Republicado: Traição

Inspirado por esse artigo indicado por esse cabra e impulsionado pela falta de criatividade que me abateu hoje (na verdade foi semana passada, pois escrevo com muita antecedência), resolvi republicar mais um artigo meu, originalmente publicado em primeiro de junho de 2008, no meu outro blogue.
==> Este artigo não contém links <==
Todas as opiniões não são criadas igualmente, algumas são melhores que as outras (Douglas Adams).
Esta é a minha:
Nós passamos alguns bilhões de anos andando por aí numa só célula.
Depois, por algum motivo, resolvemos aglomerar.
Tudo ia bem até que inventaram o sexo.
Reprodução sexuada é bom porque mistura as defesas de dois organismos diferentes, resultando num terceiro que consegue se defender melhor, mas introduz deformações genética que, ao longo do tempo, vai mutando a espécie.
Várias mutações ocorreram, vários braços evolutivos se abriram (o ornitorrinco, apesar de mamífero, tem mais material genético de aves que de qualquer outro grupo, e isso é altamente bizarro, mas é sério, podem procurar, pois eu não vou incluir um link ERRADO!, mas eu já me corrigi aqui), vários grupos e várias espécies novas foram criados até chegar em Nós.
O Homo sapiens (sapiens) é um desenho mal feito que não serve para brigar, não serve para correr, não serve para o frio nem serve para se camuflar.
Nosso único trunfo é nosso cérebro.
Um cérebro usa MUITA energia. Muita energia mesmo! Eu diria mais; diria que usa muita energia mesmo!
Um de um humano usa mais ainda.
Tanto que a nossa cabeça é mais quente que o resto do corpo, calor este proveniente do consumo de energia (analogamente como o capô de um carro ser mais quente que o porta-malas). Procurem uma imagem do corpo em infravermelho.
Neste nosso mundo baseado em evolução, um cérebro só fica desse tamanho e consumindo esse tanto de energia após centenas de milhares de anos absorvendo o máximo possível de energia, em forma de alimento.
A maior revelação evolutiva humana foi o início do consumo de carne.
Primeiro proteína animal de insetos, depois de roedores, subindo até animais mais pesados que os caçadores, que já tinham inteligência suficiente para se organizar e abater uma presa decente.
O tempo passa, o tempo voa, o consumo se mantém em alta e a capacidade do cérebro aumenta.
(Um dado importante: nós utilizamos 100% da nossa capacidade cerebral. Uma conversa que tem por aí que só usamos dez por cento foi inventada por esotéricos e metafísicos para dizer que temos 90% ainda para aproveitar com “energia do pensamento” para mexermos objetos com a força da mente. Mentira. Nós usamos TUDO.)
Hoje só temos carros e computadores e aviões e medicina porque temos cérebros imensos e altamente ativos. Devemos isso ao consumo de carne animal, que provê mais energia (proteína), grama por grama, que qualquer produto vegetal.
Não comer carne é ir contra milhões de anos de evolução e (especialmente cruel) trair a nossa espécie e tudo que ela teve que suportar para que estivéssemos aqui hoje, com nossos encéfalos descomunais, lendo frases complexas e tocando piano.
Pessoas doentes que não podem comer carne, não devem fazê-lo, assim como pessoas alérgicas a lactose não devem beber leite, mas se um ser saudável e disposto se nega a comer carne por política ou filosofia, está prestando um desserviço ao nosso “sapiens sapiens” e traindo perversa e malevolamente a nossa herança fisiológica e anatômica.
E para os que dizem que é impossível obter todos os nutrientes necessários apenas com carne, eu recomendo uma visita aos esquimós.
Perguntem pelas hortas deles…
O único derivado de soja que presta é o que fica em volta de um pastel.

Discussão - 2 comentários

  1. Cassiano disse:

    A vida é feita de escolhas.
    O cara quer parar de comer carne e só comer “alface”, deixa ele.
    O cara quer viver de comer só carne, deixa ele.
    O cara quer ser gay, deixa ele.
    Mas pqp, não vai ficar bitolando a cabeça dos outros para convencer que a sua escolha (seja ela qual for) é melhor e o transforma em um “ser superior”.

  2. Júlio disse:

    Concordo plenamente.
    Sou vegetariano e sempre me dizem que eu não tenho tudo necessário pra ser saudável e bla bla bla, mas aí acho q é melhor perguntar a um nutricionista (q nao seja radical pra nenhum dos lados) do que a um esquimó.
    E nem por ser vegetariano e ter um monte de provas de que o ser humano deveria ser vegetariano, ou por filosofia ou quaisquer que sejam meus motivos, eu me acho no direito de julgar quem come carne. só não aceito quando me oferecem e pronto.
    E meu cérebro vai muito bem, obrigado.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Categorias

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM