas de casa q nao termino o q comeco,da bagunca.espero q ritalina me ajude.estou muito eslerancosa.abrack

  28. Dulce garcia disse:

    PARABENS DANIEL, VC FALOU TUDO! MUITO BOM.

  29. renata disse:

    Gostaria de mencionar, o quanto depoimentos como estes ajudam pessoas que estão começando agora.
    O depoimento de Daniel é fantástico.
    Meu filho tem 9 anos, usa ritalina á 03 anos. claro que toda mãe quer seu filho “perfeitinho”, quando soube, o que acontecia com ele, fiquei apavorada, mas aí, tinha que escolher ou toma remédio, faz terapia, muítos esportes ou vive sozinho (uma crianças que chora porque não tem amigos, é muito triste), é rotulado na sociedade (escola,família, festinhas), ele que parar e não pode, não consegue.
    Então dou-lhe a medicação, prescrita por um médico conceituado, oqual aprendi á confiar, e rezo todas as noites assim: “Senhor que esta medicação só lhe faça bem, nunca lhe faça mal.”. E acredito que deus cuida das crianças.

  30. Christiane Garcia disse:

    Daniel, sua estória me emocionou muito e você foi muito feliz nas suas colocações. OBRIGADO! Eu estou começando a tormar ritalina por prescrição médica (inlclusive ontem foi o primeiro dia) e acredito muito no que você falou. Agente tem que correr para melhorar nossa QUALIDADE DE VIDA, e se necessário COM remédio. O importante é procurar profissionais bons, especialistas nas áreas. É uma pena que nem todos tem condições.

  31. Rafael disse:

    Pessoal, comecei o tratamento com ritalina a 2 meses. Mas antes, eu nao tinha nem um conhecimento sobre o assunto.
    O que chamou a minha atencao foi quando fui ao dentista e na sala de espera, peguei uma revista pra ler e tinha uma materia sobre TDAH. Logo algumas caracteristicas do TDAH se enquadrou comigo e comecei a pesquisar mais sobre o assunto.
    Apesar de eu ter percebido que tenho todos os sintomas nao procurei um profissional, ate entao eu tinha 23 anos.
    Mas isso nao deixou de sair da minha cabeca. Pois eu nunca conseguia terminar um projeto que comecava, muitas vezes desistia e muitas vezes comecava outro e assim sempre foi por toda minha vida. Na escola, pra resumir, era meu corpo na sala de aula e minha mente em um mundo paralelo com milhares de pensamentos ao mesmo tempo, sofri com isso por 24 anos. Um belo dia resolvi procurar um profissional e foi realizado o teste e a profissional ficou impressionada com o resultado. Apesar de eu ser muito calmo, fui diagnosticado com TDAH. Vou falar aqui o que falei pra doutora ao responder suas perguntas:
    PENSO EM FAZER VARIAS COISAS, MAS ACABO
    FAZENDO NADA, e pra piorar fico mal por nao ter feito
    o que era pra ser feito.
    Comeco a fazer varias coisas ao mesmo tempo
    ai fico perdido, depois desanimo.
    Tenho muita criatividade praticamente pra quase tudo,
    mas nunca boto em pratica, fica apenas no pensamento, so quando o assunto e trabalho tenho que concluir custe o que custar, falando nisso, perdi muitas oportunidades de trabalho
    analisando tudo isso. ( acabei de chegar nessa conclusao***)
    Gosto muito de ler sobre todos assuntos, mas nunca leio nada
    por impaciencia, desconcentracao rapida e o pior sintoma pelo menos para mim, acabo pensando em outra coisa, viajo ai quando volto ao livro, ja nao lembro mais do assunto e largo mao. Agora com 24 anos, 2 meses tomando ritalina, posso afirmar que tenho uma outra vida, e o mais importante, uma vida mais saudavel. De todos sintomas negativos que dizem por ai o unico que tenho e dor de cabeca apenas. Como nosso amigo Daniel relatou logo acima, em outras palavras, parecia que passei 24 anos com os olhos vedados da realidade.
    Em apenas 2 meses afirmo que sou outra pessoa, em todos aspectos. Pra deixar bem claro para as pessoas que felizmente nao sofrem de TDAH, a ritalina nao nos faz mais inteligentes, ela apenas ajuda a organizar conflitos de pensamentos. Imagina um HD todo desfragmentado por natureza e seu processador nao consegue organizar o mesmo porque sao muitas informacoes voando de todo lado para todo lado e a uma velocidade acima do normal, ai voce baixa ou compra um programa que faz essa tarefa, assim somos, os portadores de TDAH, usamos ritalina ou outros meios recomendados por profissionais da area. Uma pesquisa feita,(*informacao de um video do youtube sobre TDHA mas nao me recordo da fonte.) pessoas que possuem TDHA, tem QI mais elevado que pesssoas
    normais mas sao disperdicados devido aos sintomas.
    Entao e isso pessoal, queria trazer tal informacao aqui, assim podemos ajudar pessoa que tem TDHA porem nao tem o conhecimento da doenca, pois sobrer com isso por 24 anos e muito triste, desconfortavel e prejudica muito a vida da pessoa que tem e nao sabe.
    Abracos

  32. Catarina Silva disse:

    EM Portugal existe uma terapia inovadora para o défice de atenção, com e sem hiperactividade. É nestas alturas que tenho orgulho em ser Portuguesa. Deêm uma vista de olhos
    http://www.mindstation.com.pt

  33. Sidnei disse:

    TODO MEDICAMENTO VAI ALIVIAR AS DOENÇAS, MAS NEM SEMPRE IRÁ CURA-LAS, A CURA DEPENDE DE COMO NÓS LIDAMOS COM NOSSA REALIDADE INTERIOR, JÁ QUE EU QUESTIONO A IDÉIA DE QUE TEMOS DOENÇAS E PROBLEMAS, SERÁ QUE NÃO É NÓS É QUE CRIAMOS DOENÇAS E COLOCAMOS PROBLEMAS NESTA VIDA? AS DOENÇAS POR EXEMPLO É UM SINAL PARA O SER HUMANO CUIDAR MAIS DA SUA SAUDE, MAS A MELHOR SAÍDA É CADA UM CUIDAR DE SÍ, EVITANDO ESTES TRANSTORNOS MENTAIS, POIS SOMOS 100% RESPONSAVEIS PELAS COISAS QUE FAZEMOS NA VIDA, E AS DOENÇAS E OS PROBLEMAS ESTÃO INCLUIDOS NISTO

  34. junior disse:

    com muito esforco consegui ler esses relatos e afirmo que me ajudou bastante saber sobre esse remedio (ritalina),eu acho que ja passei da hora de tomar essa medicacao ,pois sofro de disturbio de atencao a 34 anos e nao assumo,aonde acho um profissional nesse assunto em goiania

  35. edu disse:

    Felipe Epaminondas,
    As colocações que você expõe são como se a sociedade (escola, por exemplo), devesse adaptar-se a pessoas que tem TDAH. Ainda, pelo que entendi, há um quê de dúvida sobre o TDAH ser realmente causado por disfunção cerebral congênita.
    Bem, caso o TDAH tenha realmente origens que não disfunções cerebrais relacionadas aos neurotransmissores, até é válido falar em “ajustar a sociedade”, para que esta não “gere TDAHs”. Agora, se as causas estiverem realmente no âmbito neurológico, meu caro, esquece isso de a sociedade adaptar-se aos portadores de TDAH, que isso para mim beira a ficção. Não vejo como realístico a sociedade adaptando-se à 10% de seus indivíduos que pouco conseguem desenvolver, tamanho nível de distração ou hiperatividade em seu comportamento. Principalmente havendo uma droga que bloqueie estes sintomas.
    O que deve é haver continuidade nas pesquisas sobre o que realmente causa o TDAH, se são fatores sociais ou neurológicos, e o que pode ser feito a nível de cura, para não mais dependermos de medicamentos que somente bloqueiem os efeitos do TDAH e que ainda podem causar outros males.
    Entretanto, enquanto não houver a tal cura, é difícil convencer uma pessoa que ela não deveria tomar um medicamento que a faz sentir-se como uma pessoa normal (ou seja, que consegue não só idealizar como também concluir projetos). Da mesma forma, não venha tentar convencer-me de que eu devo aceitar e assumir o meu jeito de ser “diferente” (leia-se distraído, sonhador e pouco realizador), e que a sociedade é que deveria tentar adaptar-se a mim, e não eu a ela. Isso é fácil no discurso.

  36. Jose Rubens Naime disse:

    Achei os comentários de alto nivel, gostei muito do comentário do Daniel. Sincero, honesto, sem preconceito nem intimidaçao, nem induçao ao uso de medicamento, mas verdadeiro e humilde. Penso que apesar de a sociedade querer normatizar o comportamento, as pessoas que tenham um disturbio que as prejudiquem pessoalmente e que tambem acabam prejudicando o seu meio social, podem e devem se beneficiar das conquistas cientificas que o mundo da medicina consegue. O que seria do mundo sem a luz??? E sua descoberta tambem foi cercada de medos.Naime

  37. Raquel disse:

    Opa! Posso fazer uma pergunta? Eu vi o post da Noeliza. Faz um tempo que eu insisto em fazer uma avaliação de TDA seria, mas ninguem me dá bola pq eu tive um desempenho academico normal e satisfatorio(em termos de notas! Mas só eu sei o que me custou). Mas eu sempre tive mts problemas escolares, desde a alfabetização. Até que um psiquiatra nao me descartou de cara, mas me passou um remedio chamado AMATO (topiramato). Saí de lá arrasada, eu que me defino como uma pessoa lenta recebi uma medicaçao pra reduzir uma “hiperexitabilidade neuronal”. Agora lendo o post da noeliza, me perguntei, esse remedio que ele me passou seria do tipo que vc referiu?

