Mitos do HIV


Recentemente, li algo que me deixou bastante decepcionado. Ainda circulam textos dizendo que o HIV não existe, ou não causa a AIDS, ou que foi criado para exterminar os [insira aqui um grupo socialmente discriminado]. Como resposta, este é o primeiro de três textos que sairão no Papo de Homem explicando como e por que a epidemia do HIV se deu como se deu, e por que as malditas teorias conspiracionistas estão erradas.
Antes de mais nada, n√£o se esque√ßa: a evolu√ß√£o √© muito mais competente e tem bilh√Ķes de anos de experi√™ncia em criar doen√ßas do que n√≥s.

Uma das maiores fal√°cias sobre o HIV √© a id√©ia de que ele foi criado como uma forma de matar/exterminar algum grupo, principalmente devido ao fato de que¬†os primeiros casos de HIV¬†foram reconhecidos em gays ‚Äď tanto que por algum tempo a AIDS era chamada de doen√ßa gay (ou GRID, Gay Related Disease) ‚Äď e em seguida em usu√°rios de drogas injet√°veis, na Europa e nos EUA.

"A AIDS ainda est√° circulando", campanha do Quebec, 2003-2004.“A AIDS ainda est√° circulando”, campanha do Quebec, 2003-2004.

Para completar, os primeiros casos em heterossexuais foram encontrados em imigrantes africanos e haitianos nos mesmos países, outro grupo que não costuma ser bem recebido.
S√£o justamente esses grupos de risco que ajudaram a entender de onde veio o HIV. E s√£o eles que v√£o mostrar por que o¬†HIV n√£o foi criado artificialmente. Antes de tudo, vamos ver por que os gays criaram as condi√ß√Ķes ideais para o come√ßo da epidemia. E isso tem tudo a ver com o Twitter e o Facebook.
Dois f√≠sicos espanh√≥is estavam investigando, em 2000, um comportamento intrigante de v√≠rus de computador. Mesmo depois da cria√ß√£o de um antiv√≠rus que pode ser baixado e utilizado imediatamente, eles ‚Äď os mesmos v√≠rus ‚Äď podiam continuar circulando por meses, at√© anos. Sem querer,¬†Romualdo Pastor-Satorras¬†e¬†Alessandro Vespigniani¬†criaram um modelo de espalhamento de doen√ßas em redes que acabou explicando como o HIV pode ser transmitido em uma comunidade.¬†Resumindo, eles repararam que uma doen√ßa nunca vai morrer, n√£o importa quais sejam as medidas tomadas para reduzir a probabilidade de a sua transmiss√£o entre os indiv√≠duos.

Continue lendo o texto completo l√° no Papo de Homem.


One response to “Mitos do HIV”

  1. Muito boa a iniciativa de vocês ! O HIV é um assunto que gera muitos mitos, e como a maioria da população não vai atras da verdade, prefere ouvir os boatos que circulam sobre esse assunto, acaba acreditando na mentira ! OBRIGADO !

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *