Num estalar de dedos

Não vou falar sobre o estalar de dedos “Garçom, a conta!”, mas aquele de “Eu sou mais durão que você!” ou de “Mãos à obra!”.
Sempre me perguntam duas coisas sobre isso:
1 – Sabia que estalar os dedos causa artrite?
2 – O que causa o barulho de dedos estalando?
Minhas respostas para essas perguntas são mais diretas (curtas) e incisivas (grossas) do que algo que eu escreveria, portanto vou me ater ao que a ciência sabe sobre o assunto.

Quando uma junta (qualquer uma entre dois ossos) é esticada, como quando entrelaçamos os dedos das mãos e esticamos os braços para frente com as palmas viradas para fora, os ossos adjacentes tendem a se separar, fazendo com que a cápsula de tecido conectivo que recobre a articulação se alongue.
Quando esticado, esse espaço aumenta de volume, criando uma pressão negativa (para comparação, chupar num canudo também cria uma pressão negativa dentro da boca), precipitando o gás dissolvido no líquido sinovial a se separar, formando uma bolha dentro da junta que, se grande o suficiente, estoura, causando o barulho tão familiar de dedos estalando.
Mas não só dedos. Como eu disse antes, qualquer junta entre quaisquer dois ossos podem estalar (eu estalo os dedos das mãos e pés, pulsos, tornozelos, cotovelos, joelhos, ombros, bacia, pescoço, vértebras e mandíbula, por exemplo).
O gás que havia sido liberada através da sucção da pressão negativa volta a se dissolver no fluido intersticial, mas só depois de uma meia hora (dependendo do tamanho da articulação).
Por isso que não dá para estalar os dedos o tempo todo. Falta combustível por um tempinho.
Eu comecei respondendo a segunda pergunta porque não consegui achar/não tenho senha para os artigos de Jorge Castellanos (que dirigiu um estudo com 350 pessoas que estalavam os dedos regularmente por 30 e tantos anos) e de Daniel Unger (pesquisador que passou ele mesmo 50 anos estalando só os dedos da mão esquerda) que concluiram que não há relação entre estalar os dedos e aumento de casos de artrite.
Notícia boa para mim, que estalo os dedos dos pés virtualmente o tempo todo (juntas pequenas recarregam sua munição de gás mais rapidamente).
A notícia ruim é que, depois de longos anos, as articulações aparentemente perdem 25% de sua força original, fazendo com que mãos muito estaladas segurem coisas menos firmemente.
Outro bom aspecto da estalância é que há evidências de que esse costume aumenta a mobilidade das juntas e causa relaxamento logo após o fato.
Eu que o diga, quando estalo a coluna me sinto tão bem que chega sinto uma coisa boa.
Diria mais, diria que chega sinto uma coisa boa!
Concuindo, se você é judoca ou gosta muito de cabo-de-guerra, evite se estalar.
Se não, relaxe, aproveite a sensação e se estale a vontade!

Discussão - 4 comentários

  1. Atila disse:

    Fantástico texto! Me deu vontade de estalar a coluna toda…

  2. Paula disse:

    Então é isso!!!!
    Fico só imaginando que, se debaixo da capa de gordura + músculos + pele + roupas o barulho da minha bacia estalando é absurdo de alto, imagina sem essas barreiras todas!

  3. Karl disse:

    Muito bom, Igor. Tentei encontrar os artigos para você. O do Daniel Unger é um resumo do congresso de reumato de 1990, não tem em pdf. Achei um que, basicamente repete o que você diz. Enviei para seu email. Parabéns.

  4. Igor Santos disse:

    Muito obrigado, Karl!
    É ótimo ter um médico na equipe! =¦¤þ

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Categorias

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM