Carnaval Científico – Grandes Descobertas Científicas

Artigo participante do I Carnaval Científico do Lablogatórios.
Muitos já devem ter ouvido falar de Norman Borlaug, ou O Homem que Salvou Um Bilhão de Vidas, ou o Pai da Revolução Verde.
Agrônomo, Ph.D. em genética e em patologia vegetal, Borlaug desenvolveu uma variedade nova de trigo muito resistente a doenças e com altíssima produtividade.
Isso lhe garantiu o Nobel de Paz em 1970, por, teoricamente, ter salvo 1 bilhão de pessoas da morte por fome.

Porém, o meu artigo de hoje não é sobre ele (que, tecnicamente não descobriu coisa alguma, apenas trabalhou duro com um propósito bem delineado e chegou ao resultado esperado), mas sobre alguém possivelmente bem menos conhecido, que avançou a ciência um pouco mais, mesmo que para o lado errado inicialmente.
Seu nome é Thomas Midgley Jr. e é provável que ele tenha matado, de fato, 1 bilhão de pessoas.

Engenheiro mecânico, mexendo em carros no início da década de 20, ele descobriu que o barulho de motor fora de tempo (aqueles pipocos que soam como tiros que costumam vir de carros velhos) diminuia quando se misturava iodo à querosene.
Mas apenas diminuir não era o suficiente, ele queria acabar completamente com a zoada, então partiu para testar cada um dos elementos da tabela periódica e descobriu que chumbo era o melhor de todos.
Como resultado, todos os veículos, por setenta e tantos anos, usaram chumbo misturado à gasolina, espalhando, bem espalhadinho, várias toneladas desse metal pesado e venenoso pela atmosfera terrestre.
Não satisfeito em resolver apenas 1 problema em vida, Midgley (pronuncia-se “mídj-lí”) queria fazer algo quanto ao dióxido de enxofre e a amônia usados em refrigeração (por serem ambos gases potecialmente perigosos à saúde e unanimemente nocivos ao olfato).
E, em 1930, com uma meta na cabeça, em apenas três dias ele descobriu o diclorofluormetano (di-cloro-fluor-metano), um gás inerte, inodoro, atóxico, não inflamável, não corrosivo e benéfico, ao qual deu o nome freón.
Havia então sido criado o primeiro dos clorofluorcarbonos, ou CFCs, compostos químicos diretamente responsáveis pela destruição da camada de ozônio, que protege nossas frágeis peles e olhos da radiação ultravioleta enviada grátis pelo sol.

O verde é o ozônio, o roxo é a falta dele e a massa continental abaixo é a Antártida

O verde é o ozônio, o roxo é a falta dele e a massa continental abaixo é a Antártida



Graças a Thomas Midgley, hoje nós temos uma miríade de problemas respiratórios, sanguíneos e dermatológicos.
Um só homem, em menos de dez anos, conseguiu fragilizar tremendamente a nossa saúde enquanto ao mesmo tempo nos ensinou (de maneira cruel e traumatizante) a importância de planejar e testar exaustivamente novas tecnologias antes de confiarmos todas as nossas esperanças numa solução aparentemente simples e inócua (a curto prazo) mas que se revela depois ofensiva e com complicações inimagináveis (a longo prazo).
Humanos somos e tendemos a cometer os mesmos erros como se não fôssemos capazes de aprender. Exemplo recente? Gordura trans!
Ótima no começo, boa para misturar açúcar com gordura, mas utilizada indiscriminadamente sem testes de longa duração que poderiam ter concluido como esse material nos faz mal, antes de nos fazer mal.
A grande descoberta científica de Midgley não foi a do chumbo na gasolina nem a do freón na geladeira, mas a descoberta da necessidade de estudos extensivos e duradouros antes da precipitação apressada e precoce de efeitos que enchem os olhos mas cegam o raciocínio e a razão.

Discussão - 20 comentários

  1. Felipe disse:

    mto bom mto bom! estou preparando um post tbem 😀

  2. Atila disse:

    Fantástico, é por essa que o Lablogs só me traz alegria! Putz, não vou falar do Midgley mas bem que alguém podia…
    Muito bom!!!

  3. Luiz Bento disse:

    Parabéns pelo post Igor, mas acho meio pesado colocar toda a culpa no Thomas, sendo que ele fez coisas que com certeza milhares de outros gostariam de ter feito e muitos nem tentaram. Também acho difícil culpar a disseminação deste tipo de prática pensando em coisas que só agora sabemos que é danoso ao nosso planeta. É como falar mal de Lamarck depois de ter lido “Origem das espécies” e ter conhecimento sobre genética. Até Darwin ela lamarckista!
    Abraços!

  4. Isis disse:

    É impressionante mesmo o tamanho da falta de ozônio…

  5. Gustavo disse:

    Belo post.. Hj o tamanho do burado é de 27 milhões de km quadrados…

  6. Carlos Magno disse:

    O tal inventor foi um criminoso inconsciente pela irresponsabilidade do invento.
    Ou foi consciente de tudo como são incontáveis homens das ciências que unicamente objetivam fama e money?
    Mas contou com a colaboração dos governos que não são nem um pouco ingênuos.
    Acho nenhum pouco provável que suas experiências tenham envenenado 1 bilhão de pessoas. O envenamento da humanidade vêm de muitas outras causas sucessivas. Mas não todas essas mortes.
    Apesar de todo o caos mundial estabelecido pela irresponsabilidade científica, a constituição orgânica humana se adapta a tantas adversidades e desenvolve sistemas de defesas.
    Vivemos num mundo de diários inventos científicos e tecnologias movediças; temos pago uma conta altíssima. Tem realmente valido a pena?
    As bombas atômicas que testemunham e assinam (ou assassinam) em baixo.

  7. Igor Santos disse:

    Carlos, você também acha que não tinhamos arco-íris nos nossos aguadores de jardins vinte anos atrás? Os “governos” não são ingênuos porque também não o (não) são. Governos não são seres individuais conscientes. Um sujeito integrante pode ser ingênuo e outro não ser, aí qualé o resultado? Zero? Qual tem mais peso, ingenuidade ou falta dela?
    Cuidado para não virar um troll por aqui…

  8. Carlos Magno disse:

    Olhe Igor, estou decepcionado com a sua incapacidade de resumir um assunto e com suas manobras de pular pontos interessantes por não saber abordá-los. E agredir pessoalmente alguém que mostra paradoxos e incoerências.
    É a velha tática de fingir que não notou algo para não se arriscar a novamente dizer asneiras.
    Esse seu texto é uma lição de como alguém pseudo amante dos tão propalados métodos científicos arrisca-se a uma informação de contexto improvável. Mas não faz mal, afinal fingimos de faz-de-conta que aconteceu somente para treinar a crítica.
    E vem contar para nós que governos não são seres individuais conscientes. Um é, outro não é, o resultado é zero! Fantástica lição de matemática aplicada na sociologia politica, pior, números relativos maravilhosamente absolutos! Será que Freud explicaria o fato de existir coletivos inconscientes nos governos? Seriam o que? Hominidios se passando por cidadãos graduados em universidades?
    E com esses critérios vem falar mal de religiões e esoterismo sem nunca ter estudado, participado, ou vivenciado. Horroroso e informe preconceito, típico das pessoas pequenas, arrogantes e desinformadas!
    É, bobalhão, não vou mesmo voltar por aqui, não me interessa seu pensamento. Somente vim talvez achando que você saberia dialogar e debater, já que gosta de criticar-me noutros blogs.

  9. Igor Santos disse:

    “E com esses critérios vem falar mal de religiões e esoterismo sem nunca ter estudado, participado, ou vivenciado.”
    Isso é um espantalho que você criou para facilitar a discussão porque: 1. você não me conhece e supôs isso aí; 2. já estudei, participei e vivenciei tudo que critico; 3. uma pessoa pequena não pode ser arrogante; 4. você é um ridículo. Pronto. Isso sim é um ataque.
    Pelo menos eu não dou e saio correndo: “É, bobalhão, não vou mesmo voltar por aqui, não me interessa seu pensamento.”

  10. Maximus disse:

    Nossa! Esse cara tem o que?

  11. Igor Santos disse:

    “His head up his ass”, diria um amigo meu…

  12. Carlos Magno disse:

    I expected you would be wise enough to end up the dialog. However, you’re not! So I came back for a while.
    You’re again wrong. Just insignificant people are arrogant as great men are humble!
    My head up is my super consciousness. Your ass is your pleasure, easy to know.
    If you’re going on, okay, it’s your choice but no way on me. I can’t go down indeed. I need pure air. If you comment on my words in a civilized way may be I’ll come back but this is uncertain.

  13. Igor Santos disse:

    Agora eu fiquei confuso…
    Disse que não voltava mas voltou, quer que eu seja civilizado mas não é, comenta da minha falta de humildade e vem aqui frescar em inglês?
    Sibichédoido…

  14. Carlos Magno disse:

    Você não ficou confuso. O principal problema é que você não sabe ler, nem interpretar (desculpe dizer isso tão duramente, mas às vezes é necessário!)
    Você disse: “his head up his ass”. E se diz confuso que lhe respondi em inglês…. Falei impessoalmente da humildade e julgou que disse de mim. Ai, ai, ai seu Igor! A professora, dona Teteca, que não saiba disso, heim!
    Não vá achar que somente eu possuo uma superconsciência e que também estou falando só de mim. Veja lá, rapaz, fique atento na leitura!
    Mas alegre-se, sempre há esperanças, você faz parte da raça humana e coisas assim podem acontecer com todos.
    Tudo de bom garoto. Tenha juízo que tudo melhora. Não despreze esse bom conselho!
    byby.

  15. Luiz Bento disse:

    Nossa…cada um que me aparece.

  16. Gatsby disse:

    Cara, esse Carlos Magno é ignorantão, apesar de inteligente.

  17. Carlos Hotta disse:

    Liga não pro Magno, ele adora uma polêmica!
    A propósito, saiu o resultado do sorteio do livro
    http://www.ediouro.com.br/as100maioresdescobertas/
    Veja em:
    http://lablogatorios.com.br/raiox/2008/10/18/e-os-ganhadores-dos-livros-foram/
    Valeu pela participação!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Categorias

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM