Por que Dunga não é um behaviorista (e nem o Diogo Mainardi)

20100712_mainardi.jpgFiquei sabendo que o jornalista Diogo Mainardi apresentou em sua coluna na revista Veja sérios equívocos com relação ao behaviorismo e à psicologia experimental. O texo chama-se “O caso do Sr. D” e nele Mainardi tenta fazer uma comparação ao modo como o (ex) treinador da seleção Dunga trata a imprensa e os jogadores com o modo como Skinner tratava seus sujeitos experimentais animais.
Sou cuiabano, e já não ia muito com a cara do Mainardi desde 2005, quando ele dissese alguém me oferece 10.000 reais para dar uma palestra em Cuiabá, penso imediatamente que eu aceitaria pagar 15.000 reais para não ter de ir a Cuiabá.
A última vítima de Mainardi foi o behaviorismo. O afirmação infeliz do jornalista foi:

“Dunga só pode ser nosso B. F. Skinner. Ele faz com seus jogadores precisamente o mesmo que, nos primórdios do behaviorismo, B. F. Skinner fazia com os pombos e com os macacos de seu laboratório. Primeiro, prende-os numa gaiola. Segundo, isola-os de qualquer contato com o exterior. Terceiro, raciona seus alimentos. Quarto, condiciona seu comportamento administrando-lhes choques elétricos.”

Já é difícil fazer com que o público leigo (e alunos iniciantes) olhem com bons olhos ao behaviorismo, e uma das razões para isso, acredito eu, é nossa linguagem técnica e rigor experimental. Ao estudar animais em laboratório e fazer pesquisas experimentais com seres humanos podemos passar a impressão de que estamos desumanizando-o, o que não é verdade. É muito comum em vários ramos da ciência começar trabalhando com animais para depois se testar os achados em humanos. Mainardi, infelizmente, acabou ferindo a imagem dos psicólogos behavioristas.
A profª Maria Martha Hübner, juntamente a outros membros da ABPMC, escreveu um texto intitulado “Por que Dunga não é um behaviorista”, mostrando que o behaviorismo e os trabalhos de Skinner não tem nada a ver com o que ele apresenta em sua coluna! Recomendo muitíssimo a leitura, inclusive dos comentários, que pode ser feita neste link. Vou deixar aqui um pequeno pedaço:

“Queremos, sim, construir um mundo mais digno. E os dados da ciência do comportamento vêm sendo profícuos em nos ensinar a como fazer isso. Mas isso depende da capacidade de nossos interlocutores superarem preconceitos históricos e ouvir o que temos a compartilhar à luz do atual desenvolvimento da Análise do Comportamento e do behaviorismo skinneriano.”

Discussão - 10 comentários

  1. Érico disse:

    Não é por nada não, mas até agora a desculpa dos behavioristas tem simplesmente se limitado a “Não é bem assim”, mas não vi ainda nenhum texto que de fato rebata as críticas e mostre então a tal “real” instrumentação do behaviorismo e porque tais visões estão erradas.
    Esclarecer que os behavioristas se preocupam sim com “um mundo mais digno” pode até ser verdade, mas sinceramente, não refuta nada. Você mesmo não explicou “Porque o Dunga não é um behaviorista” (aliás é o título do seu post).
    O Mainardi em nenhum momento disse qualquer coisa a respeito da ética dos behavioristas. Nem sobre o modo como behavioristas tratam humanos. Ele só falou das práticas que o Skinner tinha em seu laboratório com animais, que de fato são verdadeiras, e então ele relacionou-as ao Dunga. Se você prestar atenção, ele não chamou o Dunga de behaviorista! Só disse que os métodos dele com os jogadores é comparável ao do Skinner com pombos e macacos. Não há relação do método Dunga com a psicologia behaviorista, esta foi má-interpretada pelos próprios behavioristas, como visto na carta linkada. A associação de Dunga behaviorista-punitivo é erro de leitura da sra. Hubner!
    E se mesmo os membros da ABPMC fazem um monte de associações inexistentes em um simples parágrafo (onde, aliás, me parece bem óbvio apenas um recurso de expressão) é porque o próprio behaviorismo criou um estigma que nem ele mesmo consegue se livrar. Cruzes!

  2. Érico disse:

    Só pra esclarecer: não acho que Dunga seja behaviorista e sei que o método dele não tem nada a ver com behaviorismo, tampouco vejo sentido na descrição de um Dunga “punitivo” do sr. Mainardi (que aliás, pra mim é mesmo um embuste). Só acho que os behavioristas tem olhado essa reportagem com uma indignação injustificada e pouca argumentação pra refutar.

  3. Thiago disse:

    Érico, bunda na cadeira e muita leitura antes de sair por ai falando merda…
    Se você nunca viu nenhum texto que rebata as críticas é por puro desconhecimento seu. O próprio Skinner tem vários textos dedicados a isso. Francamente…

  4. André disse:

    Fico pasmo em saber q tem gente q ganha (e bem) para escrever besteiras em Revistas de grande circulação….

  5. Francisco Boni Neto disse:

    Jornalista que estudou profundamente ciência antes de iniciar os seus falatórios fecais semanais?
    Diogo Mainardi é um acéfalo.

  6. Emerson disse:

    Oi. Muito legal saber que você é cuiabano. Também sou. Já acompanho seus textos a algumas semanas e nem imagina isso.
    Parabéns pelo excelente blog.

  7. Felipe Epaminondas disse:

    Érico,
    Eu mesmo no post ressaltei a dificuldade que é para leigos e iniciantes do curso compreender como funciona a filosofia behaviorista e você espera que eu passe esse conhecimento todo em um post? Tenho tentado passar algumas idéias no blog, mas se você quiser conhecer mais a fundo as base e aplicações desta ciência minha recomendação é que busque um livro da área, recomendo o “Compreender o Behaviorismo”, de William Baum.

  8. José Luís disse:

    Penso que o sr. Mainardi, apesar de incompetente, dono de auto-crítica suficiente para notar que não tem competência para abordar assuntos polêmicos.
    Sendo assim, ele tenta criar polêmicas no seu nível de competência, e sobreviver se não pela qualidade delas, pelo menos pela quantidade.
    Só assim para compreender uma pessoa pública, atacar, sem provocação, uma fatia de leitores. Ou então, ele é apenas imaturo.
    Na minha opinião, qualquer que seja o diagnóstico, seu resultado imediato é o descrédito dos textos escritos por ele…

  9. Roberto disse:

    O que fica evidente depois de toda esta discussão é que pombos e macacos são infinitamente mais inteligentes do que Diogo Mainardi. Se fosse trancafiado e submetido aos eletrochoques que ele próprio menciona, provavelmente morreria eletrocutado por não conseguir responder aos estímulos.

  10. Fernando disse:

    Esse Mainardi só escreve besteiras. Mas ele não é o pior, pior é quem lhe dá audiência que são seus leitores.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM