Enigma físico (ou quase, é mais um problema de lógica)

Cena A: você está no topo de um edifício bem alto e, sabendo o número de pavimentos (noventa e nove andares + pilotis) você supõe que o prédio tem trezentos metros de altura.

Cena B: a saída, por algum motivo, está bloqueada (zumbis, digamos) e, como se trata de uma situação real (fora os zumbis), você não pode simplesmente pular dali. Nem mesmo para outro prédio vizinho, visto que um edifício de cem andares deve, por lei, ter uma área de terreno consideravelmente grande. A não ser que você tenha asas (o que eu seriamente duvido), é impossível chegar em qualquer outro telhado sem se espatifar terminalmente contra o chão.

Eu disse que a lateral do prédio é lisa?

Cena 3: você nota uma corda com uma etiqueta dizendo “contém 225m” e um gancho na beirada da edificação, provavelmente deixados por um conjunto convoluto de situações improváveis envolvendo um representante de equipamentos para rapel e um limpador de janelas desleixado (provavelmente por causa do aviso prévio recebido na manhã anterior), completamente não-relacionados mas deus-ex-machinamente necessários para o resto do enigma.

Cena 4: Ao lado da porta que dá para a horda maligna de mortos-vivos você vê um aviso que lê: “ATENÇÃO AVENTUREIROS – O 50° ANDAR CONTA COM UM GANCHO SEMELHANTE AO ABANDONADO PELA FIRMA DE LIMPEZA, SENDO QUE DE OUTRA MARCA MAS IGUALMENTE FIXADO À PAREDE COM CINCO PARAFUSOS REFORÇADOS”

Cena IV: obviamente, você carrega consigo um óculos, um canivete, um pé-de-meia extra e um telefone celular sem carga (de bateria, não de créditos). Por alguma razão que não me diz respeito, você está usando tamancos holandeses de madeira tradicionais.

Questão 1: em tal situação, usando o que lhe está disponível, o que você faria para chegar com vida ao térreo?

(Nota: o andar térreo, ao contrário do telhado, está livre dos infectados. Uma vez na rua, você estará a salvo.)

Discussão - 81 comentários

  1. Nelson disse:

    Eu desceria até o segundo gancho, e amarraria a outra ponta da corda. Voltava, desamarrava a primeira ponta (ou cortava com o canivete) e passaria a corda por dentro do gancho, deixando a ponta livre. Ai desceria até a metade novamente, puxaria a corda pela outra metade dela. Depois era só descer. Chegando la em baixo, dançaria alguma música holandesa com os tamancos.

    • Igor Santos disse:

      Nelson, como você vai cortar a parte de cima da corda enquanto se segura nela ao mesmo tempo? É um exemplo do “segura no pincel que eu vou tirar a escada”?

  2. Herdeiro do Vigário disse:

    De que cor é a meia?

  3. Lúcio disse:

    Se tem um limpador de janelas na estória, logicamente tem janelas.
    Tendo janelas é possível que alguma esteja aberta ou possa ser aberta por fora, porque raramente alguém travaria uma janela nessa altura.
    Com o uso da corda eu desceria até achar uma janela que eu consiga entrar, como em muitos filmes, onde o sujeito pula e arrebenta a janela na queda. Desceria o resto pela escada.
    Se tiver que descer todo o prédio pelo lado de fora ainda não imaginei uma solução…

  4. Antonio Carlos De Souza disse:

    Não entendi o enígima:

    1. Passa a corda pelo gancho até a metade.
    2. Desce, até o andar 50, segurando as “duas” cordas, uma em cada mão, para vc não despencar
    3. No andar 50 vc quebra uma janela e entra no prédio
    4. Puxa a corda toda para a sala onde vc está.
    5. Executa o Passo 1
    6. Desce até o terreo.
    7. Puxa a corda toda para vc e enrola ela no corpo(vc pode prescisar dela de novo)
    8. Pega uma moto abandonada e vai embora 😉

    Não entendi o problema. 🙁

    [],
    AC

    • Igor Santos disse:

      Antonio, novamente, por causa do tamanho do edifício, as janelas são antissuicídio. Se não dá para abrir, também não dá para quebrar.
      A não ser que você seja Jackie Chan naquele filme em que ele anda com um molho de chaves no bolso. Neste caso, as chaves estão na moto.

      • Antonio Carlos De Souza disse:

        Daí é só mudar um pouco o 3, 4 e 5
        3. Para no 50o andar e amarra uma ponta da corda no gancho.
        4. Puxa o resto da corda, até tirar do gancho de cima, passa metade da corda pelo gancho do andar 50
        5. Desamarra o nó do gancho e desce como no passo 2

        Foi?

    • GodOfMW disse:

      O único problema é que a corda tem 225 m, ou seja, dobrada teria 112,5 metros, e não chegaria ao 50º

  5. Leonardo disse:

    Acho que o tamanco deve ser p/ improvisar um gancho. E pensando MacGyvericamente, as lentes dos óculos poderiam ser usadas para cortar a corda, pela convergência dos raios solares É muito devaneio?

  6. Marcelo disse:

    Simples. Pego o elevador e desço até o térreo. Lá não tem Zumbis.

  7. Leonardo disse:

    Enquanto as lentes dos óculos por meio da convergência dos raios solares, cortam lentamente a corda na altura do 1º guancho, desço repidamente até o segundo gancho e espero a corda terminar de ser cortada. Aí é só amarrar a corda no segundo gancho e descer até o térreo.

  8. Aline disse:

    Faz um tipo de nó no gancho que está no topo do prédio, que quando tensionado continua preso, mas quando a tensão é liberada a corda se solta.

    Então quando chega no andar 50, amarra a corda, o peso do corpo fica suspenso no gancho do 50° andar e então pode soltar o nó e a corda que estava presa acima, tendo um comprimento suficiente para chegar até o chão.

  9. Willy disse:

    Corto a corda verticalmente em duas do mesmo tamanho (e metade do diâmetro). Desço até a metade com uma, e até em baixo com a outra.

    • Igor Santos disse:

      Cordas de rapel são muito finas e bastante resistentes justamente por causa do trançado. Se uma for cortada longitudinalmente, perderia toda essa resistência.
      Mas bem pensado.

  10. Langolyer disse:

    Bom…
    temos 225m de corda (3/4 do prédio)
    Tentaria o seguinte:
    1 – desceria pela corda até o próximo gancho;
    2 – Amarraria a corda neste ponto;
    3 – Cortaria a corda que estaria sobrando (75m) e guardaria comigo;
    4 – Subiria de volta na corda até o ponto de cima;
    5 – Amarraria o pedaço comigo (75m) junto com a outra ponta na ponto de amarração de cima;
    6 – Usaria o pedaço de 75m e amarraria na minha cintura, o suficiente para eu poder ficar com as mão livres na altura do ponto de amarração superior;
    7 – Cortaria a ponta da corda maior (150m) e seguraria;
    8 – Segurando o pedaço de 75m, que está amarrado, soltaria da minha cintura e, segurando ambas as cordas, desceria 1m;
    9 – Após descer estes 1m, me prenderia novamente com a corda de 75m, amarraria a ponta da corda maior, que está com uma das pontas presa no ponto de amarração inferior, na minha cintura também;
    10 – Após prender a corda maior na cintura soltaria a amarração da corda de 75m e desceria até o limite dela;
    11 – Estando a 225m do chão e com uma corda de 149m preso à minha cintura, iria “balangar” o máximo suficiente;
    12 – com o maior ângulo que alcancei possível com este balanço me soltaria da corda de 75m e, por efeito do movimento iria fazer uma novo balanço com a corda de 149m preso;
    13 – Após a redução do balanço, posso cortar a corda e cair no chão já que estou à 1m dele;
    14 – Volto para casa para contar a minha aventura no Scienceblogs;

    🙂

    • Igor Santos disse:

      Langolyer, eu admiro a sua coragem. Especialmente porque essa foi uma das resoluções que passaram pela minha cabeça.
      Mas eu faria de outro jeito: amarraria um laço na ponta da corda e o desceria até o gancho do meio, apertando-o. Me prenderia na marca dos 149m e tentaria balançar a partir da sacada.
      Quando o pêndulo acabasse e eu recobrasse a consciência, sairia.

      Mas existe um jeito mais seguro.

  11. Bruno Mattiazzo disse:

    Bem… como todo prédio alto tem um para-raio e neste desce um cabo de aço até o chão… Posso usar este para chegar até o térreo?

  12. Vinicius Makoto Mori disse:

    Coloco o óculos pra tirar uma onda, corto a corda em 2 partes com o canivete, deixando a primeira com 76 metros e consequentemente a segunda com 149 metros. No primeiro trecho, amarro a primeira parte da corda no gancho e faço um laço (tipo uma forca) no final. Passo a segunda parte da corda pelo laço, posicionando no centro desta segunda parte. Este arranjo teria o comprimento de (76 + 149/2) metros = 150,5 metros. Ao descer os primeiros 150 metros, amarro a ponta da segunda parte da corda no gancho do 50º andar e simplesmente puxo o restante da corda do laço da primeira corda. Desço pela segunda corda e procuro uma tomada pra carregar o celular e descrevo a solução no SB. Coloco as meias e os tamancos. Acabei de descer de um prédio de 300 metros, estou me lixando pras aparências.

  13. Maria disse:

    Um… Amarre a corda no tamanco, bote o óculos, amarre a meia na cabeça (?), se arme com o canivete e mete a pancada nos zumbis!
    Se sobreviver, é só pegar o elevador e ir pro térreo… 🙂

    • Igor Santos disse:

      Maria, gostei da sua solução.
      Infelizmente, uma das coisas que não faz parte da descrição do problema é a garrafa de vodca que eu precisaria tomar para ter essa ideia.

  14. Pedro disse:

    1) cortar a corda em 75m e 150m
    2) fazer uma argola na corda de 75m (através de nó especial ou mesmo usando o tamanco)
    3) amarrar a outra ponta no gancho 1
    4) passar na argola a corda maior
    5) descer até o gancho 2 segurando as duas pontas da corda maior
    6) amarrar umas das pontas no gancho 2 e puxar a corda, que vai simplesmente deslizar… não tá amarrada
    7) e descer o resto… acertei?

  15. Angel Pena disse:

    Se eu pudesse subir pela corda faria assim.
    Descer até achar a corda no 50º andar. Cortar ela e subir até o topo do edificio. Recolher a primeira corda e uni-la com a segunda. Dai descer até o terraço.
    Os tamancos e a meias (3) usaria para fazer um suporte que sirva de apoio para subir e descer (tipo rapel).
    Sempre carrego oculos e também no bolso, um celular sem creditos.

    • Igor Santos disse:

      Angel, eu não entendi sua explicação.
      Se você vai cortar a corda e unir os pedaços novamente, como vai chegar mais longe do que antes?

      • Angel Pena disse:

        Pensei que tinha 2 cordas, uma encima e outra no 50° andar.
        Outra proposta:
        Numa posição apropriada, por exemplo a 50 m do topo, utilizando os oculos, o canivete (encostado e fechado na corda) e os tamancos, todos eles presos pela media, desceria até o segundo gancho (sem corda) e ataria a extremidade da única corda. Me segurando do segundo gancho com corda, faria a corda girar para conseguir um movimento de rotação do contrapeso (tamancos) em torno à corda (que esta em contato com a lamina do canivete). O giro e o atrito com a lâmina cortará a corda caindo até o chão. Dai é só descer.

  16. Igor Santos disse:

    Duas pessoas acertaram exatamente o jeito mais fácil (Pedro e Vinicius Makoto), então eu só vou liberar as respostas daqui a pouco para não estragar para os que ainda estão pensando.

  17. subherói disse:

    Eu espero até quarta feira, 15:30. Provavelmente vão roubar meu celular sem bateria, mas saio pelo mesmo caminho que os assaltantes entrarem…

  18. girino disse:

    1- cortar 150m da corda pra chegar aos segundo gancho. (amarra no gancho, desce pela corda, etc…)
    2- desfiar os 75m restantes e refiá-los como duas cordas de 75m cada. Amarrá-las juntas formando uma corda de pouco menos de 150m (1 metro a menos eu dou conta de pular sem machucar muito, eu acho). Esse passo pode ser feito antes de começar a descer pela primeira corda já que vai ser meio incômodo fazê-lo dependurado pelos tamancos 😛
    3- usar essa nova corda para descer do 50o andar…
    4- …
    5- Proffit.

    • Igor Santos disse:

      Como já dito a Willy, cordas de rapel são muito finas e bastante resistentes justamente por causa do trançado. Se uma for cortada longitudinalmente, perderia toda essa resistência.
      Mas bem pensado.

  19. Herdeiro do Vigário disse:

    Desculpe a persistência, mas gostaria de fazer outra pergunta… O aviso poderia ser recortado de modo a formar uma frase oferecendo recompensa a quem subir levando uma corda de 300m?

    Caso seja possível, quando a pessoa matar os zumbis e abrir a porta pra me entregar a corda, eu bateria nela com o tamanco e desceria (pela lateral do prédio com ela, óbvio).

    • Igor Santos disse:

      Vendo aqui as possibilidades, dá para você pedir socorro e ainda criar um poema concreto usando a placa completa:

      SOCORRO, MANDEM UM HELICOPTERO
      ESTOU PRESO NO TELHADO
      ZUMBIS NA ESCADA NÃO ME DEIXAM ESCAPAR
      CORDA INSUFICIENTE
      PAGO ATE 50 CONTO OU DOU ALGO ALEM
      MANDA-ME FERA
      50º ANDAR
      AFANAR FRANÇA
      ÇA VÀ
      QED

  20. Angel Pena disse:

    Solução 2
    corta a corda em duas partes:uma de 75 m e a outra de 150 m. A de 75m se segura no gancho e a outra, no tamanco. Este, com a ajuda do canivete foi preparado para passar a corda de um lado e o salto, aprofundado para que possa se complementar com o outro tamanco (já preparado); este segundo tamanco teria presa o segundo pedaço de corda (150 m). Sequencia: gancho-corda (75 m)-tamanco -tamanco (apenas ajustado)-corda.de 150m.
    Procedimento: desce pelo primeiro pedaço de corda (75m) até chegar ao primeiro tamanco. Dai, acoplar o segundo tamanco e descer pela corda deste segundo calçado até chegar ao gancho do meio. Amarrar o final desta corda (150m) e se segurar. Agora, dar um “tranco nessa corda que vai separar os tamancos e aquele preso ao segundo tamanco, caira até o chão. Apos, é so descer.

  21. Christtian Crispim disse:

    Então,

    Desconheço o limite do corpo para ser usado como pêndulo, mas rolaria de descer 50 andares, amarrar a corda no segundo eixo(deixando frouxa para o próximo passo), voltar 25 andares (26 por sergurança), amarrar a corda ao corpo (aqui é usada a parte frouxa), cortar acima da amarração, cair gritando feito um louco por 50 andares (como um pêndulo), voltar 25 andares, amarrar a ponta da corda, e finalmente descer os 50 restantes.

    …com um pouco mais de loucura, o pêndulo pode levar direto ao térro.

    Posso parar no andar 25 e jogar os tamacos e o celular nas pessoas que passam pela rua? Não sei se elas me ajudariam mas seria divertido.

    • Igor Santos disse:

      Christtian, sua solução pode funcionar, mas tem um passo a mais. Você não precisa subir 25 andares uma segunda vez. Com a corda estando amarrada no segundo gancho, depois da primeira queda é só desfazer o laço ao redor do seu corpo e continuar descendo.
      E sim, o proposto é o melhor uso para os tamancos.

  22. Eder Lima disse:

    Eu amarraria a corda no primeiro gancho usando um nó de marinheiro (daqueles que você puxa um lado e solta o nó, mas o outro tensionado mantém o nó firme), com uma pequena folga de 2m pra fazer uma cadeira improvisada (basicamente um laço) e desceria até o segundo, com 150 metros.
    Amarraria a corda no segundo gancho, subiria novamente até o topo, me prenderia ao laço/cadeira-improvisada e desataria o nó que prende a corda ao gancho de cima.
    Aproveitaria a queda livre de 145/146m e faria o mais emocionante e alucinante pêndulo já registrado na história! Ao fim dele, desataria o laço/cadeira e saltaria com segurança de uma altura de 1 ou 2m.
    Fuga like a boss! Afinal, temos zumbis, então eu sou foda na história, né não?

  23. girino disse:

    bora elocubrar…

    Opção 1:
    usando o tamanco como pêndulo (para medir o tempo) numa ponta da corda e como peso na outra ponta, meço a constante elástica da corda. De posse da constante elástica, calculo o quanto ela vai se esticar com meu peso amarrado na ponta. Usando isso, calculo o tamanho certo de corda para pular de “bungee jump” do alto do prédio e não me esborrachar no chão. Pulo e quando a corda começar a contrair mas ainda não tiver imprimido uma aceleração muito grande em mim, corto a corda com o canivete e caio no chão sem muitos arranhões. Uso a meia como camisinha e enfio o celular no rabo do primeiro zumbi que aparecer. Visto os óculos e vou pra galera!

    Opção 2:
    cubro a mão com a meia pra não “queimar” com o atrito da corda, pulo do prédio com a corda na mão e “miro” na direção do segundo gancho. quando passar pelo gancho, acerto a corda no gancho e uso a meia pra frear a queda. amarro a ponta da corda nela mesma no ponto onde eu consegui freiar de forma que o restante da corda chegue até o chão (se não chegar no chão, subo alguns metros pela corda pra fazer isso). desço até no chão, enfio os dois tamancos no rabo do primeiro zumbi que aparecer, coloco os óculos, faço pose com o celular e vou pra galera!

    opção 3:
    A imagem tem a pergunta, mas não a resposta. Então supondo que o prédio não seja liso, e dê pra escalar, você desce na corda até onde der e depois escala a parede externa do prédio até o chão… (de novo, enfia os tamancos, a meia, o celular e os óculos no rabo do zumbi mais próximo e depois vai pra galera)

    acho que tá bom de opções né???

    • Igor Santos disse:

      Girino, você não precisa também da massa da corda para calcular sua constante elástica? E você dispõe de uma corda de rapel, que deve ter uma deformação de no máximo 2%. Você precisaria de pelo menos 30% para ela esticar até perto do chão.
      A segunda opção é boa se você tiver certeza de que seus ligamentos estão em dia. E se for para escalar o prédio, por que não desde o telhado?

  24. Ranieri Severiano disse:

    Mataria os zumbis com tamancadas e os jogaria do alto do prédio. Como no filme 300, seria formada uma montanha de zumbis da altura do prédio por onde se poderia descer.

  25. girino disse:

    Outra opção, usando os óculos, que me ocorreu agora. tem duas versões, dependendo se são óculos com lentes convergentes ou divergentes.

    Lentes convergentes: É uma lente de aumento. Eu uso a lente para olhar pra corda. A corda fica aumentada, eu amarro ela no gancho e desço tranqüilamente até o chão (sempre olhando com a lente para manter a corda aumentada).

    Lentes divergentes: Eu olho o prédio com a lente. Ele fica menor. Desço pela corda sem olhar pra ela pela lente pra não diminuí-la também.

    • Igor Santos disse:

      Agora sim você está fazendo sentido.
      Por outro lado, você pode abrir a porta e olhar para os zumbis. Se eles estiverem pequenos, você pisa neles como se fossem baratas; se estiverem grandes, passe por baixo das pernas dele como se a barata fosse você.

  26. Ranieri Severiano disse:

    A lateral do prédio não é lisa. É possível portanto laçar as junções entre o tubo vertical mostrado na foto e a fachada mantendo as duas pontas da corda na mão do sujeito. Quando ele chegar em algum novo ponto de junção, apoiaria os pés na ligação entre o tubo vertical e o prédio para recuperar a corda soltando uma ponta e puxando a outra. Faria então a mesma laçada nesse ponto de junção onde o pé está apoiado e repetiria o processo.

    • Igor Santos disse:

      Realmente a parede da imagem não é lisa, mas a foto foi tirada com uma lente grande angular. Esse “tubo” ao qual você se refere deve ter uns dez metros de diâmetro, o que dificultaria bastante o passamento da corda.
      Se bem que eu não sei quão longos são os seus braços.

  27. Ranieri Severiano disse:

    Amarraria a corda no gancho. Posicionaria o óculos para que suas lentes convergentes direcionem os raios do sol do meio-dia para queimar a ponta da corda que está amarrada nesse gancho. Desceria até o 50º andar e esperaria o sol do meio-dia queimar a ponta da corda que está amarrada. Recuperaria a corda para amarrar no gancho do 50º andar e desceria o que faltava.

  28. girino disse:

    outra, dessa vez acerto:

    Faço um carretel de corda enrolando ela no celular. tiro o celular do meio do carretel e amarro os tamancos na ponta da corda que ficou no centro do carretel (mas eles tem de ficar soltos, pra fora do carretel pois vão funcionar como freio inercial). cubro o gancho com a meia, só por precaução, encaixo o carretel de corda no gancho.amarro a corda na minha cintura, deixando uma ponta relativamente grande para fazer um laço. pulo do prédio. a corda vai desenrolar mas o tamanco, ao girar, vai diminuir a velocidade de rotação do conjunto (freio inercial) permitindo que a descida não seja excessivamente rápida.

    Ao passar pelo 50o. andar, uso o laço da ponta da corda para laçar o outro gancho. puxo a corda até ela terminar de desenrolar (tomo uma bela tamancada na cabeça, desmaio, espero acordar de novo) e desço pela corda até o chão (e enfio o óculos no rabo do primeiro zumbi que passar na minha frente)

    • Igor Santos disse:

      Anal é coisa séria.

      Eu aqui pensando num Blackberry enquanto você anda com um Motorola “tijolão” no bolso (por que não fazer o carretel direto com o tamanco?).

  29. Angel Pena disse:

    Não sei se deu problemas no meu computador, mas agora, não apareceu nenhum comentaario nem minha solução 2. Re-escrevo.
    Solução 2
    Cartar a corda em 2 pedaços: um de 75 m e outro de 150 m. Preparar os tamancos para poder prender uma corda numa extremidade de cada um deles e pelo outro, se encaixarem (salto de um com o salto do outro)..
    Colocar em cada um dos tamancos, uma corda e, na corda de 75 m colocar o gancho na extremidade livre.
    Procedimento
    Colocar o gancho com a corda de 75 m e descer pela corda até encontrar o tamanco. Chegando ao tamanco, ajustar o segundo tamanco (salto de um com o salto do outro) e se deixar cair pela corda de 150 m até chegar ao segundo gancho. Nesse segundo gancho, prender o extremo livre da corda de 150m. Se segurar na corda e no gancho do meio e dar um tranco na corda de modo que os tamancos se separem. O primeiro ficara pendurado na corda de 75 m e o segundo, cairá no chão. Agora é só descer pela corda de 150m.

  30. João Brito disse:

    Cortar 74m da corda;
    prender uma ponta dos 151m da corda no gancho e a outra ponta no corpo (no tronco de preferência, fazendo uma cadeirinha da escalada);
    descer até o segundo gancho com os 151m de corda;
    amarrar uma ponta dos 74m no segundo gancho, a outra ponta amarre muito bem, mas muito bem mesmo, no seu corpo;
    suba a corda de 151m até esticar a corda de 74m;
    se prepare, e corte a corda de 151m (se esticar o braço, terá mais 75m amarrados no seu corpo);
    curta o bungee jump de 150m;
    ao recobrar a consciência puxe os 75m da corda amarrada no seu corpo;
    amarre uma corda na outra e desça até o solo.

  31. Eduardo disse:

    1 – Amarro uma das pontas da corda em volta de um dos tamancos
    2 – Passo a corda pelo gancho fazendo com que o tamanco sirva como trava para que a corda na passe direto.
    3 – Desço pela corda até o segundo gancho.
    4 – Amarro a corda na minha cintura, deixando corda suficiente para que a outra ponta seja amarrada ao segundo gancho
    5 – Corto a corda acima do segundo gancho
    6 – Fico pendurado no segundo gancho enquanto o peso do tamanco faz a corda descer
    7 – Agora o desafio: agarro o tamanco ou a corda (o que for possível)
    8 – Amarro a corda no segundo gancho
    9 – Solto-me do pedaço de corda que estava amarrado na minha cintura e desço pela corda que estava presa ao tamanco até o chão.

  32. Angel Pena disse:

    Como ainda não saiu a solução solução, envio a proposta 3.
    Corto a corda em 2 partes, uma de 75 m e o resto, de 150 m. Uma extremidade da corda de 75 m seguro no gancho e no outro extremo amorro os dois tamanco de tal forma que permita passar a corda de 150m sem deixá-la escapar. Vou descer pela corda de 75 m e ao chegar ao conjunto de tamancos, passo a corda pelo “buraco” dos tamancos, ficando duas partes de 75m penduradas. Descendo por esse par de cordas, cuidando para me segurar sempre das duas cordas, chegarei até o cancho situado em 150 m. Dai puxo um dos extremos da corda de 150m e seguro no gancho. Dai é so descer.

  33. Angel Pena disse:

    Sexta feira, 30 de março postei mais uma solução e por algum motivo não esta mostrada. Minha proposta era:
    cortar a corda em 2 pedaços, um de 75m e outro (o resto) de 150m. No final da corda de 75m de faz uma argola que não se feixe quando a corda se puxa a outra extremidade se fixa no gancho do topo. Se passa, até a metade, a corda de 150m pela argola da corda de 75m. Assim temos a metade (75m de um lado da argola e do outro lado, os restantes 75m. Agora se desce pela corda simples de 75m ate encontrar a corda”dupla” de 75m cada uma. Ao todo, 150m (75 m de corda simples e 75 m de corda dupla). Assim, chegamos ao segundo gancho. Seguramos uma das pontas da corda dupla ao gancho e puxamos a corda para que passe pela argola. Teremos em mãos, uma corda de 150 m para descer até o chão.

  34. Angel Pena disse:

    feixe é identico a feche (de fechar)

  35. […] é uma resposta. Se você ainda não leu o enigma, vá lá e depois volte aqui. […]

  36. N/g·ma | 42. disse:

    […] À sua frente se encontram: um bilhete escrito em letras médias com uma caligrafia confortável e pontuação impecável, uma balança precariamente suspensa por um fio, e dez caixas de sapatos (nenhuma delas, no entanto, é azul ou amarela) contendo itens variados. E você, além de usar óculos, tem uma caneta no bolso. Apesar de estar sem meias. […]

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Categorias

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM