Ouvi dizer que uma pesquisa feita pela Folha indicou as carreiras em ascensão no Brasil. Qual não foi minha surpresa ao perceber que Ciências Biológicas foi citada!

Ciências biológicas compreenderia Biologia, Medicina, Ciências agrarias, Engenharia Florestal, etc… Provavelmente todas estas estão inclusas, porque só a boa e velha biologia não consegue segurar essa pressão. Afinal desde os anos da minha graduação, começada em 2000, a biologia é a “ciência do futuro”. O problema é que este futuro nunca chega. Os biólogos que estão sendo absorvidos pelo mercado são os que trabalham com Estudos de Impacto Ambiental na sua maioria. De resto sobram duas opções para o recém-formado: dar aulas ou pós-graduação.


Aulas não têm brotado como nos foi prometido pelo mercado. E a pós-graduação se torna uma opção para poucos que conseguem entrar em boas faculdades que possuam centros de pesquisa. Mesmo estes poucos pós-graduandos têm poucas garantias de absorção pelo mercado. Uma barreira que parece intransponível é a do final do doutorado. O que fazer depois? Realmente há pesquisa de ponta sendo realizada no país, mas há empresas de ponta para empregar este conhecimento e esta mão-de-obra extremamente especializada? O formado novamente se depara com a opção de dar aulas e com as promessas de absorção pelas várias faculdades particulares que abrem a todo instante no país. Mas histórias de doutores ou pós-doutores mandados embora de faculdades por serem qualificados demais têm me deixado um pouco descrente.

Agora, se as carreiras em Ciências Biológicas estão em ascensão deve ser mesmo por englobar várias disciplinas além da jovem e eternamente promissora Biologia.