Entenda TUDO sobre células-tronco

Finalmente, tá liberado! Por seis votos contra cinco, o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou as pesquisas científicas com células-tronco embrionárias sem nenhuma restrição como previsto na Lei de Biossegurança. Uma vergonha o julgamento ter sido adiado, em março, porque o ministro Carlos Alberto Menezes Direito pediu “vistas” da ação. Bom, mas agora essas são águas passadas – elas não movem moinhos.
Veja quem votou a favor das pesquisas: Joaquim Barbosa, Carmen Lúcia, Ellen Gracie, Celso de Mello, Marco Aurélio Mello e Carlos Ayres Britto. E quem colocou exigências e afins: Menezes Direito (aquele que pediu “vistas”), Ricardo Lewandowski, Eros Grau, Cezar Peluso e GIlmar Mendes (presidente do STF).
Às anotações:
O que são as células-tronco?
Elas “criam” as demais células e tecidos do organismo. São retiradas de embriões humanos – feto até ao terceiro mês de vida no útero – com dias de vida. As células-tronco adultas ficam armazenadas no sangue e nos tecidos das pessoas. Elas são mais especializadas dando origem a tipos específicos de órgãos.
Qual a importância delas?
Os cientistas acreditam que elas ajudem no tratamento de uma série de doenças como Parkinson, diabete, Alzheimer. Também, que possam curar lesões em nervos como na coluna cervical.
Por que ocorreu um julgamento?
A Lei de Biossegurança, aprovada em 2005, libera o uso dessas células em pesquisas ou no tratamento de doenças. Mas elas devem ser retiradas de embriões de fertilização in vitro, congelados há mais de três anos ou que não poderão dar origem a um bebê. Os “pais” do embrião precisam consentir e é proibida sua comercialização. Mas… em maio do mesmo ano, Cláudio Fonteles – na época procurador-geral da República – entrou no STF com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) contra o artigo que permite as pesquisas com células-tronco embrionárias. Fonteles disse que ele fere o princípio de direito e dignidade à vida. O argumento dele é que a vida tem início no momento da fecundação, porém não existe consenso na comunidade científica sobre o início exato.
O que a igreja pensa?
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) – representa a Igreja Católica – é contra por também considerar que se trata de violação do direito à vida.
Como vão as pesquisas?
O Brasil não realiza com células-tronco embrionárias desde a contestação do ex-procurador-geral. Os comitês de ética em pesquisa, que também precisam aprovar a realização deste tipo de estudos, decidiram não investir no setor. O país desenvolve apenas pesquisas com células-tronco adultas, principalmente, para tratamento de doenças cardíacas. Uma possível proibição poderia deixar o país defasado. No futuro, teríamos que importar tratamentos, o que sairia caro.
O governo não fez nada?
José Gomes Temporão, ministro da Saúde, é favorável às pesquisas. Quer criar a Rede Nacional de Terapia Celular para incentivar o setor. Para o presidente Lula, “o mundo não pode prescindir de um conhecimento científico que pode salvar a humanidade de muitas coisas”.
Fonte: O Globo Online.
Dica: Clique nos links da matéria para tirar dúvidas referentes ao sublinhado e veja aqui uma animação sobre o que são as células-tronco e suas pesquisas.

4 comentários em “Entenda TUDO sobre células-tronco”

  1. Moisés,
    li sua opinião e discordo dela em vários pontos. Realmente, foi uma vitória vergonhosa. Mas não pela cobertura sensacionalista dada pela nossa imprensa, mas sim pq expôs o quanto nossos “representantes” estão despreparados e o quanto são influenciados pela visão medieval da igreja e pelo poder do dinheiro. Afinal, nosso estado é laico ou não?
    Os meios utilizados pela imprensa são realmente deploráveis. Agora, acreditar que esse tipo de cobertura possa influenciar a parcela culta da sociedade a ponto de deixa-la em dúvida não faz sentido. Muito menos supor que ‘DAR A ENTENDER’ poderia influenciar negativamente o Supremo Tribunal, que como vc mesmo disse, não representa a parcela inculta – e influenciável – da população.
    Além disso, cansei de ver a Mayana Zatz e outros cientistas na mídia, explicando claramente que a aprovação do uso de células embrionárias abriria novas POSSIBILIDADES, mas que não havia resultados garantidos. Aliás, a Mayana Zatz já estava até cansativa de tanto repetir a mesma coisa.
    Ainda mais que não há dúvida científica, mas sim um embate entre ciência e religião. Não existem explicações técnicas contra uma postura espiritual. Para igreja, os maiores opositores, trata-se de um tipo elaborado de aborto e ponto. Praticamente todos os cientistas acreditam que vale a pena investir nas pesquisas com cel. embrionárias. O pior q pode acontecer é não surgirem resultados, mas isso faz parte da arte.
    A vergonha está numa vitória por 6 a 5! O que fez com que CINCO dos nossos ministros votassem contra algo tão promissor? Só duas coisas me vêem a mente: Dinheiro e/ou religião. E ai que está a vergonha! A imprensa sempre será imprensa: suja, vendida e parcial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *