Enigma de sexta VI


Hoje o enigma vai ser diferente. Sexta-feira passada disseram at√© o g√™nero dos insetos que coloquei (o que √© √≥timo) e eu fiquei no chinelo. Ent√£o, hoje vou matar uma curiosidade minha eu vou fazer uma pergunta para a qual n√£o sei a resposta. Juro, o enigma de hoje s√≥ tem resposta se voc√™s encontrarem ūüôā
Quando nos machucamos com objetos que entram na pele, depois de algum tempo o corpo √© capaz de se livrar dele. No Jap√£o, sobreviventes das bombas at√īmicas freq√ľentemente soltavam cacos de vidro pela pele, anos ap√≥s a atrocidade. Ent√£o eis a pergunta, motivada por um dente do sizo retirado recentemente:
“Como o corpo sabe onde √© o lado de fora, para expulsar os corpos extranhos. Um peda√ßo de vidro por exemplo, pode ir mais para dentro do corpo, ao inv√©s de ir para fora?”
Se você não sabe a respota e quer tentar outra pergunta, tem uma aqui. Ou quem sabe um paradoxo hoje?
[update] Fico com a explicação do Mallmal:

Se o objeto estiver alojado em tecidos de r√°pida replica√ß√£o celular, que crescem a partir de uma regi√£o espec√≠fica (como a pele), ele ser√° simplesmente ‚Äúcarregado‚ÄĚ pelas novas c√©lulas que se originam da regi√£o de crescimento para a regi√£o de desgaste (a epiderme).
Ele simplesmente ‚Äúsegue o fluxo‚ÄĚ.
A demora para expelir os objetos pode ser decorrente de ancoramento em regi√Ķes mais profundas, como a hipoderme, necessitando assim de um longo fluxo desse ‚Äúrio celular‚ÄĚ para conseguir mov√™-los at√© as camadas externas da epiderme.

Levando em conta a ressalva do Igor, que o objeto precisa estar alojado na pele…


9 responses to “Enigma de sexta VI”

  1. Se o objeto estiver alojado em tecidos de r√°pida replica√ß√£o celular, que crescem a partir de uma regi√£o espec√≠fica (como a pele), ele ser√° simplesmente “carregado” pelas novas c√©lulas que se originam da regi√£o de crescimento para a regi√£o de desgaste (a epiderme).
    Ele simplesmente “segue o fluxo”.

  2. A demora para expelir os objetos pode ser decorrente de ancoramento em regi√Ķes mais profundas, como a hipoderme, necessitando assim de um longo fluxo desse “rio celular” para conseguir mov√™-los at√© as camdas externas da epiderme.
    Sei l√°. Sou m√©dico, mas sou radiologista… Essa parte de fisiologia ei vi na faculdade, uns 15 anos atr√°s! ūüôā
    Estou só chutando aqui.

  3. As células externas da pele são criadas mais para dentro e vão indo para fora, carregando o que estiver preso nela.
    Ou assim espero, porque este espinho no meu dedo j√° t√° come√ßando a inchar…

  4. Nem sempre… Cito o exemplo de meu pai que teve um dente que “cresceu para dentro” (eventualmente o dente sairia, mas a um custo tal que ele provavelmente teria uma septicemia antes…) Uma cirurgia resolveu o problema.
    Isso sem contar as centenas de pessoas que s√£o feridas por projetis de armas de fogo que permanecem indefinidamente dentro de seus corpos.
    A primeira resposta me parece a mais correta, mas de modo algum √© uma rea√ß√£o “universal”

  5. Mas o corpo estranho tem que estar alojado na pele. Depois que passar da camada dérmica, como uma bala, o processo não faz mais efeito (senão, extrapolando, depois de alguns anos estaríamos expelindo nossos órgãos pelos poros).

  6. recebi sim Felipe, é fantástica!! Vou postar sobre isso com certeza, assim que tiver uma resposta legal. Vc é um gênio!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *