Mudanças climáticas e vulnerabilidade dos mais pobres

This post is part of

 

76% das emissões de gases do efeito estufa acumulados no mundo desde 1950 são provenientes de atividades econômicas em países industrializados, tais como EUA e Japão.  Entretanto, existem sociedades mais vulneráveis às mudanças climáticas do que as consideradas responsáveis por sua ocorrência.

Esta vulnerabilidade é dada 1) pela exposição física aos efeitos do aquecimento global, como áreas de maior incidência de furacões, maremotos, secas prolongadas etc. ou 2) pela limitada capacidade de adaptação, ou seja, algumas sociedades mais pobres tem menos dinheiro para investir e se prevenir das consequencias das mudanças climáticas. Para muitas das regiões menos desenvolvidas do planeta, essas duas situações podem ser encontradas pois são elas as com menor possibilidade de investimento nos setores humanos, de recursos naturais e econômicos.

Segundo o IPCC, regiões pobres como a África, a América Latina e a Ásia são as com menor oportunidade de adaptação e, portanto, as mais vulneráveis a mudanças na dinâmica das chuvas (com enchetes e secas), a diminuição na produção de alimentos, inclusive os oriundos da pesca, a perda de biodiversidade e a efeitos na saúde das pessoas. Ou seja, regiões onde há mais pobreza estão ainda mais suceptíveis aos efeitos das mudanças climáticas.


 

Discussão - 2 comentários

  1. Carlos Hotta disse:

    Para variar, os pobres pagam a conta pelos desmandos dos ricos…

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM