Podar é preciso. Esconder não é preciso.

Hoje, dia Internacional da Mulher, 8 de março de 2010, descobri que um comentário meu foi apagado do blog A Vida como a vida quer, no post #oquevcfaria se pudesse reclamar da falta de verde na sua região?. Deixei um comentário contrário, hoje voltei lá pra saber se tinha provocado alguma reação, e tinha! Meu comentário foi deletado.

Me surpreende um blog de uma mulher, jornalista, mãe, bastante conhecido e bem frequentado, esconder um comentário contrariando sua opinião. Afinal, na minha cabeça de blogueira, bióloga e mulher, blogs são locais de interação, não só quando essa interação concorda com o autor, mas também quando discorda – Claro!!!!! Há limites. Sem argumentos ou com xingamentos a qualquer pessoa – a mim ou a qualquer um dos meus comentaristas ou criticados – também não entra… mas argumentado? Fiquei pasma. Será que é porque tratava-se de um publieditorial?

Não tem problema. A internet é um local livre. Então, vou reformular e reescrever meu comentário aqui!

Meu comentário todo baseou-se nesse ponto do post:

“Lembrei desta história ontem porque o edifício que fica do outro lado da rua chamou a prefeitura para podar as árvores. Ao ver o caminhão, já me alertei. E exatamente neste momento, vejam que feliz coincidência, recebi um release contando da ação da XYZ para reflorestar milhares de árvores.”

O que incomodou foi que podar árvores parece ser igual a desmatar. E não, jovem padawan, não é. No post original também há um vídeo com a autora inconformadíssima que a prefeitura estava podando uma árvore e cortando uma árvore pequena. 

Oh céus. Vamos falar sobre poda.
tree_trimming_truck.jpg
Podar árvores é fundamental. Tão fundamental quanto à arborização das cidades. O verde em grandes cidades como São Paulo, diminuem a poluição sonora e atmosférica, controlam a temperatura, atraem aves, insetos polinizadores, e trazem harmonia e qualidade de vida.
Entretanto, dependendo das espécies de árvores escolhidas e onde elas são plantadas, árvores podem trazem problemas. 
Considerando a parte aérea, pode haver prejuízo na fiação de rede de energia elétrica e telefonia e entupimento de bueiros (principalmente no outono se essas árvores perdem as folhas). Considerando as raízes, pode haver prejuízo no asfalto e calçadas e danos em encanamentos. Considerando manutenção, a árvore pode envelhecer e apodrecer, pode estar oca por conta do ataque de cupins e formigas. Por essas e outras, podar e fazer a manutenção das árvores é fundamental. Fazer o planejamento de que árvores vão crescer e que outras devem ser podadas no início da vida, também. Podar árvores necessita de treinamento e técnica e não é qualquer cidadão que pode fazer esse serviço.
Podar árvores pode ser bastante perigoso, principalmente se redes de alta tensão estiverem por perto. Também deve-se estar preparado para prever onde o galho vai cair. E para onde levá-lo depois da poda.
Em relação à retenção de gases do efeito estufa, todos sabemos que o gás carbônico é utilizado pelas plantas para fazer fotossíntese. Em última análise, para produzir a energia necessária para a planta sobreviver e para crescer – produzir novos galhos, novas folhas, crescer em diâmetro. Quando uma árvore pára de crescer, a quantidade de gás carbônico retida pela planta é menor do que quando ela está em crescimento. Desse modo, a poda é importante para manter a planta absorvendo gás carbônico e retendo carbono (óbvio, há de se saber o que foi feito com os galhos cortados: se eles não foram aproveitados, ou foram queimados, por exemplo, o carbono volta para a atmosfera).
Em resumo: adoro quando blogs falam sobre meio ambiente e biologia. Mas a informação tem que ser correta – e se não for, tem que aceitar ser corrigida. Senão vira desinformação. 
E poda é bom, sim. E poda não é desmatamento, caro Watson.
__________________________________________________
Atenção: Fiscalizar como as prefeituras regularizam e fornecem licença para empresas especializadas fazerem as podas é questão de cidadania. O que é feito do lixo orgânico e se as técnicas utilizadas estão corretas deve ser conhecido. Fiscalize sua prefeitura e as empresas que prestam serviço. Acha que a poda é ilegal? Pergunte para o prestador de serviço e confirme na prefeitura. Para se fazer podas é necessário ter licença e ser especializado. Se seu vizinho está podando, ou se você está assistindo uma poda ilegal, denuncie.

Discussão - 27 comentários

  1. Claudia Chow disse:

    É Paula, nao podar árvores pode ser perigoso tb! Mas parece que nao todo mundo que entende isso… Lamentável…

  2. Desinformação é f0d@… Muitas pessoas ficam limitados aquele discurso de “árvores são sagradas, não mexam que é melhor” ou “vamos reflorestar” (e nunca pensam que deve haver monitoramento, rega, seleção, poda)… E fica no “empresa X plantou trocentas mudas!”, como se bastasse… triste mesmo.

  3. cardoso disse:

    Árvores são lindas e sagradas, você não viu Avatar?
    Uma árvore jamais pode causar qualquer problema, podar é crime.
    Claro, isso em Pandora. Aqui na Terra corremos este risco: http://www.youtube.com/watch?v=DYktDghfoFM

  4. Igor Santos disse:

    O que só vem demonstrar que boas intenções não bastam e que radicalismo só atrapalha as coisas.
    Excelente post, Paula.
    Bem-vinda de volta!
    Yay RdC! \o/

  5. Aposto que foi por não permitir poda que “Avatar” não ganhou o Oscar! Vê se tinha alguma árvore não podada em “Guerra ao terror”?

  6. E depois a “ambientalista xiita” (como já fui chamada!) sou eu!!! Affe.

  7. Luiz Bento disse:

    A poda não só é necessária devido a problemas que podem ser causados para o homem como também para a própria saúde da planta. Claro que temos que separar o corte aleatório de galhos e a poda. Se a pessoa que for fazer a poda não tiver o mínimo de entendimento do assunto, ele pode fazer muito mal a planta. E até matar ela se a poda for excessiva.
    Quanto ao ciclo de carbono e o crescimento das plantas a relação não é tão simples assim. A relação produtividade e respiração das árvores tem muito haver também com o seu tempo de vida e outros fatores abióticos. Uma árvore já madura terá um balanço tendendo a neutro ou até negativo, mesmo com muita poda. Pois quanto mais velha mais tecido não fotossintetizante ela vai ter.
    Pensando estritamente em carbono o ideal seria cortar todas as árvores, reaproveitar a madeira e plantar mudas no lugar. Mas como pensar estritamente em carbono é uma bobagem, o melhor mesmo é mudar outras atitudes que possam efetivamente diminuir a emissão de carbono. E eu não estou falando de andar de bicicleta ou usar mochilas com painéis solares.
    Ótima iniciativa Paula. Parabéns.

  8. adriana lins disse:

    ei menina.
    ja falei uma vez e aproveito o ensejo para dizer novamente:
    suas palavras imprimem as formas de seu espírito: vibrante, feminino, vigoroso, contagiante. Devemos, de fato, transgredir o modelo convencional de manejar florestas ou pequenos espaços arbóreos, que privilegia o estético e o prático, suprimindo nossas maiores aliadas – as formigas. Daí a importância do diálogo e do intercâmbio de experiências, com vistas, sobretudo, à promoção da vida – em todas as suas formas. bjks Dri

  9. Diego Casaes disse:

    É p(h)oda viu 😛
    Conservadores e reacionários são sempre um problema. É triste mesmo ter o comentário censurado.
    Ultimamente tenho visto como a blogosfera que se propõe ser “ambiental” no Brasil ou é equivocada ou é ausente, e isso, cara Paula, é um problema.
    Welcome back!

  10. Acho triste, caro Diego… Mais triste ainda porque não só a blogosfera se propõe ser “ambiental” como também sem propõe a ser “mídia social”. E cadê o “social”? Fica de lado por interesses pessoais ou, em alguns casos, empresariais/publicitários.
    A dúvida é: será que eu voltei mesmo? =D

  11. Oi Dri!
    Bom… nem tanto ao céu, nem tanto ao mar. Formigas são fodásticas, mas também podem causar diversos problemas, né? Não dá pra ignorar…

  12. Boa Luiz! Eu também não sou extremamente favorável a pensar tudo em termos de redução de gases do efeito estufa. Algumas coisas, às vezes, valem mais do que isso – qualidade de vida, tradição, cultura, por exemplo. Tirar uma árvore centenária de um parque XYZ do município governado pelo @fulano porque ela não retém mais carbono é ridículo – vai causar pânico, chamar a TV, e o cacete… Então, melhor mesmo é deixar a árvore lá e plantar árvores num parque ou promover outras atitudes, com vc sugeriu.

  13. Sibele disse:

    Queria reforçar o comentário do Luiz Bento sobre a poda adequada, aquela que exige entendimento e capacitação para tal, caso contrário o resultado faz mesmo muito mal à planta: http://bit.ly/bnZeg9 / http://bit.ly/aKjCfB / http://bit.ly/ae2wH9.
    E tenha certeza: você *voltou* mesmo, Paula! Bem-vinda de volta!

  14. Daniela Lima disse:

    Quando falamos de árvores mexemos com o sentimento das pessoas, toda a coisa da preservação, etc, etc, o que acontece é que na maioria das cidades a arborização pública, algo fundamental é deixada de lado, ou feita com espécies erradas, podar as árvores custa muito caro, por isso é necessário a escolha correta, podemos ter a noção disso pelas figueiras Ficus benjamina do sudeste asiático que causam muitos trantornos em todo país, inclusive na minha cidade onde foram plantadas nas margens de um rio urbano mesmo contra a argumentação dos técnicos, para se ter uma idéia, tivemos audiência pública sobre a permanência ou não delas, grande parte da população estava indignada com a possibilidade de supressão, por falta de informação correta, COMO FOI O CASO DO POST DO QUAL SEU COMENTÁRIO FOI DELETADO. É claro que toda poda é sim uma agressão a planta, mas nas cidades são necessárias.
    A arborização nas cidades deve exercer função ecológica no sentido de melhoria do ambiente urbano, e estético, trazendo benefícios para população como: purificação do ar; retenção de umidade do solo e do ar e pela geração de sombra; redução na velocidade do vento; abrigo à fauna, propiciando uma variedade maior de espécies, conseqüentemente influenciando positivamente para o maior equilíbrio das cadeias alimentares e diminuição de pragas e agentes vetores de doenças.
    No caso da minha cidade Joinville, as figueiras asiáticas contemplam algum desses benefícios, mas a poda periodica que elas precisam são de alto custo, e a espécie não está nem perto do que se recomenda para uma paisagem de mata ciliar mesmo que urbana. E não é pelo fato de serem exóticas, poderia dar N motivos para explicar o por que não plantá-las, mas já escrevi bastante, quase metade do artigo que será pubicado na revista Movimento Ambiental para qual escrevo.
    O que dizer? Falta informação correta para população, e deveríamos PODAR AS PESSOAS que excluem comentários das postagens de pessoas que tem embasamento, conhecimento de causa, que querem esclarecer de forma correta e contribuir.
    Além de exigir arborização pública com estudo prévio!

  15. E não é que tinha mesmo parado no anti-spam??? E de onde é que são essas fotos? Que chocantes!

  16. Luiz Bento disse:

    O Movable type realmente não gosta de links. Todos os comentários com links são consideramos spam por ele. Uma pena.
    Quanto as fotos da Sibele são realmente impressionantes. Mostra que o argumento da Paula esta certíssimo, mas muita gente poda árvores para não causar riscos a rede elétrica e acaba fazendo besteira.

  17. Sibele disse:

    Peguei aqui: http://bit.ly/cykEaE. É um blog de Portugal (o Luis Azevedo vai se interessar…) onde inclusive há uma tag “Podas” só sobre podas radicais. Cada foto chocante! 😛 Vale conferir!

  18. Sibele disse:

    E quanto ao Movable Type: Grrrr!

  19. João O. disse:

    Oi Paula!
    Legal o seu post. Tratar de poda é um assunto bem legal, principalmente porque é algo que está muito próximo das pessoas. Literalmente tb, hehe.
    A Soninha Francine, agora subprefeita da Lapa em Sampa, relata em seu blog as dificuldades em lidar com isso. Dê uma olhada lá (http://gabinetesoninha.blogspot.com/) quando puder.
    Fico chateado que o seu comment no blog da Samanta Shiraishi (sic) tenha sido deletado. Com certeza ela mesmo não percebeu o como esse assunto não é tão simples assim, não é como propaganda de margarina/celular. E a tag “artigo patrocinado” tb me deixou meio encucado…
    []’s

  20. Rafael disse:

    Não entendi a conexão entre Dia Internacional da Mulher, ser mulher e ser absurdo falta de bom-senso em mulher (a que não aprova podas)… Ou me engano em pensar que ninguém é levado a um pedestal apenas por ser mulher? Ou mãe? Ou homem? Que seja!
    Me pergunto se dia 15 de Julho haverá algo do gênero aqui… É o Dia Internacional do Homem aliás, que até pouco tempo não sabia da existência, mas fica a dica.

