O que é a Dexametasona?

Quimicamente falando, a dexametasona é um  esteróide também chamado de 9α-fluoro-16α-metil-prednisolona.[1] A característica distintiva da estrutura da dexametasona é a presença de um átomo de flúor (F) na posição C9 (amarelo) do anel esteróide como podemos observar nas estruturas, a seguir. 

A dexametasona é um corticosteróide, ou seja, é semelhante a um hormônio natural produzido pelas glândulas supra-renais. Ele tem a capacidade de aliviar a inflamação (inchaço, calor, vermelhidão e dor) e, é usada para tratar certas formas de artrite; distúrbios da pele, sangue, rim, olhos, tireóide e intestino (por exemplo, colite); alergias graves; e asma. Resumidamente, a dexametasona é um corticosteróide que age reduzindo a inflamaçõe, inclusive a causada pela COVID-2019.

Estudo clínico randomizado controlado da COVID-19

Um grande estudo científico chamado de RECOVERY (Avaliação Randomizada da COVid-19), anunciou hoje que o esteróide dexametasona foi identificado como o primeiro medicamento a melhorar as taxas de sobrevivência em certos pacientes com coronavírus. Saiba mais sobre o estudo RECOVERY em: www.recoverytrial.net/    

Após 28 dias, a dexametasona reduziu a taxa de mortalidade dos pacientes em ventiladores de 40% para 28%. Da mesma forma, para pacientes que necessitam de oxigênio, o medicamento reduziu a taxa de mortalidade de 25% para 20%. [2] 

Corticosteróide - muita calma nessa hora!

Este é o resultado do teste mais importante para o COVID-19 até agora. No entanto, o uso de terapia baseada em corticosteróide foi descrito apenas para pacientes com COVID-19 no estágio grave, semelhante ao uso de corticosteróides utilzado para tratar a síndrome respiratória aguda grave (SARS) durante o surto do velho coronavirus em 2003. 

O tratamento com o fármaco  dexametasona não ajuda quem tem a COVID-2019 no estado leve a moderado. Ou seja, apesar do bons resultados não pode sair tomando dexametasona para tratamento da COVID-19. Vamos com calma que essa história ainda tem muito pano pra manga.

Referências Bibliográficas

[1] Dexamethasone on DrugBank database. https://www.drugbank.ca/drugs/DB01234

[2] Dexamethasone reduces death in hospitalised patients with severe respiratory complications of COVID-19 | University of Oxford. Retirado em 17 de junho de 2020 emhttp://www.ox.ac.uk/news/2020-06-16-dexamethasone-reduces-death-hospitalised-patients-severe-respiratory-complications

[3] Tang, C., Wang, Y., Lv, H., Guan, Z., & Gu, J. (2020). Caution against corticosteroid-based COVID-19 treatment. The Lancet, 395(10239), 1759–1760. Disponível em:  https://doi.org/10.1016/S0140-6736(20)30749-2


Gisele Silvestre

Atualmente, sou pesquisadora na área de inovação tecnológica no Laboratório Multiusuário de Química e Produtos Naturais sediado na Embrapa - CE (Postdoc). Doutora em Química pela Unicamp (2017). Bacharel em química pela Universidade Federal do Ceará (2011). Interessada na popularização da ciência, parcerias, trocas de conhecimentos científicos e culturais. Tenho como hobby o ato de "aprender" . O conhecimento sempre me surpreende e fascina. Minha missão é compartilhar conhecimento e descobertas científicas. Ciência para todos! Carpe Diem!

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *