Esse texto que você vai ler faz parte de um Carnaval de evolução e visa a integração entre os blogs de ciência. Ele é fictício e qualquer semelhança com a vida real é mera coincidência.


Começou por volta de 10 mil anos atrás. Alguma coisa mudou quando o ser humano passou a domesticar animais e iniciou a agricultura. Ninguém sabe como, mais ou menos naquela época nossa espécie se tornou a primeira espécie do mundo a herdar características adquiridas pela geração anterior. Enfim algo de único (além do estranho hábito de fumar) para nos orgulharmos. Agora, o Homem tem uma peculiaridade que o distingue de outros animais.

O que ninguém esperava é que essa nova forma de transmissão de características trouxe alguns problemas que já veremos. Para alívio de muitos, as características que são transmitidas são aquelas que já estavam presentes quando os pais geram sua progênie. Isso livrou muita gente de ser careca, ter rugas e cabelo branco desde a infância. Com tantas possibilidades e com uma maior influência ambiental a população passou a ser muito mais diversa e diferentes grupos começaram a surgir. Se você esperava que nos tornássemos mais frágeis e mais inteligentes vai se decepcionar. Infelizmente por mais que a quantidade de informação gerada pela nossa cultura seja crescente, a informação ainda depende da reprodução para ser passada adiante, e aparentemente a quantidade de filhos é proporcionalmente inversa à educação em nossa sociedade. Outro fator que contribuiu é que cada vez mais passamos a receber as informações resumidas, interpretadas e explicadas por outros, e isso tornou a necessidade de idéias próprias quase nula.

A característica mais reforçada e transmitida é a crença –crescei e multiplicai-vos. Claro que isso proporcionou uma série de benefícios a todos, principalmente àqueles que aprenderam a se aproveitar disso e transmitiram essa capacidade aos seus filhos. A Idade Média não teve nada de média e durou até pouco tempo atrás. Na verdade, se tivesse surgido aquela coisa estranha e contra intuitiva chamada ciência e uma de suas conseqüências, a tecnologia, a internet duraria poucos meses, tempo suficiente apenas para que golpes virtuais, pílulas para impotência e emagrecimento acabassem com a economia mundial. O que com certeza impediu isso é que ao invés de tentarem a seleção de variedades mais produtivas, ainda predominam as simpatias e o feng shui de mudas, o que tem atrasado um pouco o aumento populacional.

Evoluímos para uma das espécies mais tolerantes à bactérias. Elas que sempre conviveram com outros organismos em clima de competição, encontraram um parceiro ideal, que tolera cada vez mais sua companhia. Nosso intestino abriga mais de 20kg delas e o odor não tem promovido muita integração com outras formas de vida. Fato ainda mais reforçado pela estranha capacidade que adquirimos de absorver e metabolizar alcatrão e nicotina, nos tornando quase simbiontes do tabaco, nós o plantamos e ele nos dá independência e atitude.

Perdemos alguns dentes não mais utilizados e o dedo mindinho, já que os móveis, objetos que eles detectam não são tão comuns. O lóbulo da orelha também não é mais presente, não deu nem tempo para que os brincos fossem inventados, embora alguns povos tenham desenvolvido pescoços extremamente longos com o uso de anéis, que no início serviam para aumentar a distância entra os ombros e a cabeça, e atualmente sirvam para sustentá-la já que as vértebras na foram exercitadas no processo. Parece que a herança de caracteríticas adquiridas pode ser cruel…