  21. João
    Obrigada pelo link da Soninha!
    Quanto ao “A vida como a vida quer”, só tenho a lamentar que um blog tão visitado “perca” comentários e propague informação imprecisa…

  22. Oh Rafael… eu não sei se fico feliz ou triste com você não conseguir perceber a conexão entre um dia onde se comemoram as conquistas pela igualdade, direito e respeito às mulheres com um fato que, definitivamente, não é sinônimo de igualdade, direito e respeito.
    Fico feliz porque o seu desconhecimento pode ser, simplesmente, porque vc não vive ou não viveu em um ambiente onde homens e mulheres são tratados de formas diferentes (sendo que as mulheres podem ser tratadas com desigualdade e desrespeito INCLUSIVE por outras mulheres).
    Fico triste porque você provavelmente não vê o quão desrespeitoso é ter uma opinião selada – talvez porque você seja novo demais e não tenha tido a experiência de viver em anos (ou até hoje em países) onde a liberdade de expressão era/é apenas um sonho.
    #ficadica #seliga

  23. Rafael disse:

    Desculpe, minha intenção não era negar discriminação entre os gêneros. Só quis enfatizar que opiniões seladas o são indiferente do sexo do autor, que ignorância – assim como respeito – pode partir de ambos os sexos.
    E, sim, sou novo, mas não demais para não ter vivenciado censura, tratamento discriminatório (seja quanto classe, etnia, religião ou gênero) ou não saber o que seja desrespeito. Então, para esclarecer, não achei reverente o que ocorreu contigo, apenas fiquei com uma pulga atrás da orelha quando você associou tal fato com o sexo da pessoa… Se você fosse homem, teria colocado “homem” como característica relevante a respeito? Faz diferença? Foi esse tipo de reflexão que estava buscando.
    Bom, acho que estendi demais sobre esse assunto. Talvez eu não tenha usado a oportunidade apropriada. ^^’

  24. Dói mais quando vem de uma mulher no dia internacional das mulheres. É só por isso que, naquele momento era importante (e não indiferente) para mim. ; )

  25. glenn makuta disse:

    Olá Paula, bacana o post.
    Queria salientar que uma coisa é sempre esquecida quando falamos de podas para leigos: que uma poda mal feita pode ser entrada de agentes patogênicos.
    Dependendo do tipo de planta é necessário a aplicação de cicatrizantes como tratamento e forma de evitar que a planta adoeça. É só pensarmos que uma poda mal feita ou não-tratada pode funcionar como uma ferida, e uma ferida exposta é geralmente susceptível à infecções e etc (enquanto plantas como figueiras geralmente são menos susceptíveis…).
    É realmente uma ignorância confundir a poda com o desmatamento. Como já dito nos comentários acima as vezes a poda é essencial até para a saúde da própria planta, como por exemplo quando ela está doente por algum tipo de fungo, podemos podar a parte afetada evitando que este se alastre e mate a planta toda.
    É necessário divulgar para educar, e v. faz muito bem este papel.
    Parabéns.

  26. Pedro disse:

    É realmente incrível como algumas vezes conseguem estragar um dia tão especial para você com tão pouco esforço.
    Sinceramente, o que mais me surpreende não é a ignorância de uma pessoa a ponto de comparar poda com desmatamento (afinal, vemos todos os dias demonstrações de ignorância muito mais surpreendentes por ai), mas a total falta de respeito com a liberdade de opinião e de expressão. Qual o pensamento dessa blogueira? “Liberdade de expressão sim, mas não no meu site”?
    Acho perfeitamente compreensível a sua surpresa com tal atitude. Não consigo entender porque uma pessoa que não consegue ouvir uma opinião discordante se propõe a criar ou sequer participar de um espaço de discussões. Afinal, uma discussão envolve obrigatoriamente discordâncias. Imagine o que seria dos blogs (e até mesmo da vida) se não houvesse um mínimo de divergência.
    Enfim, deixando de lado essas pessoas que jamais entenderei, gostaria de parabeniza-la pelo artigo.
    Apóio qualquer crítica contrária a esse (ou qualquer outro) tipo de intolerância.
    Parabéns!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM