Espectro Eletromagnético – Parte 2/2

==> Isto é uma continuação, se você chegou aqui agora e não leu a primeira parte, volte e leia, senão nada aqui fará sentido.
Bem, fará, mas você estaria perdendo metade da diversão! <==
Tanto os olhos quantos as antenas de rádio são receptores de luz. Nós não vemos o sinal do celular porque as estruturas de captação de luz nos nossos olhos são muito pequenas e as ondas de rádio são muito longas e não cabem dentro das células.
É como jogar sinuca com bolas de vôlei.
=> Não consigo pensar numa frase inteligente para esta passagem…
Chegamos ao Ultravioleta. “Ultra” significando “acima”, “violeta” significando a cor violeta. Óbvio (ainda estou estudando e achei pouca coisa, aí estou enchendo com miolo de pote).
Ah, achei uma coisa interessante; O sol produz muita luz ultravioleta que é bloqueada pela nossa atmosfera, ou era, pois o que bloqueia mesmo é ozônio (um alótropo do oxigênio, que se combina em três átomos) e esse ozônio está sendo quebrado por clorofluorcarboneto (o famoso CFC).
Por ser muito energética, radiação UV tem a propriedade de quebrar ligações químicas. Uma dessas quebras acontece na nossa pele (e na dos porcos), causando as queimaduras de sol e, em casos extremos, câncer de pele (o carcinoma é causado quando um desses fótons super-energizados atinge e desmantela uma molécula de DNA, fazendo-a agir de forma imprevisível e incontrolável). O mesmo processo pode causar catarata no olho, ressequidão (acho que essa palavra não existe), rachadura em plásticos (polímeros em geral) e degradação em tintas expostas ao sol.
Tinta UV é usada em sistemas de segurança (da próxima vez que você estiver numa boate com luz negra, olhe pro seu cartão de crédito) e lâmpadas que criam luz ultravioleta (como as fluorescentes) são usadas em armadilhas para insetos (que se orientam à noite navegando pela luz da lua e das estrelas, mas é um pouco mais complicado que isso. Entomologia é divertido).
Análise de minerais, espectrofotometria (tipo espectroscopia, mas mais especializado) e outras coisas com nomes ainda mais difíceis de ler e pronunciar.
=> Carcinoma nos ossos.
A próxima etapa na escala energética da luz é a dos Raios-X.
Esse nome é muito aleatório mas é muito massa também, coisa de revista em quadrinhos e foi dado por um alemão, Wilhelm Röntgen, que recebeu o PRIMEIRO prêmio Nobel de Física por seus estudos sobre os raios. Invocado!
Lorde Kelvin, o da escala de temperatura, disse uma vez que “raios-x não existem, isso é conversa”, mas eu não o ouvi dizendo, não porei minha mão proverbial no fogo.
Raios-x (sempre no plural, diferentemente do terceiro verso da canção festiva “Parabéns A Você”, que é “muita felicidade”, no singular) são usados principalmente em contadores Geiger (para medir o nível de radiação em determinados locais), em astronomia (olha aí, os astrônomos de novo) para medir buracos negros e a freqüência de pulsares e, mais comumente, para bater chapas radiográficas, que depois de usadas, podem servir para a observação de eclipses solares (por astrônomos-mirins, talvez?).
Gerar esse tipo de radiação consome MUITA energia, que geralmente é associado à temperatura dos corpos. Pulsares brilham nessa faixa de luz por serem absurdamente quentes.
Uma máquina de raios-x é na verdade uma grande máquina fotográfica que enxerga fótons hiper-energéticos (gerados por ela própria), mas precisa imprimir num filme, como um lambe-lambe.
Não adianta o Super Homem ter visão de raios-x se não tiver algo atrás do objeto para aparar a radiação, que deve ser lançada de seus olhos (pois objetos frios como paredes e roupas não emitem esse tipo de luz).
=> Do Homem de Aço para o Homem Verde Zangado.
Depois de Raios-X, vêm os Raios Gama.
Não importa o quão mais energético se tornem (não existe ainda limite teórico máximo de energia), continuarão sendo raios gama.
Alternativamente à forma como os comprimentos de onda da faixa de Rádio podem ser enormes, os da faixa Gama são tão pequenos que uma ruma deste tamanho ainda não dá para ver.
Além de transformar o pacífico físico Bruce Banner na besta selvagem e incontrolável conhecida por Incrível Hulk, a radiação gama, por ser altamente letal para qualquer espécie de vida, é usada como meio de esterilização de equipamentos médicos e irradiação de alimentos (ou “pasteurização fria”, como querem chamar agora para distanciar o método do estigma de “radiação”), o que destrói qualquer ser vivo, como bactérias, que estejam só esperando um hospedeiro quentinho para se estabelecer e tomar de conta.
São naturalmente gerados em explosões de Supernovas e em explosões nucleares, guardadas as devidas proporções.
Bicho muito perigoso. Sempre que puder, evite (radiação gama é não-residual, ou seja, não deixa restos por onde passa, portanto você pode comer comida irradiada sem preocupação; a não ser que você seja o técnico responsável pelo processo).
E este é o Espectro Eletromagnético!
Espero que tenha sido compreensível.

Discussão - 3 comentários

  1. Ari disse:

    Parabéns
    ótimo humor
    Leitura prazerosa e útil
    Deus te ilumine

  2. Excelentes posts, explanam conceitos interessantíssimos sobre ciência de uma forma didática e simpática!
    Acompanho o blog há cerca de um mês, e já virou item dos favoritos, aberto diariamente.
    Abraço

  3. Igor Santos disse:

    Valeu Victor!
    Você pode também assinar meu RSS para evitar entrar aqui e não ter nada novo e criar abuso de mim =¦¤þ

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Categorias

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM