Cadê o horizonte?

Ombro deslocado, dente faltando, olho roxo, supercílio aberto, dedão quebrado, costela fraturada.
Levei uma Sra. Surra do programa novo que usamos para blogar aqui no SBB, mas agora o tenho numa chave de perna, esperando que ele diga “Mat-te” e desista (e torcendo para que não escape e reverta o golpe. Acho que tenho um pulmão perfurado).
Pois bem, referências a filmes de Van Damme à parte, vamos ao que interessa: informações relevantes.
Durante o último fim-de-semana eu fiquei tentando calcular o quão longe o horizonte estava (mas fiz isso em segredo e em silêncio pois não queria que meus amigos achassem que eu sou nerd), mas a falta imensa de memória e Internet não me deixaram chegar a uma conclusão satisfatória e então, logo na segunda-feira, fui atrás.
Munido de um computador e de duas línguas, descobri que o cálculo é bem mais simples do que pareceu na minha cabeça distraída por talharim aos quatro queijos e churrasco com chimichurri.
O horizonte está exatamente (aproximadamente, na verdade, mas a primeira palavra tem mais peso dramático) a uma distância que é igual à raiz quadrada do triodécuplo da distância entre o plano observado e o ponto de observação.
Fácil assim e eu não conseguia calcular de cabeça enquanto tomava vodca com soda. Estou ficando velho…
Tudo bem, eu admito, inventei uma palavra ali no meio, mas a definição é exatamente essa, sendo que é bem mais fácil pensar desse modo: multiplique a altura em que seus olhos ficam por 13 e tire a raiz quadrada desse número e você encontrará a que distância o horizonte se encontra (mas a conta só funciona para lugares planos, como o mar. Não adianta medir o horizonte se tem uma montanha nele).
Sua altura é em metros e o resultado é em quilômetros.
No meu caso, por exemplo, meus olhos ficam a um metro e oitenta do chão (sim, eu sou bastante alto), então 1,80 x 13 = 23,4.
A raiz quadrada de 23,4 é 4,84, aproximadamente.
Então, eu estando em pé na praia, o céu encontra o mar a pouco menos de cinco quilômetros.
Além do horizonte existe um lugar bonito e tranquilo pra gente se amar. E esse lugar se chama Universo.
O que vemos depois da linha limítrofe é mais céu, porque a Terra se curva para dentro e só podemos ver mais dela se subirmos um pouco mais.
Do terceiro andar de um edifício, veríamos mais ou menos dez quilômetros de mundo antes desse se esconder.
horizonte.jpg
O Oráculo pode lhe ajudar nos cálculos se não houver lápis e papel por perto: basta escrever no campo de busca “raiz quadrada de (13 * altura)” e a calculadora Google vai resolver seus problemas aritiméticos.
Agora me dêem licença que eu vou tentar extrair mais informações deste programa e ver se consigo pelo menos colocar minha foto em algum lugar…

Discussão - 3 comentários

  1. Chloe disse:

    Muuuito legal, adorei!
    Sabia disso não! : )
    No meu caso deu 4,41.
    Interessante que a diferença, em geral, não será tão grande de uma pessoa pra outra.
    Talvez o objetivo das pessoas, em geral, também não seja assim tão diferente.
    ( )’s.
    Chloe

  2. Igor Santos disse:

    Como assim “o objetivo das pessoas”?

  3. Chloe disse:

    Todos objetivam o ‘ser feliz’.
    Uns um pouco mais, outros um pouco menos.
    Uns conseguem ver um pouquinho mais que os outros…
    O que varia é a forma como buscam chegar ao que estão vendo… ou não…
    Ah… bobagem minha, rs…
    É que fiquei pensando no horizonte… olhar pra frente… objetivo…
    Nada muito importante.
    O importante é que não sabia do cálculo e agora sei!
    ; )
    C.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Categorias

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM