Pelo menos não como ciência. Pelo menos.

creaevo.png

Fonte. Via Takata.
Hoje presenciei uma atitude que aplaudo daqui. Na sua coluna do Ciência On-line “Deriva Genética”, o professor Sérgio Danilo Pena discutiu sobre como o design inteligente não é embasado pela biologia. Eis que alguns criacionistas (sim, criacionistas, dêem o nome que quiserem, mas eles evocam um criador, seja ele um personagem bíblico ou o Bule Voador) exigiram o direito de resposta. O professor Pena respondeu que isso cabia ao editor. E o editor Bernardo Esteves disse? NÃO!!!!!

Claro que de uma forma muito
mais educada e polida. Disse que a resposta não se enquadra na política
do Ciência Hoje On-line. E acho que ele tem toda a razão. Por um simples
motivo: trata-se do Ciência Hoje On-line e design inteligente não é
ciência
e não merece entrar na discussão científica. Não possuem evidências, vivem apenas de questionar as
proposições dos evolucionistas (onde desempenham um bom papel, ajudando
cientistas de verdade a buscarem mais evidências) e o mais importante:
evocar um designer ou criador não acrescenta NADA à ciência, não gera
novas idéias, não permite novas previsões e nem pode ser provado. Tanto
que a maioria dos adeptos sequer tem noção do que é evolução, e
usam aquele argumentinho horrível do relógio na praia.

“Ah, mas outras teorias também merecem ser apresentadas para um debate
saudável.” NOT! Outras teorias não são teorias científicas e não merecem
ser ouvidas como contraponto. Você vê alguma necessidade de aprender a
teoria alternativa dos duendes da gravidade? Explicações sobre a emissão divina de
luz solar? Quem sabe a teoria de Chapolin sobre a herança genética?
Pois é nesta categoria que se enquadra o design inteligente, ele tem o mesmo suporte que o Monstro de Espaguete Voador – que pelo menos
as caras por aí
.

Insatisfeitos com a recusa do editor, exigiram a demissão dele. Isso
mesmo, ilustres membros do Núcleo Brasileiro de Design Inteligente
exigiram a demissão do Bernardo. Felizmente eles possuem tanta
influencia no CH On-line quanto o síndico do meu prédio o outro NBDI – Núcleo Brasileiro de Design de Interiores.

Antes de um
criacionista exigir direito de resposta – e o direito deles está na
mesma categoria dos jogadores de tarô da Latvéria – , ele deveria no
mínimo aceitar comentários em seu blog.
Sim, nunca vi blog
criacionista que aceitasse comentários, o que me informa muito sobre
quão abertos a discussão eles podem ser. Aliás, sabiam que na mesa
redonda (mesa redonda, daquelas feitas para discussão) sobre evolução
no Mackenzie, as perguntas para a mesa eram enviadas por SMS?
S-M-S, um método
muito democrático e aberto.