[não exatamente científicos, mas que certamente agradam quem gosta de ciência]

Bastante em cima da hora, resolvi fazer uma lista de presentes que recomendo por experiência própria, todos os itens que vou citar aqui comprei antes para recomendar:
Uma caneca termossensível ON/OFF. Quando ela esquenta por conta do líquido (de preferência café), muda de cor. Comprei a minha no ebay, por menos de $10 com entrega. Não é a original, nem fica tão branca quanto esta da imagem, mas já foi o suficiente para me divertir, e assustar alguns desavisados. A melhor parte é quando ela está esfriando, e fica marcada com qualquer toque.

 
Esferas magnéticas. Já comentei sobre elas aqui, foram a melhor porcaria que comprei nos últimos tempos. Ainda não esgotei as formas que elas podem ter. Mais caras do que a caneca, paguei pouco mais de $30 com envio na Zen Magnets. Como a produção deles é pequena, o preço costuma flutuar bastante em relação ao preço internacional do neodímio, terra rara usada para fazer os magnetos.
Update: Aqui no Brasil eles foram lançados pela Nanodots, que vende inclusive outras cores como preto e dourado, a partir de R$79.
 

Camisetas da TopatoCo. Tem várias outras estampas por lá mas, para caber dentro do orçamento, tive que me contentar com a verdade sobre a evolução e o mascote Charlie Darwin.

 
Sim, é o que parece. Uma barata de pelúcia. Depois de micróbios, e na falta de algum molusco legal, me pareceu a melhor opção para a coleção de animais (organismos na verdade, tem um vírus no meio) mais realistas e menos fofinhos. Encontrei no Mercado Livre.
 
Como não poderia fazer uma lista de presentes sem o principal, livros, aqui vão sugestões do que li de melhor este ano.

O The Information, do James Gleick, se não foi a melhor leitura do ano, empatou com o Dilema do Onívoro. Muito denso, cheio de conteúdo e bastante acessível. Revisa desde as primeiras formas de comunicação baseadas em informação até a comunicação moderna via internet. Um livro que com certeza vou reler. Infelizmente, ainda não está disponível em português.
 

O Dilema do Onívoro, de Michael Pollan. Empatou com The Information por ser um livro fantástico. Mudou minha maneira de pensar a agricultura e a indústria da comida, da maneira como alimentos são preparados ao cultivo de alimentos orgânicos em larga escala. O autor não toma um partido claro no livro, simplesmente descrevendo como se dá a agricultura tradicional, com o enorme impacto e consumo de petróleo inerente, ao mesmo tempo em que mostra que alternativas orgânicas não são lá muito orgânicas.
 

O livro dos milagres, do Carlos Orsi. Com essa capa linda, além do jogo de palavras, infelizmente ainda entra para a categoria “não li, mas recomendo” (TM Sílvio Santos). Já recebi minha cópia autografada (!) depois de acertar o desafio que o Takata promoveu, mas ainda não tive o tempo de ler. Recomendo baseado em tudo o mais que o autor escreve, o blog dele está inteiro no meu kindle, para leituras calmas e concentradas, longe do computador. Felizmente, o ScienceBlogs tem uma parceria com a editora Vieira & Lent, e o livro sai com 20% de desconto e frete grátis (ridículos R$24) neste link.
 
Para completar, na categoria ficção, os livros que me isolaram do mundo. A coleção Crônicas do Gelo e Fogo de George R.R. Martin. Totalmente envolvente, riquíssima e bem adulta, adorei a trama dos livros (que comecei a ler por conta da série da HBO). Há tempos não ficava tão absorvido com um livro (vários na verdade), muito bem representados pela adaptação para TV.
Os livros são gigantes, e o autor não tem piedade dos personagens, o tipo de história que pode ir para qualquer lado. Ainda faltam mais dois livros para serem lançados lá fora, dos sete que completam a história. Aqui, a tradução está no terceiro.