Serão criados 50 institutos nacionais de ciência e tecnologia

Durante esta 60ª Reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCT) falou sobre um edital para formar ao menos 50 Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia. O Programa será coordenado pelo CNPq e terá, inicialmente, R$ 270 milhões para serem aplicados em três anos. A participação das fundações de Amparo à Pesquisa de São Paulo (Fapesp), do Rio de Janeiro (Faperj) e de Minas Gerais (Fapemig) poderá elevar o total para R$ 400 milhões.
Os institutos serão constituídos por instituição reconhecida pela excelência de produção científica ou tecnológica. Que tenha alta qualificação na formação de recursos humanos e seja associada a um conjunto de laboratórios ou grupos de outras instituições. Todos serão articulados na forma de redes científico-tecnológicas. Também, com capacidade de alavancar recursos de outras fontes. 
Sergio Rezende, ministro da Ciência e Tecnologia, disse que mais da metade do centros será destinada a áreas consideradas estratégicas para o país como biocombustíveis, agricultura, saúde, Amazônia, pesquisa nuclear e espacial. Se a quantidade terá qualidade ainda não sabemos. Mas já é um indício de que alguém se preocupa, se interessa e vai investir na ciência. Quado a ciência for realmente reconhecida no país, me sentirei com dever cumprido.

Um comentário em “Serão criados 50 institutos nacionais de ciência e tecnologia”

  1. Concordo plenamente com você. Só espero que os administradores desses institutos sejam responsáveis e consigam fazer pesquisas relevantes ao país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *