Porque o Facebook vicia

Já ouvi pessoas dizerem que o Facebook precisa de um botão de “não curtir”. Até descobri recentemente esta “Campanha Não Curti” com mais de 32.000 pessoas. Uma ideia interessante mas que, se aprovada, só prejudicaria o site.
É fácil entender o porquê disso, basta lembrar de um processo básico que nossos alunos aprendem no primeiro ano de psicologia: o condicionamento operante.

20110616_facebook.jpg

Coloque um rato sedento em uma caixa fechada com uma alavanca que se pressionada libera uma gota d’água. Ensine-o a pressionar a alavanca e ele o fará muitas vezes, até saciar sua sede. Se em uma dessas ocasiões a consequência for retirada (a gota d’água) o pressionar a barra diminiuirá podendo chegar a zero. Mas se em alguns momentos ele receber água e outros não, ou seja, a consequência for intermitente, aí meu amigo, ele vai ser um rato muito insistente e pressionará muito a sua barra.

Agora imagine você escrevendo algo no Facebook, como “as fotos da festa ficaram ótimas”. 5 pessoas curtiram isso. Esse “curtir” funciona como a água: é o estímulo reforçador que manterá você escrevendo no site. Imagine que em momentos ninguém curtiu o que você posta, em outros poucas pessoas curtiram e em outros muitas pessoas curtiram. Aí você já foi “pego”, pois mesmo que ninguém tenha curtido algo que você postou, é provável que você continue postando, pois em outras ocasiões muitas pessoas curtiram.

Até agora eu não falei do “não curtir”. Para saber que consequências o “não curtir” poderia gerar em alguém é fácil: imagine o que aconteceria com o rato se, ao pressionar a barra, ele recebesse um choque. Simples assim!

(Se você gostou desse post, pode gostar também da parte 2)

Discussão - 19 comentários

  1. Alexandre disse:

    Também tenho percebido outra coisa no FB. Há “amigos” no FB que até interagem bem na rede. Mas, ao os encontrar na rua… A coisa fica bem diferente. Até não interagem, algumas vezes. Como seria possível explicar isso?

  2. Vivi Marchezini disse:

    Curti! 🙂 Dei o exemplo do FB numa aula passada para ilustrar o conceito de esquema de intervalo variável – talvez seja o mais adequado para o caso. Eu não falava especificamente sobre o “curti”, mas sobre qualquer interação (um comentário, um aplicativo no mural, etc), sinalizada pela notificação que aparece no alto da página.
    Pensando assim, o “não curti” até poderia funcionar como punição, mas também tem grande chance de funcionar como reforçador – já que é também um tipo de interação (ou seja, um reforçador social). Além disso, o “não curti” pode ser usado em situações de solidariedade. Exemplo: a pessoa postou “Fui mal na prova de hoje” e recebe vários “não curti”…
    O que acha?
    Abraços!

  3. Felipe Epaminondas disse:

    Vivi, adorei seu comentário! Enquanto eu escrevia o post pensei em alguns desses pontos mas resolvi deixar de fora pra não ficar com o post muito extenso e focar somente no curti/não curti. Mas concordo com tudo isso que você falou!!!

  4. Karina disse:

    Oi gostei do seu blog, gostamos da mesma profissão ajudar no sofrimento alheio
    De uma olhada no meu blog
    http://ninabontempo.blogspot.com/2011/06/relato-de-um-relacionamento-sofrido-por.html

  5. Felipe disse:

    Olá!!
    Só passando para elogiar o blog. Eu estava navegando pela net até que encontrei o seu post “Algumas polêmicas do DSM-V”. Muito bom, ainda mais pelos links!Sou graduando de psicologia e recentemente tenho me dedicado ao estudo da medicalização e esse post me foi muito util! Mais uma vez obrigado.
    Ps: quando tiver mais tempo prometo que volto ao blog para dar uma olhada com mais calma. abrç

  6. Mariane disse:

    Passando para parabenizar pelo blog! Excelente!
    Aproveito e deixo meu blog também com assuntos voltados para a Psicologia: http://blogcognicao.blogspot.com/
    Abraços!

  7. Adorei seu texto. Creio que tudo o que trás alguma recompensa (prazer) vicia. É bastante bacana pensar em quais seriam as recompensas do Face book: Sensação de ser querido? Ser lembrado e portanto a sensação de ser importante para alguém.
    http://www.opsicologo.com.br

  8. Angela Lins disse:

    Gostei do texto, realmente muito interessante.

  9. M.Forster disse:

    Acho que o Facebook pensa do mesmo jeito que vc, tanto que, apesar das campanhas, o site não se rendeu.
    Agora, o curioso é que existe uma ferramenta pra isso (http://migre.me/5jLmy) e ela tem mais de três milhões de fans. E o mais curioso é que o usuário só pode dar um Dilike em quem usa a ferramenta tb, ou seja, as pessoas que usam essa ferramenta ficam sujeitos a receber Dislikes.
    Tudo bem que 3 milhões é um número pequeno perto do número de usuários do FB. Mas por que será que 3 milhões de pessoas se sujeitam a levar choques?
    Aliás, parabéns pelo blog! =)

  10. vials disse:

    Simples assim! Gostei!

  11. Cristiano disse:

    Nada a ver, sem ofensas…
    A função existe, para liberar, instale o script deslike facebook… é fácil

    Alguem posta uma noticia sobre algo ruim, voce vai no “curtir”, chega a ser contraditório. o Botão não curtir serve pra isso.

    Tem uma página de uma empresa que fez coisa errada, ou de um grupo ligado a praticas que eu, você, ele ou ela, não gostem.

    Clique no botão não curtir, afinal você não é obrigado a curtir tudo o que é exposto numa rede, especialmente numa parte que é publica…

    Nunca usei o não curtir em páginas de amigos, postagens deles e etc… mas em grupos, especialmente sobre o assunto ligado a defesa animal, o não curti serve para isso.

    Sem ofensas, pesquise o assunto, e o uso de tal função, antes de fazer um comparativo psicológico.

    ps: Estão querendo habilitar a função “Eu não ligo, ao lado da não curtir”, ela seria um pouco mais malvada, porém apenas “curtir”, foge um pouco do real, já que na vida você não é obrigado a curtir tudo o que vê na frente, senão você vira um robo sem mente própria

    • Amigo, sei que existe o plugin “não curtir” e acho bacana que você não o use em páginas ou comentários de seus amigos, mas dificilmente todos pensariam assim. Algumas pessoas só precisariam de poucos “não curtirem” para deixar de usar o FB e provavelmente os desenvolvedores sabem disso pois o Mark Zuckerberg estudou psicologia em sua época de faculdade.

  12. silvio vilson disse:

    to viciado…

  13. Gal disse:

    Adorei a explicação sobre facebook, pelo viés do condicionamento.

    http://www.facebook.com/pages/Vivendo-e-Aprendendo/223755291028755?sk=wall

  14. JP Freitas disse:

    Agora eu entendi, e concordo.

  15. essa ideia é muito boa, normalmente quando não há reciprocidade nas mensagens e publicações não temos aquela vontade de continuar no FB digo isso por esperiência própria. valeu o blog…

  16. netania disse:

    eu gostei mt desse blog! falando sobre o “FB”. temos que recomendar esse blog para essas pessoas que sao viciadas no “FB”. bjs pra tds 😀

  17. […] esse assunto, eu já tinha me esbarrado com textos e vídeos, mas hoje eu me deparei com uma imagem. Trata-se de um quadrinho produzido por Gus […]

  18. […] Depois de muito procurar o motivo do Facebook viciar tanto eu acabei achando uma teoria muito interessante no site Science Blogs […]

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM