Você é o que sua voz fala

A qualidade da sua voz interfere na sua qualidade de vida. Foi o que constatou Iára Bittante de Oliveira, professora e pesquisadora da Faculdade de Fonoaudiologia da Pontifícia Universidade Católica (PUC-Campinas), em pesquisa realizada na Clínica de Fonoaudiologia da Universidade. Ela explicou que problemas na voz criam dificuldades para muitas pessoas na área profissional e pessoal. “Algumas não conseguem emprego, outras não conseguem exercer suas profissões, como professores e teleoperadores”, disse. “O resultado é que elas ficam irritadas, entristecidas e com cansaço vocal, o que atrapalha significativamente no relacionamento delas com outras pessoas”.
Ela entrevistou 44 pessoas com queixa vocal, de ambos os sexos, com idades entre 19 e 80 anos, em espera para atendimento fonoaudiológico. Os sintomas citados pela maioria das pessoas foram os de fadiga vocal (90%), rouquidão (86,3%), garganta seca (79,5%), sensação de garganta raspando ou ardendo (77,2%), voz que enfraquece à medida do uso (77,2%) e pigarro constante. Os entrevistados foram divididos em quatro grupos: idosos, trabalhadores profissionais da voz, trabalhadores não-usuários da voz profissional e pessoas que não desempenham trabalho fora do lar.
Dicas simples para cuidar da voz: tomar bastante água e evitar alimentação rica em gordura. Mais incertezas? Procure um especialista na sua cidade.

3 comentários em “Você é o que sua voz fala”

  1. Os locutores de rádio e os cantores têm vários truques para manter a voz boa. Já ouvi falar de comer maçã (adgistringência ajudaria a limpar a garaganta) e beber água morna. Será que funciona mesmo?

  2. Olha, comer maçã dizem que funciona sim. Eu sei que não é bom comer doce antes de fazer a locução ou cantar alguma música.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.