  38. Daniela disse:

    Li o comentário do Daniel Garcia e fico triste em saber que infelizmente muitas pessoas que ainda não conhecem a verdade ficam tão iludidas com os efeitos da ritalina. Estamos virando robôs domesticados com essas drogas da obediência. Quando eu tomava, tb em sentia assim, parece que eu tinha um óculos para enxergar o que fazia de errado e achava que a ritalina estava me “concertando” . Mas hoje através da filosofia descobri que existem outras formas de vivermos bem sem remédios e que essas doença inventada, inventada sim, o TDAH nada mais se trata de pessoas que tem opinião e não querem e não aceitam ser manipuladas pelo novo sistema. Aceito a mim mesma como sou e vivo bem melhor assim, na boa, entre remédio e sabedoria, vida saudável, eu fico com a opção 2

  39. Sergio disse:

    O Dani!! faz isso não!!

    O Rafa;Daniel e outros depoentes foram tão felizes e sinceros em suas declarações; declarações estas que só nos ajudam a ter uma qualidade de vida melhor, a sair deste estado letárgico em que nos encontramos, e você joga esse balde de água fria em quem quer, e agora pode ser feliz.
    Você vem nos dizer que é melhor ficar cego do que usar óculos; há pára!!
    Acho que faltou mais algumas doses de RITALINA para o seu tratamento, volte ao seu médico para lhe receitar um tratamento vitalício.
    Um grande abraço e volte a ser feliz!

  40. SANDRA disse:

    Eu também tenho TDAH, tenho 41 anos e confesso que minha vida não foi fácil…
    Sempre me achei diferente, perdida em meus pensamentos, com milhões de idéias, mas sem muitas realizações…
    Tive uma infância marcada por altos e baixos, períodos de intensa atividade e também momentos de fuga da realidade. As vezes era tachada de pestinha, de desobediente, de avoada, de irresponsável… Em outras era um anjo, boazinha, quietinha, criativa, amiga…
    Meu irmão tinha um comportamento parecido com o meu, mas quando criança foi diagnosticado com disfunção cerebral mínima, recebendo tratamento e cuidados especiais. Eu não, eu era a rebelde sem causa.
    Meu avô me entendia, me aceitava, confiava em mim, graças a essa pessoa maravilhosa eu não me perdi e me tornei uma pessoa má. Ele confiou o suficiente em mim. Me ajudava com as tarefas escolares, focava no meu lado bom, nas minhas qualidades e potencialidades. Tive algumas dificuldades nos anos escolares iniciais, mas graças a ajuda dispensada pelo meu avô e por professores maravilhosos que puderam perceber minhas qualidades pude me tornar uma boa aluna. Tive algumas dificuldades relacionais, era um pouco reservada, mas tive grandes amigas enfim apesar de atrapalhada fui um pouco feliz. Na adolescência continuei avoada, desorganizada, sonhadora. Me apaixonava e desapaixonava na mesma velocidade, não usei drogas ilícitas, mas me envolvi e relacionamentos arriscados. Adorava namorar… Fumava bastante, três carteiras de cigarro por dia. Parei de estudar no segundo ano do ensino médio. Tive muitos relacionamentos, nada de mais sério. Passei por várias crenças religiosas, tive inúmeros empregos, nas mais variadas áreas, iniciei mil projetos e não concluí nenhum. Conheci meu atual marido e depois de 6 meses estávamos casados. Hoje já fazem 20 anos. Hoje sou esposa, mãe de três filhos lindos, todos com comportamento TDAH, me formei em pedagogia em uma universidade pública aos 38 anos, sem fazer cursinho, sem Ritalina, apenas estando focada. Também passei em concurso público em ótima colocação. Continuei com minha desorganização, falta de foco, procrastinação, conflitos relacionais, etc. Meu tratamento se iniciou com a descoberta do transtorno no meu filho mais velho. Desde pequeno ele sempre foi ligado nos 220 wolts, procurei tratamento sem sucesso, descobri aos sete anos que ele tinha hiperhatividade. Minha vida era um inferno, eu era chamada todo dia na escola, por conta do comportamento dele; agressividade, impulsividade. Os profissionais da escola falavam que meu filho era mau educado,e TAMBÉM ME QUESTIONAVAM SE EU ESTAVA PASSANDO ALGUMA DIFICULDADE NO MEU RELACIONAMENTO MATRIMONIAL QUE PUDESSE ESTAR INTERFERINDO NO COMPORTAMENTO DO MEU FILHO. As pessoas não acreditavam em TDAH, achavam que era falta de educação. Foi aí que eu resolvi ler e estudar sobre o assunto. Fui fazer pedagogia, para poder ajudar meu filho e outras crianças e adolescentes com o mesmo problema. Meu tratamento começou aí com o empoderamento do conhecimento. Com conhecimento podia confrontar os profissionais. Quando eles falavam que era falta de educação eu pedia para eles estudarem. levava textos, indicava livros. Aos poucos fui conquistando respeito. Esta parte foi uma grande conquista. Meu filho tomou medicação por algum tempo, agora não toma. Eu estou tomando Ritalina, mas já tomei muitos outros tantos medicamentos. A Ritalina está me fazendo bem, estou mais concentrada, mais calma, mais eu, estou feliz, até consigo fazer minhas orações… A Ritalina não é uma panacéia, mas sem dúvida é parte importante do tratamento, que juntamente com a terapia cognitiva comportamental e com a informação ajudarão as pessoas com esse comportamento a se sentirem realmente vivas. Elas descobrirão que elas não são o problema, que o problema está no funcionamento de seu cérebro. Mudanças de comportamento ajudam sim, o meio interfere sim… As expectativas que colocamos nas pessoas fazem toda a diferença. Pessoas com comportamento TDAH precisam ser estimuladas em suas potencialidades, precisam de pessoas e situações que as desafiem e acima de tudo precisam de amor.
    Felicidades.
    Um beijo grande a todos os familiares e pessoas com TDAH, vocês são especiais.
    Sandra.

  41. Iris disse:

    Será que li texto diferente dos que estão comentando aqui? Ou, provavelmente, não leram até o final?
    Não vi menção de dúvida quanto aos benefícios da Ritalina para portadores de TDAH, mas sim a ressalva de que o medicamento pode ser muito mais positivo ao paciente se casado com terapia, empatia e colaboração por partes dos pais, professores, etc. “Mascarar a dor psíquica indicada pelo comportamento destrutivo pode propiciar um espaço para pais e professores respirarem e para a criança negociar um relacionamento novo e melhor; mas, se a oportunidade não for agarrada, mais uma vez vamos nos encontrar tentando ajustar a mente, em vez de ajustar a sociedade.”

  42. Vamos ser realistas, não pretendo colocar o dedo na cara de ninguém, já precisei de psiquiatra e psicólogo. Depois que o psiquiatra me curou, me curou mesmo, porque a crise bipolar que tive foi para suicídio e se encaminhava talvez um coma, vem o psicólogo dizer que eu nunca precisaria tomar nenhum medicamento, que a terapia ajudaria. Bom daí é fácil depois de o Dr que estudou 12 anos, contra 4 ou 5 de um psicólogo dizer isso. Tem que se tomar muito cuidado, tem muito psicólogo por aí morrendo de fome, daí vem com teses de psicoterapia sem remédios, ou seja, o individuo vai gastar o resto da vida pra talvez nunca resolver seus problemas. Tem psicológos honestos e psiquiatras que também receitam qualquer coisa. Nem lá nem cá, há casos que sem remédio a pessoa vai ficar andando em círculos.

  43. Edu TDAH 12.2011 disse:

    Hoje é o oitavo dia de Ritalina – Estamos em 12.2011 e faço analise desde 01.2008 – O motivo da analise – Insatisfação – Hoje com 42 anos e então com 38 não entendia o motivo de minha insatisfação – Sempre fui insatifeito com tudo. Nunca consegui desenvolver serviços repetitivos, ou chato, ler livro nem pensar só o necessário, porém consigo controlar diversas coisas ao mesmo tempo, adoro mandar e sou muito detalhista, não faço, mas quero que façam do meu jeito.
    Casado desde os 20 anos, levei meus estudos com muita dificuldade sempre passando em recuperações e reprovado na 6ª serie 1º colegial mesmo assim após o colégio fiz 1 ano de técnico e em seguida Cursei Ciencias contabéis, sempre tive apóio de minha mãe e depois minha esposa. Sempre me vi como um pessoa preguisosa, mas inteligente, e não entendia por que não conseguia me desenvolver profissionalmente. Com dois anos de analise consegui me intender melhor, enxerguei que sempre coloquei culpa nos outros, já tinha melhorado. Com o falecimento de minha mãe em 05.2010, e na mesma época peguei mais responsabilidades no serviço, apareceu a pressão alta, e o cardio disse que era “frescura” e pediu para ir a psiquiatra que me passou uma sequencia de antidepressivo para controlar a ansiedade. Depois de 8 meses parei no sexto medicamento, que já era um controlador de humor (remedio para bipolaridade). Continuei com a analise e a insatisfação, o que já tinha definido – Não estava tomando mais decisões importantes, e formava uma serie de opções e não concluia nenhuma, logo ficava insatisfeito, outro ponto planejava academia, ingles, pós e não fazia nada ou até começava o ingles e logo parava. e em 10,2011 meu analista pediu para eu ir ao psiquiatra solicitar analise de TDAH, ele me encaminhou para outra psicologa especializada em testes TDAH e deu na mosca. Fui medicado com a Ritalina, não tive dúvida comprei no mesmo dia, volto com mais noticia.
    A parte engraçada. Alguem já viu o youtube do Bat Simpsons TDAH. http://www.youtube.com/watch?v=WHJYRA9qR5o&feature=related

  44. juliano disse:

    tomo ritalina a seis meses, pois sou hiperativo com deficit de atencao a vida inteira, fico muito feliz em saber que existe medicamento para esse traço da minha personalidade e para o meu diferencial cerebral… se causa dependencia ou nao, acredito que vai da cabeça e da responsabilidade e seriedade com que cada pessoa fará uso do medicamento. concordo plenamente com um comentario que li sobre varias duvidas de uma mãe preocupada, as respostas quase sempre corretas e seguras vão partir do medico que prescreveu o tratamento com uso do medicamento. obrigado mais uma vez

  45. Ingrid disse:

    Tenho um filho de 6 anos, desde que nasceu, ele é muito agitado e inteligente. Entrou na escola com 3 anos e desde então meu sossego acabou. Digo isso porque sempre era chamada na coordenação porque meu filho não “brilhava”, ou então porque tinha brigado com algum coleguinha, dai vinham os castigos ou então os tapas.
    Até que ano passado conversando com minha mãe que é professora e já trabalha com alunos com TDAH, ela me disse que achava que meu filho era Hiperativo, eu pensei: “será?”, daí então levei em uma psicóloga, não foi constatado TDAH, ela fez o acompanhamento com ele, mas não vi melhora em seu comportamemto. No fim do ano passado a psicopedagoga da escola pediu para que eu o levasse em uma Neuropscicóloga, levei e foi constatado que ele é Hiperativo, mas ainda assim se concentra nas atividades e é muito inteligente, mas é muito ancioso, e quando tem uma atividade que não lhe agrada ele não se interessa.
    Ela o encaminhou para uma Neuropediatra, e lhe receitou Ritalina. Comecei a dar hoje pela manhã, minha família está sendo contra a medicação, menos eu e minha mãe. Penso que será melhor para ele, pois ele sofre muito com essa hiperatividade dele, os colegas gostam dele na escola, mas ele os afasta se isolando em um canto e brigando com eles, adora chamar minha atenção, e de todos. Confio na médica e principalmente em Deus que irá iluminar seu caminho!
    Abraço a todos!

    • eugenio ribeiro disse:

      Ingrid, estou neste mesmo dilema com meu filho que tem 6 anos. Gostaria de trocar experiencias caso você queira, ele ainda vai iniciar o tratamento mas já fomos comprar o medicamento. hrnascimentoARROBAhotmailCOM. Caso possa e veja esta postagem me escreva. Um abraço.

    • Rosane disse:

      Olá Ingrid, meu filho toma Ritlina a 2 anos (desde os 6 anos) e quando falta na farmácia e ele fica uns dias sem tomar a diferença é enorme, só vem reclamações da professora e ele se recusa a fazer os deveres. Para meu filho foi a melhor decisão que tomamos em dar Ritalina a ele. Um abraço!

    • ELIANE ROSA disse:

      O neurologista receitou o remédio para o meu filho de 13 anos sem fazer nenhum exame. Este ano ele está repetindo o 7 ano e já nesta primeiro bimestre as notas estão todas terríveiiiiiisssss!!!!. acabei de ler a bula e estou apavorada!!! como foi a reação e seu filho?

    • Magali disse:

      Ingrid, estou com 47 anos, 47 anos perdido de escola, faculdade, etc.. qq curso que eu tentava acabava desistindo pq não consegui memorizar e lembrar o que lia, ouvia, não conseguia e não consigo prestar atenção no que as pessoas falam, ou no que leio. Isso é um martírio para quem tem TDAH e não é diagnosticado. Meus pais eram muito pobres, desinformados e não tinham como saber o que eu tinha.. hj depois de anos e anos em psiquiatra com remédios para dormir, acordar, etc, eu falava das semelhanças desde a infância com TDAH e eles diziam que era depressão, eles não entendiam que a depressão vinha pq não consigo memorizar, concentrar no trabalho e nos estudos… eu simplesmente “surtei” com meu médico e disse para ele dar um jeito que eu não aguentava mais tomar remédio e nada adiantar, para ele me dar um remédio para TDAH que se não fosse isso, nós iriamos saber, mas eu sei o que EU SOU. Se o seu filho melhorar com a medicação, então vc verá que ele tem TDAH, isso não é a morte, é a vida ele poder ter uma mãe que descobriu tão cedo e poderá ajuda-lo, simplesmente não conte mais para as pessoas o que ele toma, somente para seu marido, Somente vcs dois sabem o que é ter um filho assim, ninguém vive 24 horas o sofrimento de vcs de do seu filho. Hj ele é criança não sabe bem o que tem, mas qdo ele for adulto e sentir que nunca aprendeu nada, que nunca conseguiu dar continuidade a nada, por ser desatento etc, ai sim a dor vem dobrada! Cuide dele agora!!! TDAH tira toda a vontade de ser alguém na vida, tira a vontade de estudar, de ser brilhante em alguma coisa, a gente fica sem ter dom para nada, é uma dor terrível. Pelo amor de Deus cuida dele, só quem tem TDAH (como eu) sabe o qto é duro se achar burra, incapaz de qq coisa. Bjs.

    • Wagner Rodrigo de Andrade disse:

      Tenho um filho de 4 anos e também estou tratando com a Ritalina, mais mesmo assim ele ainda não está conseguindo concentrar, mais espero numa melhora.

  46. Cristiane Magalhães disse:

    Minha história, quero dizer, a do meu filho é bem parecida com a sua. Meu filho vai a escola desde pequeno e enfrento desde então, conversa com a professora, com o diretor quase toda a semana. Ainda resisto ao uso da ritalina. Acabei de voltar do pediatra dele, que me disse que é contra e me receitou outro tipo de remédio para dar uma ¨controlada¨ nele. Meu marido é contra, mas como as crianças estão começando a evitá-lo, tenho medo da situação piorar. Agora que as férias acabaram, minha tortura voltou. Ele chega da escola quase que diariamente com um bilhete da professora reclamando dele, que ele não faz as coisas na classe e atrapalha os outros alunos. Ele é muito inteligente. Tentei de tudo, desde castigos até uns tapas, mas nada resolveu. Quando ele chega com um bilhete é aquela choradeira…ele fica super mal, parece que é uma coisa que ele não consegue evitar.

    • Marcelo disse:

      Olá mãe, deixarei aqui meu testemunho e espero que ajude.
      Sou pai de gêmeos e um deles tem TDAH. Muito rápido, inteligente e ativo.
      Andou com 11 meses e com 17 meses já falava de tudo, contava e identificava as cores, os carros de todos da familia e para meu espantou entendia quando me ouvia falar em inglês ( comando). A diferença entre os 2 é assustadora e minha esposa “coitada” não entendia porque ele é agitado tanto de dia quanto a noite (detalhe ele NUNCA dormiu um noite completa). Entendo porque ele é assim, herdou de mim. Isso mesmo eu tambem tenho esse transtorno que se bem compreendido e administrado poderá diminuir o sofrimento de todos.
      1- Muito se escreve sobre o assunto até já houvi descreverem como o transtorno dos gênios. BALELA . sofremos muito com isso.
      2- Sim, somos diferentes, podemos facilmente chatear as pessoas porque falamos o que pensamos, nosso senso critico é minimo.
      3- Temos que entrar em hiper foco para realizarmos as atividades até o fim.
      4 – Nossa mente funciona como uma grande tela com dezenas de monitores, por isso começamos uma frase e podemos simplesmente paras no meio e falar sobre o passario que acabou de pousar na janela e continuar depois já em um terceiro assunto.
      5 – Não tenha medo da medicação. Ritalina ajuda sim.

      TDAH não tem cura por isso devesse investir no que o portador faz de melhor. ESSE É O PONTO QUE GOSTARIA DE ENFATIZAR.

      Normalmente funções ligadas a arte e a criatividade.
      Não tema, converse com seu filho não descreva o tdah como mal e sim com diferente e especial.
      Marcelo, 35 anos Empresário.

    • Jaqueline Magalhães Soares Maia disse:

      Cristiane Magalhães, meu filho tem 9 anos e desde os 6 apresentou ser hiperativo faço tratamento com ritalina e acabaram-se as reclamações. Eu creio que é bem melhor fazer o tratamento senão como ele vai crescer e lidar com essa situação em que todo mundo o critica em vez de elogia-lo? Pense nisso, para mim foi a melhor solução.

    • marcia disse:

      OI,meu filho é igual ao de vcs,totalmente o que o Marcelo descreve,sofri mto até descobrir e aprender a lidar com o problema. Meu filho também toma Ritalina e tanto eu como ele estamos gostando do efeito.Mas estamos agora frente à outro problema,Ritalina está em falta no mercado.Quem souber onde encontrar….agradeço.

    • Adriana disse:

      Cristiane, estou chorando lendo seu relato, sei que é de 2012. E enfrento a mesma coisa nos dias atuais se puder me ajudar… Meu email é coutoadriana@uol.com.br.

  47. Carolina disse:

    Tenho 30 anos e recebi o diagnóstico de TDAH há 3 anos. Esse diagnóstico não veio apenas de um profissional, ao todo foram quatro. Receber o diagnóstico e começar o tratamento (tomo Ritalina e faço acompanhamento médico) mudou a minha vida.
    Acho muito fácil falar mal do uso do medicamento (não estou falando que seja o caso deste post, mas já vi muitas reportagens indo por esse caminho), sem ter maior conhecimento do assunto e sem conhecer e entender o quanto a vida de uma pessoa que tem TDAH pode ser difícil. Olhando para trás, vejo o quanto teria me beneficiado se tivesse sido diagnosticada e aderido ao tratamento mais cedo.
    Obviamente, é preciso tomar cuidado, procurar profissionais competentes, que saibam realmente o que é TDAH, como diagnosticá-lo e como conduzir o tratamento.
    Muitas vezes acho que as pessoas que realmente têm TDAH são prejudicadas pelo enfoque que normalmente se dá ao assunto: a quantidade de diagnósticos, as prescrições erradas. São realidades que existem, no entanto, não podemos nos esquecer tb que são muitas as pessoas que realmente têm o TDAH e que, por preconceito (muitas vezes dos próprios profissionais da área de saúde) ou informações erradas, acabam não sendo diagnosticadas e tratadas como deveriam ser.

    • Anderson disse:

      Olá Carolina

      Gostaria muito de trocar algumas informações c/ vc a respeito do TDAH, eu li essa semana a revista SUPERINTERESSANTE e tinha esse assunto, acho q tenho esse problema, o segundo problema é q estou no interior de minas gerais e não sei qual profissional devo procurar. Gostaria de ter alguma sugestão, pois ñ quero me alto diagnosticar e tomar um medicamento sem ter acompanhamento. (algo que muitos fazem)… algumas coisa eu consigo identificar… (ñ consigo ler um livro inteiro, qndo estou lendo alguma reportagem em revista, por exemplo, paro muito, me detraio facilmente e a leitura de algumas paginas leva horas, como a reportagem da SUPER, li em 3 horas 8 pág). espero poder ter sua ajuda ou de alguem. Att Anderson meu email:dersom@gmail.com

    • Vilma Ramos disse:

      Ola Carol! Eu tenho um filho de 14 anos e ele tbM TÊM o TDAH. Têm sido uma jornada cheia de altos e baixos. Eu tive um parto complicado e aos 3 1/2 de idade ele começou com os sintomas. Ele é Americano e qdo eu morava lá as escola queriam resolver o problema (fix the problem) mas eu briguei e não deixei porque ele era muito pequeno. Sou pisicoterapeuta e por isso não concordei com psicotropicos. Usei alternativas com medicina natural e continuo usando. Hoje vivemos no Brasil. Me separei porque meu ex-marido que é americano tbém não me deu suporte e fazia tudo que o filho queria o que dificultava mais ainda. Nesse momento a situação esta complicada por causa dos hormônios. O iperativismo diminuiu 70% mas o focoar nas aulas piorou depois que ele entrou na puberdade. Já pensei em dar Ritalina, mas ainda estou relutante. Se possível gostaria de saber quais são os efeitos colaterais que porventura você tem ou teve. Obrigado e que Jesus te abençõe! Vilma.

  48. lonibanac disse:

    Que engraçado, eu lancei mão exatamente destes argumentos quando descobri a existencia de tal medicamento através de um primo que é médico.
    Todavia, possuo um TDAH muito forte, sou estudante e pretendo fazer o uso da Ritalina como auxílio para o meu desenvolvimento.
    Belo Post.

  49. Vera disse:

    Minha história é diferente, porém interessante. Tenho mais de 50 anos
    e minha filha depois de adulta constou ser portadora de TDH, sendo re
    ceitado a ela Ritalina e Lexaprô. Tomando há 2 anos, trabalha de dia
    (formada em Markting) e dá aulas na faculdade a noite, Coisa q não conseguia fazer antes, frequenta psicóloga, e a cada 3 meses é avaliada por psiquiatra.
    Um dia ela ofereceu um comprimido para mim de Ritalina, apezar de
    tomar antidepressivo, me senti ótima, cheguei a tomar mais algumas ve
    zes. Percebi que quando não mais tomei, fiquei meio q travada,
    O que será que tenho, vou consultar meu terapeuta, e perguntar pq
    me fez bem, se devo continuar a tomar, receitado por ele, e pq nunca
    nenhum médico escutando meu histórico de demorar para pegar no tranco, me receitou algo parecido ou mesmo ela, pois devo ter falta
    de Dopamina assim como tenho de serotonina, ou será q pode fazer mal algo q me deixa tão bem.

    • Vanessa disse:

      Também tenho TDA mas sem hiperatividade. Quando descobri que tinha ainda estava na escola, quando começei a tomar a ritalina lembro que cheguei em casa e falei pra minha mãe: “não sou burra”. Mas com o passar do tempo a ritalina começou a não fazer mais efeito, quando tomava era a mesma coisa que se eu NÃO tivesse tomado. Então começei a me tratar com homeopata, e foi a melhor coisa, ja faz dois anos e me sinto muito bem… faz efeito ainda. Não preciso desse tipo de remédio que sabe la Deus como serão meus filhos.

    • Renato de Jesus disse:

      Olha, eu sempre fui mal na escola, tinha dificuldades na escrita, mais isso no passado não tem a mesma relevancia que tem hoje, comecei tomando Artane, no inico você se sente bem, calmo relaxado, mais vem os efeitos colaterias perde de memoria e outras funçoes cognitivas ,

      A Ritalina para Quem tem TDAH é a melhor, todo medicamento tem efeitos colaterais, um conselho que dou, como psicologo, é nunca ler bula de remedios, pense nas possibiliadades boas que ele vai te trazer,
      Outra dica é procurar grupo de pessoas eu conheço muitos, que tem os mesmo problemas e podem debater ideias e conversar sobre o uso da droga e seus efeitos, em mim tive efeitos positivos, consigo ficar horas estudando sem sentir cansado, e a memoria melhorou muito, mais é conjunto, deve sair de casa, vai caminhar, pega um onibus vai para lugar que não foi, Yoga, tenta se encontrar dentro de você mesmo, drogas não são milagres, depende da sua vontade de estar onde quer estar ! a Droga ajuda a se controlar e ter mais foco, mais o papel mais impoortante é você procurar atividades que te dão prazer !

    • Fernando S disse:

      Pergunta o que você tem? Se entendi bem, a pergunta se deve ao fato de ter tomado alguns comprimidos por uns poucos dias e quando não tomou mais, já se sentiu diferente? Ora, como ficará se tomar regularmente e por mais tempo ainda??? A resposta é clara: Profundamente dependente e viciada, sem condições de abandonar a droga.
      Para quem não sabe, a ritalina é uma forma semelhante à anfetamina (rebite, boleta). Parecida com extasy. Não é necessário perguntar ao terapeuta por que gostou tanto da droga.

  50. maria lucia disse:

    meu filho tem tdah,só que li varias publicaçoes de profissionais que não recomendaõ a ritalina ,alguns achan ela perigosa ,outos que ela causa efeito zumbi,e outros que a pessoa que faz uso mais tarde pode fazer uso de drogas pesadas,já não sei mais o que fazer, alguem sabe me responder.s.o.s.

    • Marcelo disse:

      Maria Lucia.
      Tenho 35 anos tenho TDAH, casado, pai de 2 meninos.
      Não bebo, não fumo e não uso nenhum tipo de droga ilicita.
      Posso dividir minha vida entre antes e depois di inicio do tratamento. Profissionalmente era uma lastima não terminava nada que começava, sempre reconhecido como inteligente,mas não materializava financeiramente.
      Hoje administro 3 empresas e exploro ao máximo os benificios que ser “Ativo, acelerado, …. ‘. Não quero fazer campanha pelo uso de medicação, mas todos os portadores que conheci neste 8 anos. TODOS estam melhores.

  51. tatiane disse:

    emfim tenho duvidas sobre o ritalina minha filha tem 11 anos e faz uso do medicamento percebo que quando ela toma fica tranquila e menos ativa mais ela se queixa de se sentir mal com remedio diz sentir tontura mal estar fiquei com medo e parei de dar sem consentimento do medico dela sera que fiz mal estou preocupada por favor me ajudem

    • Marcelo disse:

      Tatiane se o mal estar está relacionado a dores abdominais, dê o remédio junto as refeições.

    • waleria disse:

      Se ador for abdominal ,meu filho no começo sentia tambem,ai a medica mandou dar durante as refeicões e eu ou luftal pra ele e melhorou bastante e ele tem 6 anos e toma meio comprimido .

    • claudia disse:

      OI TATIANE, BOM DIA.
      LENDO VÁRIOS DEPOIMENTOS DE PESSOAS SOBRE O REMÉDIO RITALINA, ACHEI O SEU MUITO PARECIDO COM A MINHA SITUAÇÃO. POIS, MINHA FILHA DE 14 ANOS MUDOU DE COLEGIO ESTE ANO E ESTÁ SENDO AQUELE DESESPERO, ELA QUE SEMPRE TIRAVA BOAS NOTAS NA ESCOLA , ESTE ANOS PERDEU QUASE TADOS AS MEDIAS. O NEUROLOGISTA RECEITOU RITALINA EU COMPREI MAS AINDA NAO TIVE É CORAGEM DE DAR PRA ELA DEVIDO OS EFEITOS COLATERAIS QUE TENHO LIDO. EU ACHO QUE ELA NAO TEM DEFIT DE ATENÇÃO.

  52. NADIA MARIA PILATTI disse:

    Meu filho também é hiperativo,não para em momento algum,não faz nenhuma atividade na escola,é nervoso ,as vezes é agressivo,começamos dar ritalina a um mês, e ele se sente mal, com ansia,diz ele que se sente estranho,não sabemos mais o que fazer, pois achavamos que seria asolução para o problema de aprendizado na escola ,mas se ele se sente mal ao tomar a medicação será que é bom continuar com o tratamento?Ele sofre preconceito na escola ,na família, na sociedade,Para as pessoas são os pais que não dão educação,até o coselho tutelar,já ameaçaram de chamar,até falararam de tirar a guarda,estamos numa situação complicada ,será que tem algum outro remédio que pode substituir a ritalina?o nome dele é joão victor e tem 6 anos. um abraço.

    • Edson disse:

      NADIA

      Converse com o médico que receitou o medicamento para seu filho, relate as sensações que seu filho disse ter, questione seu médico sobre a dosagem do medicamento. Pergunte a ele sobre a possibilidade de fracionar em uma dosagem menor do que o de 10mg. Como o uso é recente em seu filho, talvez (eu disse talvez) o essa reação de ânsia seja sinal da fase de adaptação e uma dosagem menor pode suprimir tais sensações e pode-se ir aumentado a dosagem com o tempo até chegar na dosagem ideal. É a sugestão de uma possibilidade a abordar com o médico, que é a melhor pessoa para tratar com vc sobre este assunto e tbm sugiro que – em caso de dúvida – procure a opinião de mais de um médico.

      Quanto ao preconceito, tente dentro das possibilidades evitar que o JV sinta-se discriminado, com muita conversa e vá trabalhando com ele sobre os desafios que ele deverá enfrentar e vencer na vida, devagar e sem atropelos. Aos que agem com preconceito só nos resta lamentar por eles mesmos, pois são os verdadeiros doentes que precisam de tratamento.

      Boa sorte e sucesso para o JV.

  53. luciana disse:

    Bem, mais uma diagnosticada com TDH. Eu estou aqui olhando para a caixa de tarja preta e buscando informacoes na internet.Ja tomei e me fez muito bem, foi como se eu tivesse voltado para mim… Assim descrevo a sensação.

  54. aninha disse:

    gente!!! sou TDAH e uma das melhores coisas da minha vida foi a Ritalina…eu descobri a pouco tempo…mas se eu tivesse me tratado deis de criança com ritalina teria evitado tanta coisa errada da minha vida….que sorte q minha filha poderá ser tratada deis de cedo ^^

  55. Rodrigo disse:

    Tenho 19 anos e na segunda feira desta semana fui diagnosticado como TDAH estou tomando a ritalina porem estou me sentindo estranho, estou muito zonzo, boca extremamente seca e sensação de fraqueza, isso e pq eu tomo o remédio a pouco tempo ou é efeito colateral e terei que lidar com isso ?

    • Ana Lucia disse:

      Rodrigo eu tentei comprar este medicamento, pois sou muito agitada e não consigo ficar numa coisa só, as vezes quero estudar mas não consigo assimilar as coisas, me disseram que eu devo ser TDA, mas para pagar um psiquiatra para ele recomendar este medicamento é muito caro, vc. não quer vender o seu. Quanto vc. quer por ele, mas por favor pega leve. rsrsrsrs. Beijos aguardo uma resposta, e pelo que eu saiba eles só vendem com receita então fica difícil para mim, Beijos

    • Ligia Pimenta disse:

      Rodrigo, você relatou alguns dos efeitos colaterais da Ritalina. Procure um profissional qualificado e reveja seus sintomas. Você, assim como muitos outros, podem ter recebido um diagnóstico errôneo.

  56. Rodrigo disse:

    Só eu tive efeito colateral todos dizendo que tão bem x(

    • Gabriel disse:

      sou tdah tipo desatento, estou sentindo os seus mesmos sintomas Rodrigo. Mas tenho muitas esperanças nesse tratamento.
      *primeiro comprimido ontem

  57. sol disse:

    EU TAMBEM TENHO UMA FILHA COM TDAH E ESTA MUITO DIFICIO CONVIVER COM ESSA SITUAÇAO,POIS NADA ELA APRENDE NA ESCOLA ,ELA FEZ 12 ANOS E ESTA NO 4 ANO ,MAIS CHEGOU LA PRATICAMENTE EMPURRADA .FICO MUITO TRISTE POIS EU NAO ESTOU SABENDO COMO AJUDA-LA .ELA JA FAZ O USO DA RITALINA ,MAS ESTOU COM PROLBEMA O MEDICO DELA E DAQUELES QUE TODAS AS VEZES QUE EU LEVO ELA ELE NAO FAZ NADA ,NAO FALA NADA SÓ PASSA A RECEITA .RESOLVI TROCAR ELA DE MEDICO ENTAO DEIXEI ELA SEM A RITALINA POIS TODOS NOS SABEMOS QUE RITALINA SO COM RECEITA E O MEDICO QUE EU MARQUEI ELE É MUITO PROUCURADO UNS DOS MELHORES DA REGIAO ,VAGA COM ELE É BEM DEMORADO ,CONCLUINDO A FALTA DE RITALINA DEIXOU ELA SUPER NERVOSA ,AGITADA E PESSIMA NA ESCOLA .POR FAVOR ALGUEM ME DE UMA AJUDINHA DE COMO POSSO AJUDA-LA .POIS A RITALINA AJUDA MAIS EU ACHO QUE NAO É SO ISSO PARECE ESTAR FALTANDO ALGUMA COISA .OBRIGADA DESDE JA.

    • Ligia Pimenta disse:

      Claro que ela ficou agitada com a ausência do remédio. Isso é ABSTINÊNCIA. Essa substância é psicotrópica e causa dependência. Cuidado.

    • Fernando S disse:

      Veja como estão dando ritalina para tudo. Dizem ser crianças extremamente inteligentes. Já você terá uma filha para sempre viciada em ritalina e, estranhamente, diz que ela não aprende nada na escola. Não há como, lendo os comentários de todos acima, perceber que se está dando anfetamina (ops, ritalina) para tudo; e o pior, para crianças, aos quais serão eternamente viciadas. Na falta, será uma pessoa com tendência à violência. É a galinha dos ovos de ouro da indústria farmacêutica.

  58. Vânia Mesquita disse:

    Meu filhinho tem 7 anos e toma ritalia a + ou – 1 ano , ele está na 2 serie o toma a medicação só quando vai pra escola , estamos tendo resultados esperados, alem da medicação ela faz terapia com uma psicopedagoga e com fonoaudiologa 1 vez pro semana cada. Como mãe costumo dizer que não é facil ter uma criança assim pois é muito agitado , falante , não para quieto um só minuto temos que ter muita paciência muita mesmo , descobri o TDAH nele a aproximadamente 1 ano por indicação do colégio que percebeu e pediu para eu procurar uma neuropeditra, até então era só reclamação das escolas e afastamento dos colegas por conta da agitação dele , hj a relação dele com os amigos é normal, e no colegio tb , recomendo o uso da medicação pois só depois dela percebemos melhora no apredizado escolar, graças a Deus discubrimos a “tempo” evitando muito atrazo.

    • waleria disse:

      Oi Vãnia tudo bem?meu filho tambem tem TDAH,ele é bastante agitado fala bastante as vezes a gente fala que vai em algum lugar ele ficar falando a mesma coisa a te agente chegar ao lugar.E ele toma a ritalina nos descobrimos ja faz uns 4 anos mais ele vem tomando a uns 2 anos,na escola ele fica super bem ainda não sabe cor as letras nem numero.

  59. KELLY CHRISTIANE disse:

    TENHO SOFRIDO A TEMPOS COM ESSO PROBLEMA DE ATENÇÃO NA ESCOLA, VERDADE NÃO SOMENTE EU O PROBLEMA É DO MEU FILHO QUE HOJE ETSÁ COM 14 ANOS , DESTE DO JARDIM A PROFESSOROU ME AVISOU QUE ELE TERIA PROBLEMAS NA ESCOLA , NÃO SEI MA O QUE FAÇO ELE SOFRE EU TAMBEM É TERRIVEL , POIS, EU NUNCA IVE ESSE PROBLEM AQUANDO ESTUDAVA.
    MEU FILHO NÃO É AGITADO SÓ TEM PROBLEMAS EM SE CONCENTRAR, TODOS OS ANOS SOU CHAMADA NA ESCOLA COM RECLAMAÇÕES QUE ELE NÃO FAZ NADA NA SALA DE AULA , ACHO QUE AS ESCOLAS SÃO MAU PREPARADAS PARA ESSE TIPO DE PROBLEMAS, HÁ ANOS VEIO TENTANDO ACHAR UMA SOLUÇÃO PARA O PROBLEMA DO MEU FILHO E O QUE CONSEGUI NAS ESCOLAS FORAM SÓ CRITICAS COMO MÃE É HORRIVEL SABER QUE EXISTE UM PROBLEMAS E NINGUEM PARA TE ORIENTAR.
    ACHO QUE A RITALINA AJUDARIA MUITO MEU FILHO, MAS ESTOU COM MEDO QUE VIRE UM DEPENDENTE QUÍMICO MAS TARDE.
    A MINHA DÚVIDA É O MÉDICAMENTO É SÓ PARA QUEM TEM DTAH OU PODE SER ADMINISTRADO PARA QUEM TEM SOMENTE DTA..
    POR FAVOR ME AJUDEM ESTOU DESEPERADA.

  60. maraisa disse:

    Meu filho vai iniciar o tratamento, estou receiosa, ele tem 6 anos e muita dificuldade de concentração, nem consegue estabelecer diálago…..

  61. jacqueline disse:

    Meu filho de 6 anos esta usando este medicamento a +ou- 4 meses, ja estamos notando melhora na escola.mesmo assim fico preoculpada com o uso prolongado deste remedio.

  62. gisele disse:

    Gente, faço tratamento com meu filho ele vai completar 10 anos ele toma ritalina a poucos meses, pois ele tinha muita dificuldade na escola pra apreender e tinha muita energia parecia que era ligado na tomada, um terrivel dia ensinando meu filho nas tarefas escolar em casa perdi a paciencia e vi que aquela situação de não conseguir apreender nada não era normal entrei na internet e descobri o Site ABDA…. foi ai que levei no neuropediatra ele passou ritalina, mais como eu queria ter mais confiança fui em uma psiquiatra e psicologa e o tratamento foi o mesmo..
    conclusão ta amando..gente a vida dele mudou elese sente mais confiante com auto estima mais auta , este bimestre foi uma paz pra estudar com ele a letra dele mudou na escola é só elogios, do geito qque tava não podia ficar … o importante que todo mundo ficou feliz o tratamento dura 22 meses … e estou satisfeita com a ritalina!

  63. KARLA disse:

    Eu tenho 30 anos e comecei a tomar ritalina com 23. Minha vida mudou para melhor, entrei na universidade federal, conseguia acompanhar as matérias e ia bem no trabalho coisa que não acontecia sem o medicamento.
    Quando engravidei com 28 anos parei de tomar. Só voltei a tomar depois de 2 anos quando parei de amamentar e não tive abstinência alguma. Claro que sem o medicamento vc volta a ser como era antes mas nada de “ai meu deus preciso urgente da ritalina” . Assim que parei de amamentar e voltei a trabalhar minha vida voltou ao “normal” com o uso da ritalina e eu recomendo.

  64. FABIANA disse:

    Meu filho tem 7 anos e é muito agitado, esta me dando muito tabalho na escola, briga com o s colegas e não faz atividades. Levei num psiquiatra e o mesmo indicou que nós tratassemos ele com escitalopram, mas com este remédio ele ficou muito mais agitado. Ouço falar da RITALINA , mas por causa dos efeitos coláterais, mas ao mesmo tempo penso que não da mais pra continuar assim nessa situação. O que fazer ??

    • Paula disse:

      Querida Fabiana meu filho também tem 7 anos e desde os 5 anos foi diagnosticado com TDAH,sempre tive medo da ritalina em 2 anos foram varios medicamentos sem nenhuma resposta,alguns os deixavam mais agitado ainda,tinha muito problema com ele na escola,praticamente os mesmos que vc tem com o seu.mais a 4 meses a neurologista me convenceu a dar a ritalina para ele,foi muito bom a vida dele mudou para a melhor,agora ele consegue se relacionar com os amigos,faz todas as atividades na escola e fica bem mais tranquilo,tive uma resposta muito boa com a ritalina!!!!

  65. cris disse:

    sei que sou pelos sintomas mas sou tão travada que nem ao medico consigo ir sempre digo que é amanhã …..

  66. Cassio disse:

    Para voces verem que a venda de remédios estão sempre associados com a psicologia do medo.

  67. maria cleus disse:

    queridos amigos eu lhe peço ajuda tenho um filho de 7 anos que e muito ajitado na escola ja nao sei mais oq faser , levei ele numa neorologista ela me falou que elee imperativo e me passou a ritalina l a e ja fais 5 dias que eu estou dando e eu estou vendo que ele esta muito nervoso e ajitado queria saber se isso e normal no inicio do tratamento

  68. Kariane Aires disse:

    Tenho um filho de 6 anos, que completará 7 em dezembro desde que nasceu, ele é muito agitado,ansioso e inteligente.
    Por ser bastante agitado resolvemos levá-lo para uma creche-escola aos 10 meses, e aos 2 anos entrou na escola e desde então meu sossego acabou. (já estudou em 4 escola desde então)
    Digo isso porque toda semana era chamada na coordenação porque meu filho não “se sossegava”, ou então porque tinha brigado com algum coleguinha, dai vinham os castigos ou então as cintadas.
    A coordenação da escola de nº 02 sugeriu que procurasse tratamento especializado, pois ele seria um Hiperativo em potencial. Lí muito sobre o assunto e levei–o a uma neuropediatra que depois de todos os exames não identificou nenhum distúrbio físico, e pelos meus relatos diagnosticou o TDAH como ele na época só tinha 2 anos ela receitou um remédio chamado Neuleptil, pois a Ritalina só pode ser ministrada com 5 anos idade na qual o TDAH é diagnosticado com precisão.
    Levei-o também em uma psicóloga que faz o acompanhamento com ele, mas nunca senti melhora em seu comportamento.
    Desde então venho administrando essa situação já fiz tudo… pedi demissão, dei uma irmã… e as reclamações na escola continuam crescentes… Essa semana voltarei ao neuropediatra para conversar com ele sobre o uso da Ritalina que sempre resisti em dá, pois estou cansada e não agüento mais meu filho sendo rejeitado e com esse estereótipo de desobediente e bagunceiro. Penso que será melhor para ele, pois ele sofre muito com essa hiperatividade dele, os colegas gostam dele na escola, mas ele os afasta brigando com eles, adora chamar minha atenção, e de todos.

  69. Janine Baltazar Bortoluci disse:

    Meu filho de 11 anos também toma Ritalina desde os 6 anos, ele é muito inteligente, só dei por ele ser muito agitado, ansioso e ter hiperatividade, só que desde o começo quando ele toma(dou quando vai para a escola), ele parece um zumbi e fica muito brabo, implica com os colegas, enfim é um transtorno, mas se eu não der, ele não para quieto, e se toma fica totalmente parado e muito brabo.

  70. Romário roman disse:

    Bom dia, fui diagnosticado com TDAH a mais ou menos 6 meses, tenho 22 anos.
    Desde jovem tinha um comportamento diferente, gostos diferentes, sempre me senti em um mundo que não era pra mim. Mais academicamente isso só foi me atrapalhar na faculdade. Comecei 3 cursos diferentes, sempre fui rotulado com inteligente por ter passado no vestibular algumas vezes(rótulo que eu não considero). Não consigo me concentrar em nada, minha vida afetiva sempre foi uma bagunça, assim como minhas coisas. Sofro todos os dias, são poucas horas de sossego e paz. Assim que fui diagnosticado, foi receitado pra mim citalopram que em baixas dosagens ‘funcionaria’ para o TDAH, mais apenas piorou, os meus estados depressivos aumentaram e ficaram mais fortes. Fui em outra Neuropsicóloga que me receitou a ritalina. Agora vivo o dilema de tomar ou não a ritalina, ao mesmo tempo que quero terminar meu curso, quero parar com esse sofrimento mais não quero depender de um medicamento o resto da minha vida .

    • francisco disse:

      Romário, o que você diz equivaleria a dizer que sou miope mas não quero depender de óculos para o resto da vida,prefiro ficar me esforçando para enxergar as coisas.Você consegue, mas a vida fica muito mais facil com o auxilio de certas ferramentas. Todos nós dependemos de uma série de coisas que nem percebemos como pasta de dente, sabonete, desodorante, óculos, boné para os calvos, tenis, etc. Não creio que se trate de uma dependencia , apenas algo que vai te ajudar a ter uma vida mais tranquila.

  71. Gisele disse:

    Sou mãe de uma garotinha linda de 7 anos, e a 4 dias atras descobri que ela é TDAH, fiquei totalmente desesperada quando soube, isso explicou e muito os meus ultimos 2 anos de idas no colegio, só esse ano foram mais de 10 ocorrencias e suspensão…. sinceramente, achei que eu ia ficar louca, mais agora, estou perdida…. a Medica passou Ritalina, mais andei lendo os efeitos colaterais e as materias e estou apavorada…. me ajudem….

  72. eliane disse:

    meu filho toma ritalina desde os 6 anos por hiperatividade e falta de atenção , no início do tratamento o remédio fez efeito, por 4 anos, depois disso percebi ele muito nervoso, com falta de apetite suava demasiadamente nas mão e nos pés e a concentração voltou a oscilar parecia que não estava fazendo o efeito esperado e o médico aumentou a dose, hoje ele tem 12 anos e o remédio parece não fazer efeito ele toma 2 de 10mg pra ir a escola, o que percebo é que quando ele se interessa no assunto, ele vai bem qdo não a nota é péssima , eu tenho que estar em cima direto se não ele não faz nada, somente aquilo que ele gosta, estou entendendo que a ritalina fez efeito por um tempo agora não mais está só judiando dele pois reclama de dor de cabeça , diminuiu o apetite fica agressivo qdo esta medicado, não estou usando mais , enão aconselho o uso, é melhor procurar alternativas e ter muita paciência, o que faz muito a essas crianças é elevar a autoesima deles, assim eles entendem que são umpouco diferente,tem potencial superor, e que eles devem procurara usar toda essa agitação pras coisas positivas,assim eu estou conseguindo aos poucos ajudá-lo a se dominar sempre lembrado-o filho se controla está passando dos limites, hoje ele entende mas até uns 10anos pra le não existia limites hoje com 12 ele que se policiar e isso trouxe avanços acredito que com a maturoidade ele vai melhorar muito, mas não vou fazer uso do remédio e com a experiencia que tivemos, no caso dele ajudou até uns 10 anos depois atrapalhou, começaram a ter efeitos colaterais por conta do aumento da dose, e com a mesma dose do início o remédio não fazia efeitos. penso que devemos aceitar que são diferentes e se empenhar em ajudá-los a lidar com essa situação.

  73. Rafaela disse:

    Tenho 17 anos e acabei de terminar meu ensino médio com um péssimo aproveitamento. Até a oitava série eu era uma aluna excelente que apenas prestando atenção nas aulas, conseguia notas ótimas. Entrei no ensino médio e essa ”preguiça mental” começou a se desenvolver. No primeiro ano tive um rendimento bom, no segundo, ruim e no terceiro, péssimo. Percebi que havia algo errado em estar presente em todas as aulas e não capturar as matérias. No começo achei que fosse apenas preguiça mas depois de perceber que essa ”preguiça” não passava nem com minha vintade e esforço, vi que havia algo errado. Pesquisei na internet e soube da existência de vários transtornos. O que mais chamou a atenção foi o déficit de atenção, o qual me identifiquei com grande parte dos sintomas. Fico muito triste por não ter corrido atrás disso antes e ter melhorado meu desempenho. Não tenho condições sociais para pagar consultas particulares então, marquei uma consulta com psicólogo pelo convênio. Me culpo todos os dias por não ser aquela menina que tirava notões, não aguento mais carregar um peso de que não conseguirei dar uma vida melhor à minha família. Se eu for diagnosticada como portadora de TDAH, terei um certo receio pois tenho muito medo dos efeitos colaterais e ao mesmo tempo não vejo a hora de começar esse tratamento e voltar a sentir como se eu fosse eu mesma. Agradeço a todos os depoimentos pois me motivaram muito. Quando eu souber de algum resultado, posto aqui.

  74. marcia disse:

    Meu filho teve perda significativa de apetite com a Ritalina.

  75. Aparecida disse:

    Tenho um filho de 10 anos. ñ tenho problema com ele na escola de comportamento embora em casa ele gosta muito de pular e fala de mais, só que ele não consegui se concentra nas lição tira muita nota vermelha e esquece muito as coisas,levei ele ao neuro e o médico passo Ritalina LA quando li a bula quase morri de medo agora não sei o que fazer. E muito efeito colateral que pode dar me ajudem pelo amor de Deus…

  76. MAGUI SOARES disse:

    MEU NETO ESTAVA TERRIVEL BRIGAS,AGITADO NA ESCOLA ERA RECLAMAÇOES TODOS OS DIAS.LEVEI NUM PSIQUIATRA AGORA ELE ESTA TOMANDO RITALINA E MELHOROU MUITO.AINDA BEM JA ESTAVA FICANDO DOIDA E TRISTE COM A SITUAÇAO.

  77. ANDREIA disse:

    EU TENHO UM FILHO DE 6 ANOS E DESDE QUE NASCEU ELE É AGITADO E MUITO INTELIGENTE,MAS NÃO CONSEGUE SE CONCENTRAR E APRENDER A LER DEVIDO A AGITAÇÃO,LEVEI A NEUROPEDIATRA E ELA RECOMENDOU RITALINA,VOU COMEÇAR O TRATAMENTO AMANHA…..E QUEM NÃO ENCONTRAR NAS FARMÁCIAS SAIBAM QUE SÓ TEM A VENDA NA DROGARIA PACHECO E SÓ COM RECEITA MEDICA.A NEUROPEDIATRA INDICOU DAR NA PRIMEIRA SEMANA SO MEIO COMPRIMIDO ANTES DELE IR A ESCOLA E DEPOIS DE UMAA SEMANA DAR UM COMPRIMIDO.

  78. Franciane Sena disse:

    o meu filho foi diagnosticado como uma criança hiperativa aos 4 anos de idade. Quando a psiquiatra passou ritalina para ele eu não queria aceitar por conta de certos comentários sobre o medicamento. Mais a psiquiatra me convenceu e eu comecei a medica-lo com a ritalina, o meu filho já tem 5 anos e este medicamento sobre pontos positivos para ele. Ele está ótimo na escola, se relaciona melhor com os seus colegas e em casa está um amor.

  79. Jose Victor Alegre disse:

    Gostaria de me apresentar, e relatar um pouco da minha vida.
    tenho hoje 24 anos, trabalho como Administrador Financeiro e sempre tive problemas mais que terríveis com:foco, atenção, concentração, dispersão e organização.
    minha vida acadêmica ate hoje foi uma grande tragedia Grega, acompanhando as historias publicadas pelos pais aqui, pude me encaixar em todos os casos, sempre fui elogiado por todos por ser muito inteligente e ao mesmo tempo nunca desfrutei desta inteligencia na escola, péssimas notas nunca consegui concluir trabalhos notas péssimas em todo tipo de avaliação.
    minha mãe (tadinha) sempre foi chamado na escola por muitas questões dês de conversa paralela, falta de trabalho, notas baixas e repetências.
    exemplo de como me afetava o distúrbio de atenção, para copiar matéria do quadro eu precisava de um esforço descomunal.
    para passar um texto a limpo e revisá-lo, mais fácil escrever um novo texto pois não conseguia copiar ou transcrever.
    causando ate um super cansaço mental e emocional aos 19 anos que eu não queria mais estudar, pois como eu sou auto-didata aprendia assuntos do meu interesse muito antes que os professores ensinassem e a falta de atenção aumentava ainda mais.
    fui a procura de um Psiquiatra esta semana a conselho do meu Gerente pois estava acarretando um estremo problema para o meu trabalho e por fim ate mesmo prejuízos para a empresa.
    foi receitado a “Ritalina” para resolver esse grande PROBLEMA que já causou danos terríveis para minha vida profissional e escolar dês da infância, o medo da minha mae de me levar ao Psiquiatra adiou e muito o inicio do meu tratamento pois os psicólogos e psicopedagogos que me trataram na infância sempre diagnosticaram um amadurecimento precoce ou diziam que eu era avançado para minha idade.
    tratamentos e alternativas tentadas ate hoje: Kumon (técnica de estudo japonês), natação, artes marciais, regressão, aconselhamento, musica, instrumentos musicais e ate mesmo leitura excessiva. dentre eles todos não deram uma notória melhora.
    espero que a Ritalina resolva pois já não aguento mais.
    e espero que os pais tomem a atenção necessária pois viver na velocidade que a gente vive é bom mais atrapalha e as pessoas não nos intendem, não conseguimos fazer as tarefas que para vocês são normais com tanta facilidade, mais temos capacidades de fazer coisas com facilidade que muitos não conseguem, nem melhor nem pior somos apenas diferentes.

  80. Monalise disse:

    Tenho um filho de 11 anos, aparentemente super normal. Sempre foi muito sadio, porém, sempre me deu problemas na escola. Não como aprendizagem, sempre teve facilidade em assimilar conhecimento, porém, sempre foi bastante nervoso. Tive que muda-lo de escola devido ao comportamento dele perante aos coleguinhas. Por qualquer motivo, ele não se controla e acaba batendo nas outras crianças. Minha esperança era ao mudar de escola, ele perder um pouco essa agressividade, pois não conheceria bem as outras crianças, leve engano meu. Desde do primeiro dia de aula que ele vem de dando problema. A professora e diretora me disseram que ele não respeita ninguem. Segundo a psicopedagoga da escola ele pode estar com transtorno desafiado e me pediu que o levasse com urgência a uma psicóloga. Bom, o levei, e ela me disse que ele é bastante inteligente, porém, que terá que passar por um neuro. Acredito que seja para ser medicado. Em conversa com outras mãe na clínica, ouvi falar muito no Ritalina, que seria ótimo para ele. No entanto, andei lendo alguns relatos sobre o remédio que me deixou bastante preocupada, pois pode dar problemas futuros. Gostaria de saber se tem alguma mãe ou pai passando por problemas semelhantes com seus filhos, para podermos trocar experiência, pois como sou bastante sozinha, estou tendo muita dificuldade em lidar co tudo isso. Obrigada.

    apresenta

    • valdirene disse:

      oi monalise, olha eu tenho um filho assim tbem, e desde pequeno com 6 anos levo ele ao neuro , mas por ter medo desses medicamentos tao forte eu abandonei o tratamento, e achei melhor ir tendo paciência com ele, mas agora ele piorou e muito além do tdah e hiperatividade ele é muito agressivo e tbem eu percebi q ele tem as vezes gosta das coisas mal feito e tbem tem más inteções,, eu estou desmoronada!! sem forças , criar um filho com tanto carinho e amor enfin!! não sei o q fazer!! tem dias q vira uma confusão em casa e reclamação na escola com colegas e professores , eu sempre com medo desse remédio mas se não tem outro jeito vou tentar !1 espero q de tudo certo!!!

  81. sheila marques disse:

    Comecei o tratamento com o meu filho de 6 anos há 2 dias, notei ele mais agitado que o normal. O médico receitou metade do comprimido na 1ª semana e depois 1 inteiro. Gostaria que alguém me dissesse se é normal no inicio eles ficarem mais agitados? Não observei perda de apetite, mas o sono dele ficou estranho, se debateu demais… me falem a respeito. O meu problema com ele é só na aprendizagem, está muito abaixo que os colegas, no mais estava tranquilo.

  82. Edilaine disse:

    Olá a todos,

    Meu filho tem 3 anos , muito inteligente porem nao fala direito e muito ancioso, nuas noites de sono eram todas interrompidas pela agitaçao, iniciamos o tratamento com um “Dr. famoso “em Dezembro de 2013 com 1/2 comprimido por 2 dias e depois 2 de manha e 2a tarde , ele parecia um transtornado, parei de dar. Fui ao medico que me pediu para baixar para 1 e 1/2 , mas afora meio filho esta mais concentrado para brincar , fala um pouquinho mais, porém se tornou uma crianca deprimida, nao come as vezes nem toma liquido no almoço e nem cafe da tarde só janta, se tornou uma criança muito dependente de mim , se sente solitario e nao brinca sem a gente ou eu principalmente, quando fica nervoso, treme e fica com manchas vermelhas de nervoso… Estou muito assustada, nao sei bem o que fazer, tenho depressão e o meu estado agravou depois de ver meu filho sofrendo …alguém vivência algo parecido???????

  83. natalia disse:

    Meu filho de 6 anos foi diagnosticado pelos professores com deficit de atenção,a hiperatividade,resisti um pouco até q foi confirmado pelo neuro.
    Comprei a medicação iniciei o tratamento e com alguns dias ja recebi elogios sobre o comportamento dele na escola,porém eu ainda não estava satisfeita,com muito medo q esta medicação se tornasse um vicio para meu filho ,então procurei uma homeopata q passou uns globulos para ele tomar durante o dia passiflora e mandou eu suspender o tratamento.Nos primeiros dias notei ele mais calminho e até pensei:Ai q bom me livrar do ritalina e manter meu filho mais calmo de forma mais natural….Porém não durou muito,o agitamento dele agora veio até maior e eu estou me vendo obrigada a voltar o tratamento,pois mesmo sendo dificcil aceitar ,reconheço q vai ser melhor para ele.

  84. Solange disse:

    Meu filho toma ritalina desde os 4 anos e hj ele tem 10 anos, mas esse ano esta sendo difícil só tenho reclamações dele, estou direto na escola ouvindo os professores reclamar levei ele no neuropediatra e experimentamos trocar a ritalina pelo concerta, foi pior essa troca ele tirou zero na avaliação de artes e não sei mas oq fazer ja deixei de castigo dei uns tapas mas nd adianta, ele fez acompanhamento com fonoudiologa, psicologa, psicopedagoga fiz de td, agora espero alguma luz para me guiar no caminho certo para poder ajudar meu filho pq com td isso sofre eu e ele

  85. ANTONIO GILBERTO DE LIMA MELO disse:

    O remédio natural para TDA é meditação (20 a 30 minuts por dia).

    Sei que é difícil para um TDA meditar, mas ele pode fazer isso usando a ritalina(tente fazer todos os dias por um ou dois anos e depois faça o desmame para ver se nota alguma diferença.

  86. Rodrigo Ilton Caruso disse:

    Bom pessoal, TUDO tem efeitos colaterais. Vocês sabiam que respirar é o quê envelhece e mata nosso corpo? (pesquisem mitocôndria) Mas ficar sem respirar é muito pior. Assim encarei o fato de tomar Ritalina. Os efeitos colaterais chatos só ocorrem no início (que pode ser pouco mais de 1 mês), depois disso comparei 31 anos sendo TDAH, e 1 ano sendo TDAH com 8 horas medicado por dia. Nesse 1 medicado ano eu acredito que realizei mais do quê em 5 anos sem medicar. No meu caso, para os meus sintomas de TDAH, vivo 5x menos se eu não me medico, pois “rodo em falso” sem realizar. Como não quero jogar quatro quintos da minha vida no lixo, a medicação tem sido minha melhor opção, visto que a cura não existe. É muito fácil para quem não é TDA julgar quem se medica, assim como eu poderia culpar um diabético de se drogar com insulina, sendo que “ele poderia se esforçar mais”. Mas a população é preconceituosa mesmo, quando o problema é mental, é sempre culpa do paciente. Qualquer outro órgão seu é respeitado, mas quando se fala de cérebro, o paciente tem obrigação de se regenerar como se o cérebro fosse rabo-de-lagartixa. Eu sei, pois antes de conhecer o problema(sendo um fracassado na vida) ainda assim eu pensava como a população em geral sobre problemas mentais. Culpe a vítima, e xingue pais que se preocupam com a felicidade dos filhos(que envolve conseguir fazer as coisas como todo mundo).

    Quem não tem filho TDA deve achar que é falta de bronca, mas me digam, como eu recebi ultimato de ser demitido se não realizasse uma tarefa simples de realizar em 3 dias, e com 30 anos não realizei a tempo(mais de 10 dias) e fui demitido.

    Sou um completo asno, não? Mas sou um completo asno que passou (antes de conhecer o TDAH e o tratamento) em uma Universidade Federal(mas em segunda chamada), em uma Faculdade Federal(13º lugar) e em uma Faculdade Estadual(3º lugar) sem cursinho e após 8 anos passados de ter me formado no colégio. Vocês que me julgaram, como é a média do desempenho do vestibular de vocês para falar do meu raciocínio?

    É assim que um TDAH pode viver, realizando menos do que é capaz. Sempre desempenhando abaixo de pessoas que se esforçam MUITO menos do que ele. Isso, para mim, é o efeito colateral mais devastador que podia ocorrer em minha vida.

    Comecei a me medicar, parei de consumir álcool de vez (já consumia raramente poucas vezes ao ano) por não querer sacanear o fígado e não poder beber no horário da medicação. Não era para eu estar me tornando viciado em drogas pesadas?

    Cada caso é um caso. Deixem as pessoas descobrirem o que é melhor para elas, quem não tem câncer, que não julgue a quimioterapia por favor.

  87. Rodrigo Ilton Caruso disse:

    Gostaria de comentar aqui, caso alguém diga que tenho algo a ver com laboratórios ou coisa assim. Na verdade tenho ódio, pois os preços praticados são exorbitantes. Mesmo a medicação de 4h que dá um pouco de boca seca é cara, e a de 8h que não sinto isso é indecentemente mais cara.

    Seguem dois links caso queiram ver online chamadas em vestibulares:

    http://download.uol.com.br/vestibular/listas/ufabc_chamadamaio.pdf
    Página 5

    http://www.abril.com.br/arquivo/convocadostxt_cefet.pdf
    Página 18 – Mudei meu último sobrenome quando me casei

    • regina gomes moura disse:

      Oi Rodrigo, muito esclarecedor seu comentário. Tenho 35 anos, sempre tive dificuldades nos estudos, vida social em tudo. Há mais de 10 anos fui diagnósticada com depressão, de lá pra cá já passei em alguns psiquiatras, psicólogos, trocaram minhas medicações várias vezes. Há mais ou menos um ano fui diagnósticada Tdh, o atual psiquiatra vinha insistindo pra eu começar a usar ritalina la, eu relutei muito, por preconceito e medo do que li a respeito. Não aguentando mais essa sensação de fracassada em tudo dei início ao tratamento há 4 dias, estou extremamente nervora, irritada e super agitada, é assim mesmo ou só até meu organismo se acostumar? Por favor me ajudem, só tenho retorno no meu médico daqui 15 dias.

  88. Thais disse:

    Também estou muito preocupada, vou começar a medicar o meu filho de 11 anos com Ritalina.
    Gostaria te trocar informações com outras mães.

  89. denise santos babeto disse:

    Meu filho toma ritalina desde os 6 anos de idade, sendo que hoje está com quase 12 anos. Esta 4 meses sem ritalina seu hiperatismo melhorou muito não tenho mais problemas com convìvio familia e amigos, mas na escola não está fazendo nada está complemente sem rendimento.Gostaria de saber se a falta do medicamento deixa agressivo mas é só na escola com os amigos, será que o tratamento homeopatico resolve na questão do defict de atenção dele, ano passado o rendimento foi pouco na escola mesmo tomando medicamento. Obrigado

  90. Hebert disse:

    Pessoal o que acham de criarmos um grupo no Waths app especificamente para conversarmos sobre esse infindável assunto do TDAH, dislexia, dislalia… Só assim poderemos ter noção como é o dia-dia de uma pessoa com tais transtornos e também compartilhar alguma dica ou informação que nos foi útil e também pode ser útil para outra pessoa, talvez seria bastante edificante.

  91. regina gomes moura disse:

    Oi Rodrigo, muito esclarecedor seu comentário. Tenho 35 anos, sempre tive dificuldades nos estudos, vida social em tudo. Há mais de 10 anos fui diagnósticada com depressão, de lá pra cá já passei em alguns psiquiatras, psicólogos, trocaram minhas medicações várias vezes. Há mais ou menos um ano fui diagnósticada Tdh, o atual psiquiatra vinha insistindo pra eu começar a usar ritalina la, eu relutei muito, por preconceito e medo do que li a respeito. Não aguentando mais essa sensação de fracassada em tudo dei início ao tratamento há 4 dias, estou extremamente nervora, irritada e super agitada, é assim mesmo ou só até meu organismo se acostumar? Por favor me ajudem, só tenho retorno no meu médico daqui 15 dias.

  92. Regiane disse:

    Meu filho de 8 anos começou a tomar a ritalina a 20 dias, inicial um comprimido de LA 10mg, depois de 15 dias 2. Porém não estou dando dois, achei que ele ficou muito agitado. Estou dando um e a tarde dou o tofranil. Ainda não sei dizer se está bom, acho que alterou um pouco o comportamento, mas dizem que tem que tomar pelo menos 30 dias para sentir. O problema está em tomar o comprimido, ele não quer, estou colocando no leite será que pode???

  93. ceica disse:

    Ola tenho um filho de 4 anos que nao para um segundo e agitado e nao sei mas o que fazer desde que nasceu nao gosta de dormi ele esta na escola e repetiu a mesma série porque nao consegue aprender e memorizar as coisas e a professora diz que ele nao fica quieto e nao quer fazer os deveres vcs acham que ele pode ter tda

  94. Jéssica disse:

    Na experiência de vcs ser q posso diluir a ritalina na água ,pq meu filho não está conseguindo tomar a ritalina em comprimido

  95. KIKO disse:

    ENTÃO,TENHO 13 ANOS E ESTOU CONFUSO, TENTEI ME MATAR MAIS MEU BODE DE ESTIMAÇÃO AJUDO NA HORA DE REERGUER E CRESCER NOVAMENTE

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM