Deixo aqui o link para meu último (mais recente) post no Papo de Homem, sobre o tamanho dos grupos humanos e a relação com o tamanho do cérebro:

O número de Dunbar e seus contatos no Facebook

Realmente, quanto maior o tamanho do grupo, maior o tamanho do cérebro dos que convivem. Chimpanzés e babuínos, por exemplo, possuem grupos de até 60 animais, o maior entre primatas não-humanos, e também têm os maiores cérebros. Projetando o tamanho de grupo deles para o nosso volume de cérebro, chegamos ao número de Dunbar, algo entre 100 e 230 indivíduos, mais provavelmente 150.

O número de Dunbar significa dizer que nós interagimos mais intimamente com cerca de 150 pessoas ao longo de nossa vida. Isso não quer dizer que você não possa conhecer mais gente, mas sim que você não vai ser tão próximo de todos eles. Mesmo que seu MSN tenha uma lista de 2 mil contatos, dificilmente você vai conversar com mais de 50 regularmente.
E este número de 150 pessoas é bastante frequente em agrupamentos. O número de pessoas em grupos de caçadores da Nova Guiné costuma ser esse, bem como o de soldados na maioria das companhias militares. Muitas empresas pautam o tamanho de divisões nesta medida. E tão ou mais importante do que o número em si é uma consequência que nos acompanha até hoje. A fala.