Aquecedor solar obrigatório no Rio de Janeiro

Sérgio Cabral, Governador do Rio de Janeiro, sancionou e publicou no Diário Oficial de 03/01/2008, a lei 5.184/08, de autoria do Deputado Estadual Rodrigo Dantas (DEM), que obriga prédios públicos aquecerem ao menos 40% da água consumida, através de energia solar. A partir de agora, todo edital de licitação para obras de construção, como CDHU e escolas públicas ou reforma de prédios públicos deverá conter informações sobre instalação do sistema solar de aquecimento. Somente prédios com inviabilidade técnica de adaptação para o novo sistema serão isentos da nova regra.
A cidade de São Paulo adotou uma política pública parecida em julho do ano passado, que obriga todas as construções com mais de três banheiros, a terem 40% da água aquecida com energia solar. Belo Horizonte, mesmo sem nenhuma política pública, é a cidade brasileira que mais tem casas que utilizam aquecedores solares.
Em 2007 o IPCC identificou o setor de edificação como o maior setor da economia que pode contribuir para a diminuição de emissões de gases do efeito estufa no planeta. Além do uso de energia solar para aquecer água e o ambiente, outras soluções como melhorar a eficiência das iluminações diurnas e noturnas, utilizando mais iluminação natural e menos lâmpadas incandescentes, aumentar a eficiência nos aparelhos elétricos e eletrodomésticos podem contribuir para o clima.
O Brasil tem pouco investimento na área de energia solar, porém os produtores de aquecedores solares se mostram confiantes com o crescimento do setor. Só no Rio de Janeiro são recebidas 2,2 mil horas de insolação (suficiente para gerar 15 trilhões de megawatts, cerca de 4 vezes a energia gerada no mesmo período por uma usina hidrelétrica). Embora as usinas hidrelétricas sejam consideradas pelo IPCC como fontes de energia limpa, durante os horários de pico, onde o consumo de energia elétrica é maior, usinas termelétricas movidas a carvão são ativadas.
Além dos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro que assinaram leis que obrigam o uso de aquecimento solar em prédios públicos, Santa Catarina e Paraná que fazem projetos semelhantes, oito cidades têm lei de incentivos fiscais para quem utiliza aquecedores solares como Recife, Rio, Campo Grande, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre e Vitória. Maceió deve adotar em breve o mesmo texto da lei de São Paulo.
Saiba mais:
Cidades Solares

Discussão - 3 comentários

  1. disse:

    Que medidas interessantes!Não conhecia-as!

  2. Carol disse:

    Q joia, o Brasil tem mesmo q aproveitar o sol q nao falta!!!Outra coisa q eu acho legal nas construcoes inteligentes, eh o aproveitamento da agua da chuva pra descargas de banheiro e tal, acho q faz diferenca em grandes predios com mil banheiros, mas nao sei o quao viavel isso eh. Talvez seja melhor deixar essa alternativa pros paises onde nao falta chuva ;-)Beijao,Carol

  3. Eduardo disse:

    Extremamente interessante essa medida, mais estados deveriam aderir a esta iniciativa.
    Além de economico, é otimo para o meio ambiente.
    Muito legal !!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM