Fluxograma para decidir entre ficar pobre fazendo ciência ou ficar pobre fazendo arte.

Crédito: Gustavo Libardi – https://avidadebiologo.wordpress.com/


 
Me perguntam com certa frequência como fazer biologia, ou se devem prestar o curso ou não. Pessoalmente, sou muito feliz com minha escolha profissional, mas não consigo recomendá-la. Em parte por conta do minguado mercado profissional para biólogos, que não é nada promissor. Tirando a carreira de professor (nada contra ela, mas não deveria ser a única opção), conheço pouca gente exercendo a carreira de biólogo na indústria, em consultoria ambiental, perícia ou o que mais o Bessa tenha comentado. Da minha turma da Bio integral, vários estão lá, mas vários dos 120 que entraram no meu ano não seguiram na área. *
Ah, mas e a carreira de pesquisador? Pois bem, também sou muito feliz nela, mas também não consigo recomendá-la. Justamente pelos motivos que o Gustavo Libardi descreve com muito bom humor nesse fluxograma. Então, não fique chateado ou ache que ele está tratando “vender arte” como algo menor, mas pense bem na motivação para seguir uma carreira de pesquisa. Já adianto que financeira não é 😉
 
* Se quiser uma perspectiva sóbria sobre a carreira de biólogo, acompanhe aqui a carreira os bicos que o biólogo desempregado Luccas Longo está considerando.