Blogando sobre gripe III


Por que a gripe suína atinge menos os idosos? Nossa imunidade contra o influenza dura? A vacina anual protege contra esta gripe? Qual a relação da imunidade com a gripe Espanhola matando mais jovens? Confira no Blog do Influenza A H1N1:

blog_h1n1.jpg

Imunidade prévia e a gripe

Recebi um coment√°rio de Paulo Amaral
com perguntas fant√°sticas, que me fazem adiantar este post. Abaixo v√£o
as perguntas, e a resposta que explica o que elas têm de importante:

Seria a vacina√ß√£o contra a gripe anual, respons√°vel pela baixa no n√ļmero de relatos em idosos?

Qual a efic√°cia da vacina produzida por cepas de A/Solomon
Islands/3/2006 (H1N1), A/Brisbane/10/2007 (H3N2) e A/South
Dakota/6/2007 (vacina contra a gripe), principalmente relacionado a
“prote√ß√£o cruzada”?

Acredito que geneticamente produza uma primeira barreira de
prote√ß√£o, pois o v√≠rus atual apresenta hemaglutinina de  superf√≠cie e
neuraminidase semelhantes.

[…]

Segundo Palese e colaboradores, a imunidade prévia teve papel inclusive
na pandemia de 1918 [3]. Contrariando a idéia de que a mortalidade
maior em jovens foi causada por uma resposta exagerada do sistema
imune. Eles argumentam que a curva etária em W Рcom crianças, jovens e
idosos entre os mais atingidos Рé um efeito da imunidade de idosos.

Continue lendo l√°.

, ,

6 responses to “Blogando sobre gripe III”

  1. A vacina,qualquer vacina,funciona no minimo como alerta ao sistema imunologico…Nada de concreto se sabe sobre a nova gripe,porque morrem mais jovens,pq os velhos n√£o est√£o adoecendo.Seria resultado de vacina√ßoes ou exposi√ßoes previas???

  2. @ Laila,
    dá uma olhada no texto todo no blog do H1N1, explico sobre a cobertura da vacina lá. Quanto a dezembro de 2008, esta gripe atual estava circulando só no México nesta época. Mas o H1N1 e o H3N2 que circularam ano passado também foram bem sérios.

  3. √Ātila,
    Postei uma observa√ß√£o anteriormente sobre a minha preocupa√ß√£o com o meu filho de 4 anos que estava desde o dia 29/08 com 39 graus de febre, pois bem, fui em dois m√©dicos e e um hospital e n√£o vi nem sombra do famoso “Tamiflu”, todos alegaram que ele n√£o tinha todos os sintomas da gripe su√≠na. O Otorrino receitou Diprospam injet√°vel, al√©m da amoxilina que ele j√° estava tomando, pois diagnosticou amigdalite. Ap√≥s a inje√ß√£o ele n√£o teve mais febre e eu n√£o sei o porqu√™, mas gra√ßas a Deus ele sarou. A minha sobrinha de 21 anos que estava com febre no dia 29/08 e que suspeito que transmitiu a gripe para ele sarou, mas o professor dela da academia de gin√°stica, que tinha apenas 24 anos e apresentou o sintomas no dia 01/09 morreu no dia 03/09 e j√° foi cremado.
    O que gostaria de deixar registrado aqui foi a minha total impotência diante da gripe (suína ou não, fato que nunca saberei) e do fato de não ter conseguido ministrar o Tamiflu no meu filho nas famosas primeiras 48 horas.
    Os médicos estão com medo de receitar o Tamiflu, desconhecem a doença ou será que realmente não tem o remédio para todos, como me afirmou a médica do hospital?
    Um abraço,
    Valéria

  4. Valéria,
    O Tamiflu √© o tratamento indicado para pacientes que fazem parte do grupo de risco (pessoas com doen√ßas cr√īnicas, crian√ßas at√© dois anos, idosos, gestantes, pessoas em tratamento de c√Ęncer, AIDS ou diabetes) ou para pacientes com quadro agravado da doen√ßa.
    A quantidade de registros confirmados da Influenza A (H1N1) no Brasil (ou seja, casos graves ou ocorridos em grupo de risco, em que o tratamento mais adequado √© mesmo o Tamiflu) √© aproximadamente vinte vezes menor do que a quantidade de tratamentos j√° repassados aos estados – e o Brasil ainda tem mais 8,5 milh√Ķes de tratamentos em estoque.
    Ou seja, não é falta do medicamento. Seu filho e sua sobrinha sararam com os tratamentos adequados prescritos pelo médico porque, em casos leves ocorridos em pacientes sem comorbidades e tratados imediatamente, existem outros tratamentos eficazes que não o Tamiflu. De qualquer forma, pelo seu relato, o diagnóstico de seu filho era amidalite (que também dá febre), e não Influenza A (H1N1). O Tamiflu não é tratamento para amidalite.
    Para mais informa√ß√Ķes:
    fernanda.scavacini@saude.gov.br
    Assessoria de Comunicação
    Minist√©rio da Sa√ļde

  5. Prezada Fernanda,
    Como podemos ter a certeza de um diagnóstico de gripe comum ou suína, se não temos nenhum exame para comprovar? Se o Tamiflu tem que ser ministrado nas primeiras 48 horas dos sintomas, como garantir apenas em uma consulta que a febre acima de 39 graus, de três em três horas não é a gripe suína? Tivemos um caso de uma grávida de 27 anos, aqui em BH que foi três vezes ao hospital Materdei e disseram que ela tinha um resfriado comum, pois bem no final ela realmente tinha gripe suína comprovadamente, mas infelizmente já era tarde demais, a pobre moça morreu e conseguiram salvar pelo menos o bebê.
    O meu colega de trabalho foi a um posto de sa√ļde, foi diagnosticado como gripe su√≠na e recebeu um Tylenol , √© isto mesmo? Por outro lado, a filha de uma amiga minha que √© bi√≥loga e trabalha numa multinacional farmac√™utica, teve os mesmos sintomas do meu filho e foi atendida no mesmo hospital (Fel√≠cio Rocho) e recebeu o Tamiflu, estranho n√£o?
    A orientação da OMS não é que tratemos todos os casos como gripe suína, já que estamos em pandemia? E nos outros países, como nos Estados Unidos, em que o Tamiflu está disponível nas farmácias, a orientação não é tomar o Tamiflu nas primeiras 48 horas de sintomas de gripe, suína ou não?
    E por que o Minist√©rio P√ļblico est√° acionando o governo pela n√£o disponibiliza√ß√£o √† popula√ß√£o do Tamiflu?
    Adoraria estar errada com relação a esta pandemia, adoraria não ter até agora 4 conhecidos mortos pela gripe suína, adoraria saber que é tudo fantasia coletiva, mas infelizmente a gente sabe que para filho e parente de médico não irá faltar Tamiflu e que eles não irão correr este risco desnecessário, que infelizmente o meu filho teve que correr.
    Infelizmente o nosso pa√≠s est√° mais preocupado em comprar avi√Ķes para esta guerra eminente que o Brasil est√° para entrar(????) e faz de avestruz para a verdadeira guerra da sa√ļde da popula√ß√£o.
    Atenciosamente,
    Valéria

  6. Valéria,
    Como s√£o poucos os laborat√≥rios aptos a realizar o exame de detec√ß√£o da Influenza A (H1N1) no Brasil, o resultado do exame pode levar dias. Por este motivo, o Minist√©rio da Sa√ļde orienta que o tratamento seja imediato, independente da confirma√ß√£o laboratorial. N√£o h√° como ter certeza, mas deve-se partir desta premissa, j√° que 87,1% dos casos de gripe registrados atualmente d√£o positivo para a Influenza A (H1N1).
    Voc√™ est√° correta, a orienta√ß√£o √© que todos os casos sejam tratados como Influenza A (H1N1). Mas, dependendo da gravidade dos sintomas e do hist√≥rico de sa√ļde do paciente, o Tamiflu n√£o √© o √ļnico tratamento eficaz para a doen√ßa. No caso do seu filho, o exame cl√≠nico detectou uma inflama√ß√£o das am√≠dalas como prov√°vel causadora da febre, e n√£o sintomas de gripe.
    Tomamos conhecimento do caso da gestante em Belo Horizonte. O protocolo do Minist√©rio da Sa√ļde orienta para que gr√°vidas com sintomas da Influenza A (H1N1) sejam tratadas com o Tamiflu, pois gestantes est√£o no grupo de risco, e para que o tratamento seja imediato. A prescri√ß√£o do tratamento fora dos casos previstos pelo Minist√©rio da Sa√ļde √© de responsabilidade do m√©dico e das autoridades de sa√ļde locais.
    Sobre as a√ß√Ķes movidas pelo Minist√©rio P√ļblico, algumas s√£o direcionadas √†s Secretarias Estaduais e Municipais de Sa√ļde, pois t√™m a ver com a distribui√ß√£o do medicamento. A respeito da a√ß√£o movida contra o Minist√©rio da Sa√ļde, noticiada pela imprensa, o estoque atual de medicamentos tem sido suficiente para atender √†s demandas das Secretarias Estaduais de Sa√ļde, como demonstramos em nossa resposta anterior.
    Para mais informa√ß√Ķes:
    fernanda.scavacini@saude.gov.br
    Assessoria de Comunicação
    Minist√©rio da Sa√ļde

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *